Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Terça-feira, Setembro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Santarém | Cabeça de lista desfilia-se do Aliança e de senador nacional

Rui Paulo Sousa desfiliou-se do Aliança depois de pedir demissão do cargo de coordenador da concelhia de Santarém e também de senador nacional. Em causa os resultados que o partido não conseguiu atingir nas últimas eleições legislativas e ainda pelo candidato defender “a tauromaquia e a permanência no ensino da disciplina de educação moral e religiosa católica”. 

- Publicidade -

O cabeça de lista do Partido Aliança pelo circulo eleitoral de Santarém, Rui Paulo Sousa, apresentou no dia 8 de outubro a demissão do cargo de coordenador da concelhia de Santarém, “após um período de análise e reflexão” sobre os resultados, insatisfatórios, obtidos nas eleições para a Assembleia da República pelo Partido Aliança no distrito e concelho de Santarém.

“Com efeito, os resultados alcançados de 0,82% de votos no distrito de Santarém e de 0,98% no concelho de Santarém ficaram muito aquém do mínimo que estabeleci como objetivo, designadamente 3%, ou seja, um resultado bem superior ao obtido nas eleições europeias”, diz o candidato em comunicado.

- Publicidade -

Sentindo-se o “principal responsável pela campanha distrital” e de acordo com os valores com os quais se diz pautar na vida pessoal, profissional e politica, assume assim “responsabilidades políticas com seriedade e elevado sentido de dever” continuando, naquele momento, “a defender o Partido, os seus valores e ideais enquanto militante e senador nacional”.

Contudo, cinco dias depois, após reunião do Senado Nacional, que ocorreu no sábado, 12 de outubro, na qual garante terem sido “postos em causa” os seus “valores pessoais” e a sua “atuação política”, nomeadamente quanto à “tradição portuguesa de índole cultural como a tauromaquia e a permanência no ensino da disciplina de educação moral e religiosa católica, alegadamente intitulada de ideais de extrema-direita”, decidiu abandonar o cargo de senador nacional e até o Aliança, desfiliando-se do partido, não se revendo “nos atuais ideais do partido, nem na sua orientação política”.

Aponta como principais razões “o silêncio do partido ou a sua posição radicalmente moderada nesta matéria como em tantas outras” o que “incomodam qualquer pessoa fiel aos seus ideais e valores”, considera.

Rui Paulo Santos sai do Aliança deixando “uma palavra de estima e consideração” aos amigos e colegas que o “acompanharam nesta luta”.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome