Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Candidato do PSD apostado em criar “um concelho de futuro” (c/áudio)

O candidato do PSD à Câmara Municipal da Sertã, Paulo Farinha Luís, disse que “o grande foco é trabalhar em prol das pessoas e da sua qualidade de vida”, condição que assenta no “desenvolvimento económico e emprego”.

- Publicidade -

Aos 50 anos e depois de 12 anos na sombra da presidência da Câmara da Sertã, Paulo Farinha Luís, avança como candidato do PSD à autarquia que tão bem conhece quer como técnico, quer como chefe de gabinete.

Figura ponderada e consensual, foi uma escolha unânime do partido, tendo até merecido o apoio do CDS-PP, conforme revelou na sessão da apresentação da candidatura realizada no dia 14 de julho, no Monte da Senhora da Confiança em Pedrógão Pequeno.

Cerca de uma centena de pessoas acompanharam a sessão realizada num local emblemático do concelho e que foi alvo de recentes obras de requalificação. Na plateia, entre outras figuras, estavam o atual Presidente da Câmara e mandatário da candidatura, José Farinha Nunes, o Presidente da Câmara de Ovar e Vice-Presidente do PSD, Salvador Malheiro, o Presidente da Distrital de Castelo Branco do PSD, Luís Santos, e o Presidente da Câmara de Vila de Rei, Ricardo Aires. Presença também notada foi a do empresário Fernando Amaral, cernachense que lidera as tecnológicas Sendys e Alidata, entre outras.

A surpresa da noite foi um vídeo com depoimentos de pessoas que conhecem Paulo Farinha Luís desde a infância ou juventude. Não faltaram elogios ao “menino da Sertã” que todos garantem dar um bom Presidente de Câmara.

Paulo Farinha Luís foi o último a discursar na sessão de apresentação onde deu a conhecer as linhas mestras do que pretende fazer se for eleito.

“Com a ajuda de todos, vamos transformar a Sertã num concelho de futuro” foi a frase que encerrou o seu discurso no qual assumiu a criação de um barómetro que irá registar todos os seus compromissos que serão escrutináveis por todos registando o progresso de cada medida num processo que será acompanhado por um grupo de personalidades independentes ao longo do mandato, medida que mereceu aplausos dos presentes.

Depois de agradecer o apoio do CDS-PP “pela confiança e disponibilidade por se associar à candidatura”, disse apresentar-se como candidato “com o maior gosto e orgulho” e “disponível para se dedicar a tão nobre desafio”, estando “ciente das potencialidades do concelho”.

O candidato do PSD afirma-se movido por “um espírito solidário e empreendedor” com o objetivo de “reforçar a centralidade do concelho em termos regionais” tornando-o mais atrativo para se viver e trabalhar”, ou seja, “criar uma terra para se ser feliz”. Apelou à colaboração de todos para a construção dessa “nova era”.

Para Paulo Farinha Luís, “as pessoas e a sua qualidade de vida” serão sempre o seu grande foco, com base numa “clara visão de futuro para a nossa terra nas vertentes cultural, social e educativa”.

A apresentação decorreu no Monte da Senhora da Confiança. Foto: mediotejo.net

Disse apostar na atração de novas empresas e no apoio às que já funcionam no concelho, estimulando a criação de mais postos de trabalho para mais facilmente atrair e fixar população ativa.

“A interioridade não é uma fatalidade”, defendeu, numa lógica de oportunidade tendo em conta o crescimento do teletrabalho.

Destacou os setores da floresta e do turismo que promete merecer “uma atenção muito particular” tendo em conta a sua importância para a região.

Paulo Farinha Luís acredita ser possível “criar um destino de excelência no concelho com as apostas nas vertentes da água, paisagem e gastronomia”.

Falou ainda nos temas da educação e formação ao longo da vida, prometendo reforçar a atratividade do concelho assente num ensino de excelência. Neste ponto e na sequência da transferência de competência prometeu reativar a residência de estudantes.

Quanto à terceira idade, depois de reconhecer ser a Sertã um concelho envelhecido, propôs uma aposta nos serviços de apoio à terceira idade mas com a prevalência desse apoio ao domicílio.

Habitação, saúde, desporto e cultura foram outras áreas abordados pelo candidato, sempre numa lógica de desenvolvimento integrado do concelho, premissa que motiva a sua candidatura.

O atual Presidente da Câmara é o mandatário da candidatura. Foto: mediotejo.net

O atual chefe de gabinete na Câmara da Sertã pretende que o seu concelho esteja “na vanguarda do desenvolvimento tecnológico”. “Quero uma Sertã smart, responsável e ambientalmente sustentável”, realçou.

Antes de Paulo Farinha Luís, intervieram o atual Presidente da Câmara e mandatário da candidatura, José Farinha Nunes, e o Presidente da Câmara de Ovar e Vice-Presidente do PSD, Salvador Malheiro, tendo ambos elogiado as qualidades do candidato.

“Vai estar à altura do cargo, não tenho dúvidas que terá um desempenho excelente e dará um grande Presidente da Câmara, disse José Farinha Nunes.

Num discurso mais politizado e abrangente, Salvador Malheiro chamou a atenção para a importância das eleições autárquicas num “momento decisivo, crítico”, para, no final, mostrar esperança “numa grande vitória”.

A comissão política do PSD pretende revelar os candidatos às juntas de freguesia e Assembleia Municipal no dia 24 de julho e a restante lista para o Executivo no dia 30.

Salvador Malheiro manifestou-se confiante numa grande vitória. Foto: mediotejo.net

Quem é Paulo Farinha Luís

Paulo Farinha Luís, casado e pai de dois filhos, é o candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal da Sertã, terra que o viu nascer.

Licenciado em Economia pela Universidade de Évora, onde foi dirigente associativo, imediatamente regressou às origens, onde iniciou a atividade profissional como docente e diretor da Escola Tecnológica e Profissional de Sertã.

Ingressou posteriormente na Câmara Municipal para a Divisão Económica e Financeira e, mais tarde, assumiu a direção do Departamento de Administração e Finanças.

De espírito empreendedor, cria uma empresa privada de informática e contabilidade, geradora de empregos e que contribui para a fixação de talento no concelho há 24 anos.

O caráter humano e solidário de Paulo Farinha Luís levou-o, ao longo de décadas, a abraçar o associativismo como elemento essencial na sua vida, pela importância que representa para o quotidiano das pessoas do concelho.

Colabora, enquanto voluntário e membro de órgãos sociais, com várias associações e instituições cívicas de cariz social, cultural e desportivo, a nível concelhio e distrital.

Desde a constituição, em 2014, é Presidente do SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta, associação científica, tecnológica e de formação, que conta atualmente com aproximadamente três dezenas de postos de trabalho diretos e altamente qualificados.

Amor e dedicação à terra, visão, competência, capacidade empreendedora e seriedade, são palavras que caracterizam Paulo Farinha Luís, um candidato jovem e dinâmico que vai dar novos horizontes ao concelho da Sertã.

No final do discurso, Paulo Farinha Luís foi saudado pelos presentes. Foto: mediotejo.net

Candidato do PSD na Sertã destaca “aposta nas pessoas” e na “qualidade de vida”

O candidato do PSD à Câmara Municipal da Sertã, Paulo Farinha Luís, disse à Lusa que “o grande foco é trabalhar em prol das pessoas e da sua qualidade de vida”, condição que assenta no “desenvolvimento económico e emprego”.

Paulo Farinha Luís, 50 anos, economista de formação, é o atual Diretor do Departamento de Administração e Finanças da Câmara da Sertã e candidata-se pela primeira vez, sendo que o atual presidente da autarquia, o social-democrata José Farinha Nunes, não se pode recandidatar por ter atingido o limite de mandatos.

ÁUDIO: PAULO FARINHA LUÍS, CANDIDATO PSD À CM SERTÃ:

O cabeça de lista do PSD, que apresentou na quarta-feira a sua candidatura, destacou uma “visão” para a qualidade de vida das pessoas que passa pelo “acesso a segurança, saúde, educação e ação social em condições de igualdade”, tendo defendido que “ser social-democrata é também acreditar que depois o resto do desenvolvimento se faz pelo trabalho, pelo próprio trabalho de cada um”, tendo elencado algumas das medidas que propõe.

“Temos cinco ou seis pontos que achamos fundamentais para atingir este objetivo”, afirmou, explicando que “a primeira grande tarefa é o desenvolvimento económico e o emprego”, e que “só se consegue crescer” com a atração de empresas para se fixarem no concelho e com a dinamização das empresas já fixadas “há décadas”.

Nesse sentido, o candidato do PSD, que conta com o “apoio do CDS-PP”, quer criar “um espaço de ‘coworking’ ou de trabalho remoto, independentemente de qual a empresa ou onde está localizada”, e “aumentar as capacidades de atração e instalação de empresas e de logística entre o produtor e os recetores”.

Paulo Farinha Luís, que também preside ao SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta, destacou ainda a fileira florestal e o turismo, de natureza e gastronómica, como “dois setores fundamentais” na atividade económica do concelho.

Ao nível da educação, defendeu a “interligação e articulação entre a Câmara e o setor público-privado na definição das políticas educativas para os próximos anos”, assim como “assumir a gestão da residência para estudantes” da Sertã, uma infraestrutura que “está há muito tempo inutilizada” e que neste projeto educativo “também pode ter uma relevância significativa, pois possibilita captar estudantes de outras latitudes e com isso também fazer crescer a oferta educativa” concelhia.

Além de uma “política de habitação forte”, que possibilite a “renovação dos centros urbanos que estão degradados”, outro “ponto muito significativo e caro à população é a ação social e saúde”, notou, tendo afirmado que os objetivos passam por “potenciar as parcerias com as instituições no concelho”, além de criar “pequenas oficinas domésticas”.

Paulo Farinha Luís é economista e chefe de gabinete na Câmara da Sertã. Foto: mediotejo.net

O candidato do PSD falou ainda à Lusa de “uma visão tripla daquilo que é a possibilidade e a potencialidade do que o desporto pode fazer pelas pessoas”, assumindo-se o município como “fornecedor da maior parte dos serviços para a atividade física regular”, como “parceiro no desporto de competição” e como “cliente de grandes eventos desportivos, onde o que interessa é a promoção” do concelho.

Sob o ponto de vista cultural, Paulo Farinha Luís disse querer “continuar e não abdicar daquilo que se tem feito nos últimos anos, sempre em qualidade”, tendo destacado “a Feira do Maranho” e “a Maratona de Leitura”, destacando ainda a quantidade “inacreditável” de músicos que existem no concelho da Sertã e que “permitem realizar eventos de grande qualidade com a chamada prata da casa”.

O candidato do PSD disse ainda à Lusa querer estabelecer “um compromisso de transparência” com a população para lá do ato eleitoral e que passa pela criação de um instrumento de verificação da sua eventual gestão à frente do município.

“Nós não temos nenhum tipo de problema em que as pessoas verifiquem se aquilo que nós dissemos corresponde exatamente ao que estamos a fazer e, por isso, nós queremos criar um barómetro que funcione para lá da campanha eleitoral, onde se criem pessoas independentes para o poderem controlar e para que possamos prestar contas no final do mandato”, afirmou.

Nas últimas eleições autárquicas, o PSD elegeu cinco elementos para o executivo e o PS dois.

As eleições autárquicas estão agendadas para o dia 26 de setembro.

c/LUSA

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome