Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Setembro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

No Dia da Cidade, Abrantes atribuiu a Medalha de Mérito Municipal às escolas do concelho (C/VIDEO e FOTOS)

A Praça Raimundo Soares, onde se encontra o edifício da Câmara Municipal, foi o palco das cerimónias oficiais do feriado municipal que assinalaram na manhã desta segunda-feira 14 de junho, 105 anos de elevação de Abrantes à condição de cidade. Em 2021, a Câmara Municipal de Abrantes atribuiu a Medalha de Mérito Municipal às escolas públicas do concelho em reconhecimento do “espírito de resiliência, competência e capacidade de adaptação” que a comunidade escolar demonstrou durante a pandemia.

A Cerimónia Oficial do Dia da Cidade teve início com o Hastear das Bandeiras de Portugal, da Cidade e da Comunidade Europeia pelo Presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, pelo Presidente da Assembleia Municipal, António Mor, e pelo Presidente da Junta de Freguesia de Abrantes e Alferrarede, Bruno Tomás. O momento decorreu ao som do Hino Nacional pela voz de Salomé Silveira e com João Vaz na guitarra portuguesa.

No ato solene, pelas mão dos presidente da Câmara foram entregues as Medalha de Mérito Municipal, condecorando os Agrupamentos de Escolas nº1 e nº2 de Abrantes, a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes, a Escola Superior de Tecnologia de Abrantes e a Universidade Aberta.

Esta condecoração foi explicada por Manuel Jorge Valamatos declarando que “num período de excecional dificuldade como o que vivemos, aos nossos diretores de escola, professores, auxiliares e a todos os alunos foram pedidos sacrifícios e colocados fortes entraves aos normais processos de aprendizagem. Um desafio que foi sendo superado com grande resiliência, competência e capacidade de adaptação pela nossa comunidade escolar”.

Cerimónias oficiais do Dia da Cidade de Abrantes, 2021. Créditos: CMA

Atribuindo a superação do desafio à união de Abrantes afirmou ter sido “possível continuar a desenvolver a atividade escolar, impedindo que o futuro de uma geração fosse interrompido de forma abrupta, com consequências difíceis de imaginar”.

Segundo o autarca, graças também à “ligação histórica de grande colaboração entre o Município de Abrantes e as instituições escolares do concelho saiu reforçada, não só pelos desafios que a pandemia nos colocou e coloca, mas também pelo facto de o Município assumir a transferência de competências na educação”.

Aproveitou a ocasião para dar conta de “uma grande aposta na Educação, através de uma escola pública inclusiva, de todos e para todos, que nos permita formar as novas gerações com as competências educativas necessárias”.

Nessa sessão festiva, o executivo liderado Manuel Jorge Valamatos começou por lembrar que a 14 de junho de 1916, Abrantes foi elevada à categoria de Cidade, sendo os 105 anos da cidade celebrados “numa cerimónia simples, ainda com as devidas limitações. Celebramos hoje quem somos, a nossa identidade, o nosso passado com muita esperança no nosso futuro. Celebramos hoje com todos aqueles que diariamente continuam a dar o melhor se si à sua comunidade”.

Cerimónias oficiais do Dia da Cidade de Abrantes, 2021. Créditos: mediotejo.net

A pandemia esteve, por isso, na abertura do discurso do presidente da Câmara, lembrando que “pelo segundo ano consecutivo a nossa comunidade não poderá celebrar este dia tão especial da forma como todos desejaríamos. Esta impossibilidade, foi-nos imposta por uma pandemia à escala mundial, que não nos permite cumprir fisicamente o desígnio da união de que Abrantes é feita, mas nunca nos impedirá de carregarmos em cada um de nós os valores de uma cidade com mais de um século de história, vincados por gente de carácter e que ama esta nossa terra”.

Mas, disse, “depois deste ano e meio, queremos Abrantes de volta à vida, onde se nasce, cresce, trabalha e investe. Onde se respira, transpira e vive. Onde somos felizes”.

Contudo, a primeira palavra de Manuel Jorge Valamatos foi “para todos os Abrantinos espalhados pelo mundo, que carregam em si os valores e o orgulho de serem abrantinos”.

Destacou o “legado e identidade que fazem parte do nosso património imaterial, que temos de continuar a preservar o enorme património material que herdamos”.

Cerimónias oficiais do Dia da Cidade de Abrantes, 2021. Créditos: mediotejo.net

Portanto, neste Dia da Cidade, decorreu a inauguração das obras de Conservação e Restauro do Património Integrado da Igreja de São Vicente e a inauguração das obras de adaptação da Igreja de Santa Maria do Castelo para instalação da Museografia e arquitetura expositiva do Panteão dos Almeida. “Duas intervenções de extrema importância em monumentos muito relevantes para Abrantes”, considerou.

O presidente reafirmou “a salvaguarda, valorização e a divulgação do nosso património cultural, arquitetónico e religioso, que nos permitirá de forma efetiva preservarmos o passado projetando o futuro da nossa cidade, nomeadamente, através do desenvolvimento turístico no nosso território”.

Avançou que “daqui por um mês, inauguraremos o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte. No próximo ano, o Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida; em 2023, o Cineteatro São Pedro e, de seguida, o Multiusos de Abrantes. Obras que reforçarão a nossa rede de equipamentos museológicos e culturais e que servirão de complemento ao nosso reconhecido património religioso”.

Cerimónias oficiais do Dia da Cidade de Abrantes, 2021. Créditos: mediotejo.net

E assumiu novamente o compromisso de “preservação dos valores da coesão territorial, pela conservação da memória, do nosso património cultural e pela afirmação da nossa identidade”.

VEJA AQUI O VÍDEO:  

Na cerimónia foram também homenageados os trabalhadores do Município que celebraram 25 anos de serviço e aqueles que se aposentaram em 2021 “depois de uma vida dedicada ao serviço público”. Este ano, para além dos funcionários dos quadros da autarquia juntaram-se os funcionários não docentes que desempenham funções nas escolas de Abrantes e que devido à transferência de competências na área da Educação integram agora o quadro de pessoal do Município de Abrantes.

Dirigindo-se aos trabalhadores do Município, o presidente referiu as atuais “circunstâncias muito especiais” e disse que “cada um de vós, foi para mim e para o executivo municipal, motivo de orgulho e de motivação para, a todo o tempo, continuarmos a lutar em defesa da nossa cidade e da nossa comunidade”.

ÁUDIO: DISCURSO DE MANUEL JORGE VALAMATOS

Presentes na Praça Raimundo Soares, em Abrantes, além de alguns populares, estiveram ainda entidades militares e forças de segurança e proteção; vereadores; presidente da Assembleia Municipal de Abrantes; presidentes das Juntas de Freguesia; presidente do Centro de Pessoal do Município de Abrantes, entre outras entidades.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome