Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Junho 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Autárquicas | Nuno Guedelha é o candidato da CDU à Câmara de Torres Novas (c/vídeo)

A Coligação Democrática Unitária (CDU), a tradicional união entre o Partido Comunista Português e o Partido Ecologista Os Verdes, apresentou no sábado, 15 de maio, Nuno Guedelha como candidato à Câmara Municipal de Torres Novas e Cristina Tomé à Assembleia Municipal.

- Publicidade -

Num ano eleitoral que se prevê renhido no concelho torrejano, o objetivo principal dos comunistas é recuperar a posição perdida há quatro anos na vereação e reforçar a sua presença na Assembleia Municipal.

Nuno Guedelha, 45 anos, atual deputado municipal, é a aposta da CDU para a Câmara de Torres Novas. Os nomes dos principais cabeças de lista foram apresentados no sábado, numa sessão que decorreu de forma presencial no jardim da liberdade, em Torres Novas, dentro das normas de segurança sanitária. 

- Publicidade -

A abrir, o deputado da Assembleia da República, António Filipe (PCP), referiu a importância de recuperar o lugar no executivo municipal que a CDU deteve durante vários mandatos e perdeu nas eleições de 2017. Frisou ainda o objetivo de reforçar a presença em Assembleia Municipal, onde a CDU possui atualmente dois deputados. 

Na sua intervenção, Nuno Guedelha afirmou assumir a candidatura com “honra” e “responsabilidade”. “Encabeçar uma lista da CDU é comprometermo-nos a trabalhar com honestidade e competência, em prol das pessoas do nosso concelho. É comprometermo- nos a trabalhar e a respeitar, todas as lutas e compromissos, que a CDU tem vindo a defender e a lutar, ao longo dos mandatos anteriores”, referiu.

Apresentou assim seis ideias centrais para a sua atuação: tratar o concelho todo por igual, dar mais força ao movimento associativo, preservar as marcas históricas no nosso concelho e a valorização da identidade cultural, defender o rio Almonda, apoiar novas atividades económicas de âmbito local e incentivar a criação de emprego qualificado, e, na que considerou ser mais “urgente”, facilitar o acesso dos munícipes à Câmara e promover a isenção e a transparência nos processos.

“É com esta candidatura que as pessoas voltarão a ter esperança num futuro de confiança. Nas próximas eleições é possível sonhar com um futuro melhor e só nos cabe a nós, demonstrar aos que de facto decidem, com o seu voto, que podem sonhar connosco. Pela defesa da melhoria das condições de vida da população, com a ambição de um futuro de confiança para Torres Novas”, concluiu.

Nuno Guedelha e Cristina Tomés são os principais cabeças de lista da CDU Foto: mediotejo.net

Em declarações à comunicação social, Nuno Guedelha admitiu que se advinham “tempos difíceis” e que não ficaria bem consigo próprio “se não aceitasse por comodismo”. Considerando o objetivo de eleger de novo um vereador da CDU para a vereação “alcançável”, salientou que concorre sempre na perspetiva de reforçar a força do partido.

O último mandato foi de “estagnação” e os candidatos que já se apresentaram representam o mesmo dos últimos 30 anos, refletiu. A sua equipa quer levar uma “nova visão política” à Câmara de Torres Novas.

Sobre a antecipada “guerra” eleitoral entre Pedro Ferreira (PS), atual presidente, e António Rodrigues (independente), ex-presidente, Nuno Guedelha refere que quer passar ao lado desse tipo de conflitos, realizando uma campanha calma e focada na transmissão do projeto da CDU. Já há mais de uma centena de pessoas nas listas, referiu, sendo os candidatos às juntas de freguesia apresentados oportunamente.

“Ainda falta muito para as eleições”, notou.

Nuno Guedelha é natural de Torres Novas e reside em Marruas, sendo atualmente diretor de segurança no setor privado. Licenciado em Educação e Comunicação Multimédia, tem uma pós-graduação em Gestão e Direção de Segurança. É ainda formador na área das Novas Tecnologias e, desde 2003, presidente do Cineclube de Torres Novas.

O atual candidato é militante do Partido Comunista Português (PCP), membro da comissão concelhia de Torres Novas e da direção da organização regional de Santarém do PCP. No mandato 2013/17 chegou a exercer as funções de vereador, por substituição.

Nuno Guedelha é o quarto candidato torrejano a apresentar-se às autárquicas deste outono. O atual presidente, Pedro Ferreira, tenta uma terceira vitória eleitoral com o PS, tendo este ano a concorrência de António Rodrigues, que avança com o Movimento P’la Nossa Terra. Tiago Ferreira é o candidato do PSD, que já anunciou a coligação com o CDS. 

Ainda não é conhecido o candidato do Bloco de Esquerda, que no último ato eleitoral conseguiu desequilibrar o anterior jogo de forças da câmara torrejana.

Sabe-se que existe uma comissão concelhia do CHEGA, mas ainda não é conhecido um eventual candidato às autárquicas.  

Cristina Tomé concorre à Assembleia Municipal

Cristina Tomé quer tornar a assembleia municipal um verdeiro órgão fiscalizador Foto: mediotejo.net

A atual deputada Cristina Tomé, 55 anos, foi também apresentada como cabeça de lista à Assembleia Municipal de Torres Novas. Na sua intervenção, referiu ser “urgente” transformar o órgão municipal num verdadeiro órgão de fiscalização do executivo, mudando práticas instaladas que limitam a intervenção. Considerou também ser urgente fomentar a participação de população.

Em declarações à comunicação social, Cristina Tomé explicou que a CDU sente que é continuamente interrompida nas sessões de assembleia, num “jogo perigoso” que visa calar a oposição. “Quebram o nosso raciocínio”, frisou, tornando difícil a argumentação e desvirtuando argumentos. “É uma luta todas as assembleias municipais. É muito triste ver o método aplicado, principalmente pelo presidente da Assembleia Municipal”, referiu.

Cristina Tomé é membro da Comissão Executiva do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do sul e Regiões Autónomas, fazendo também parte do Secretariado da União dos Sindicatos de Santarém e do Secretariado da Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens da CGTP-IN. É militante do PCP, membro da Comissão Concelhia de Torres Novas e da Direção da Organização Regional do PCP de Santarém.

Neste momento, a candidata é a única oficialmente conhecida para a Assembleia Municipal de todos os partidos/movimentos que já avançaram com nomes às autárquicas deste ano. 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome