- Publicidade -
Quinta-feira, Dezembro 9, 2021
- Publicidade -

Constância | Município ergue Monumento aos Combatentes e adia homenagem a António Mendes

O Município de Constância vai erigir um monumento em homenagem aos combatentes do concelho que lutaram por Portugal. A proposta relativa ao projeto de execução da instalação da peça de escultura foi aprovada por unanimidade do executivo camarário. Um monumento “com a devida dignidade” que vai ser erigido no Largo Cabral Moncada, disse o presidente da Câmara Municipal ao mediotejo.net. A homenagem aprovada em 2015 ao Comendador António Mendes, ex-autarca em Constância, “não está esquecida” mas não será neste mandato que será realizada.

- Publicidade -

O processo remonta a 2016, quando no anterior mandato autárquico a Assembleia Municipal de Constância aprovou por unanimidade uma proposta “no sentido de ser construído e erguido um monumento em homenagem aos combatentes do concelho e do país”, relembra o atual presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira, em declarações ao mediotejo.net.

Mais recentemente, em setembro de 2020, a Assembleia Municipal aprovou por unanimidade uma recomendação apresentada pela CDU referente ao monumento aos combatentes, onde se exortava a autarquia para avançar com esta iniciativa o mais breve possível, sublinhando a demora da sua concretização.

- Publicidade -

Já em 2021 chega a sede de reunião de Câmara para aprovação o projeto de execução do respetivo monumento em homenagem aos combatentes do concelho. Com um custo estimado de 2.800,00€, a escultura a ser instalada no Largo Cabral Moncada visa “homenagear todos os combatentes”, refere o autarca Sérgio Oliveira, dando conta de que a peça terá inscrita a frase “Os combatentes de Constância por Portugal”.

O Largo Cabral Moncada (Constância) onde vai ser instalado o Monumento aos Combatentes, foi alvo de obras de requalificação em 2019. DR

“Foi um processo que foi articulado com o núcleo local da Liga dos Combatentes e com a Direção Nacional, portanto a peça final a que se chegou foi do consenso quer da Câmara quer da Liga dos Combatentes”, elucidou Sérgio Oliveira, dando conta de que a escultura “não será um monumento aos combatentes do género a que nós estamos habituados a ver – um maciço em granito, não será isso. Será uma figura de um soldado em aço corten assento num maciço, que será instalado no Largo Cabral Moncada”.

Áudio | Presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira, em declarações ao mediotejo.net:

O presidente da Câmara Municipal de Constância relembra também uma “tremenda confusão” que surgiu com uma iniciada levada a efeito pela Câmara para sinalizar a efeméride da Primeira Guerra Mundial e da Batalha de La Lis, na qual foi colocada uma oliveira e papoilas junto à Zona Industrial de Montalvo.

“Não foi nunca nenhum monumento aos combatentes. Houve aqui uma tremenda confusão que foi feita e alimentada por alguns que nunca correspondeu à verdade e por mais que eu tenha desmentido, parece que na cabeça de alguns mantiveram que aquilo era um monumento aos combatentes, e não é”, disse.

HOMENAGEM A COMENDADOR ANTÓNIO MENDES “NÃO ESTÁ ESQUECIDA” MAS “VAI SER DIFÍCIL” CONCRETIZAR NESTE MANDATO

Em 2015, ano em que o ex autarca António Mendes foi condecorado pelo então Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, com o grau de Comendador da Ordem de Mérito, a Assembleia Municipal de Constância aprovou por unanimidade uma moção em que era recomendado à Câmara Municipal que se erguesse um monumento de homenagem a António Mendes.

Mais tarde, em 2019, aquando o anúncio da renúncia de António Mendes da posição de deputado municipal, a CDU apresentou uma saudação de reconhecimento onde voltou a apelar ao cumprimento da deliberação tomada na moção apresentada em 2015. Já em 2020, a Assembleia Municipal de Constância aprovou uma recomendação da CDU onde exortava a autarquia a avançar com falado monumento.

Em 2015, o então Presidente da República, Cavaco Silva, homenageou o poder local através da condecoração de 15 antigos autarcas, entre eles António Mendes (CDU), sublinhando o contributo decisivo que as câmaras municipais deram para o desenvolvimento do país em 40 anos de democracia. Foto: Global Imagens

Questionado pelo mediotejo.net sobre o ponto de situação relativo a essa homenagem, o presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira, admite que “não está esquecida” mas que, a pouco tempo das próximas eleições autárquicas e “com a situação do Covid que atualmente vivemos, vai ser difícil já neste mandato nós conseguirmos executar essa homenagem”.

“Acho que não existem condições atualmente, atendendo à situação de pandemia que vivemos, para proceder a uma homenagem ao Comendador António Mendes. Desde logo, porque não permite grandes ajuntamentos nem aglomerados de pessoas e eu acho que não tem sentido estar a prestar homenagem a um ex presidente de Câmara apenas com a presença do atual presidente de Câmara, do presidente da Assembleia Municipal e de um ou dois vereadores e os presidentes de junta”, disse Sérgio Oliveira.

Relembrando que a decisão de realizar uma homenagem “não foi tomada neste mandato autárquico”, o autarca sublinha que “existe consenso alargado entre as diversas forças políticas” em como a atual situação pandémica não é o momento ideal para a concretização de tal homenagem. No entanto, o autarca sublinha que “não há o perigo, pelo menos da minha parte não há, independentemente de quem estiver aqui na Câmara, a deliberação está tomada e é para ser executada. Acho que ninguém deve ter receio do tempo passar e da homenagem não ser feita ao ex presidente da Câmara”.

“Existe um largo consenso não só político (…) como da população em geral, que entende efetivamente que o presidente António, concorde-se ou não se concorde com o que fez ou não fez, merece ser homenageado pelos anos de serviço que prestou ao nosso concelho e isso nunca esteve em causa”, diz ainda, afirmando que “muitas vezes agita-se essa bandeira com medo que quem está aqui não lhe queira fazer a homenagem porque ele era da CDU. Não tem nada a ver com isso. (…) Quem está na política com seriedade e com sentido de Estado não pode olhar para estas questões do ponto de vista partidário. Eu nunca olhei para elas do ponto de vista partidário, porque se olhasse do ponto de vista partidário não tinha assumido o compromisso numa Assembleia Municipal que a homenagem era para ser feita”.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome