Sábado, Fevereiro 27, 2021
- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | ‘Percurso Artístico Alfredo Keil’ integra projeto de requalificação do solar dos Monteiro Mor

O projeto de requalificação do Solar dos Monteiro Mor, no Carril, Ferreira do Zêzere, espaço onde Alfredo Keil ensaiou pela primeira vez ‘ A Portuguesa’, inclui a criação de um percurso turístico/cultural denominado de ‘Percurso Artístico Alfredo Keil’.

- Publicidade -

O desabamento da Casa do Ensaio ou solar do Monteiro Mor, no Carril, em meados de fevereiro, foi um dos temas abordados no período de antes da ordem do dia na sessão da Assembleia Municipal de Ferreira do Zêzere realizada no dia 19 no Centro Cultural.

O valor histórico e cultural deste edifício adquirido pela Câmara em 2017, deriva do facto de ter sido ali que se ensaiou pela primeira vez em 1890, a versão para filarmónicas da marcha patriótica “A Portuguesa”, da autoria de Alfredo Keil, que viria a ser adotada em 1911 como hino nacional.

- Publicidade -

O problema do estado de degradação do imóvel foi levantado pela deputada municipal Ana Elisabete Pereira (PS) que perguntou sobre o projeto para o edifício e teceu várias críticas à gestão do processo e à política cultural da autarquia.

Oportunidade para o Presidente da Câmara apresentar o projeto, ainda não em versão final, e explicar o atraso na recuperação do edifício. Já foram apresentadas em 2018 e 2019 duas candidaturas ao Programa Valorizar – Valorização turística do interior, ambas chumbadas. O projeto está atualmente indicado pelo município na identificação de iniciativas estruturantes Médio Tejo 2030.

Imagem do projeto de recuperação do solar. Foto: DR

Para Jacinto Lopes este é o principal problema, “tem faltado financiamento”. É necessário cerca de meio milhão de euros para recuperar o edifício e musealizá-lo, verba que a autarquia só poderia ter recorrendo a empréstimo bancário ou cortando outras despesas, conforme argumentou o autarca.

O presidente da câmara mostrou fotografias do imóvel na altura da escritura pública de aquisição que revelam o seu estado de degradação, agravado com o decorrer do tempo.

Solar dos Monteiro Mor, no Carril, Ferreira do Zêzere. Foto: DR

De seguida mostrou o projeto provisório elaborado pelo atelier de arquitetura Modo que prevê a manutenção da fachada e a recuperação do interior criando no piso térreo espaços de ensaio nas vertentes das artes, um Centro de Interpretação no piso superior dedicado à Sociedade Filarmónica Carrilense, a primeira a ensaiar “A Portuguesa”, uma área dedicada ao compositor e artista Alfredo Keil e outro espaço dedicado ao hino nacional, para além de uma residência artística.

O projeto, que precisa de ser reformulado, como referiu o presidente da câmara, foi desenvolvido em articulação com os descendentes de Alfredo Keil, cujo espólio poderá vir a integrar o futuro espaço cultural.

Em paralelo, há uma proposta do “Percurso Artístico Alfredo Keil”, novo produto turístico desenvolvido por Hélio Antunes, Vereador da cultura.

A ideia passa pela criação de um percurso artístico permanente no concelho de Ferreira do Zêzere com a colocação de painéis ilustrativos, nos vários percursos pela região com que Alfredo Keil se cruzou, trabalhados nas áreas da música, pintura, poesia e lendas.

Imagem do projeto de requalificação do solar. Foto: DR

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).