Alcanena | Maus cheiros associados a problemas na ETAR de Alcanena

ETAR de Alcanena. Foto: DR

*notícia atualizada às 19h31 de 17 de julho de 2020

PUB

Face aos maus cheiros que se têm vindo a sentir em Alcanena, o conselho de administração da empresa municipal de águas e saneamento AQUANENA emitiu esta sexta-feira, 17 de julho, um comunicado em que explica a aparente origem do problema e as medidas que estão a ser implementadas para o combater. Segundo a informação, trata-se de um “desequilíbrio na fase de tratamento biológico, associado a uma diminuição dos teores de oxigénio” na ETAR de Alcanena.

Refere o texto, que pode ser consultado no facebook da Câmara Municipal de Alcanena, que “registou-se no início de julho 2020, na ETAR de Alcanena, um desequilíbrio na fase de tratamento biológico, associado a uma diminuição dos teores de oxigénio, cuja
implicação se traduz na existência de odores desagradáveis na instalação e respetiva
envolvente, com o impacto negativo para todos”.

PUB

A AQUANENA tem estado “a envidar todos os esforços no diagnóstico das causas e na procura da solução definitiva, tendo já implementado um conjunto de medidas com carácter de emergência, na ETAR e ao longo de todo o Sistema de Alcanena, para a mitigação da situação atual, após acções para identificação das possíveis causas para o ocorrido”.

Refere a mesma informação que foi realizada uma inspeção das caixas de visita ao longo do coletor, para identificação de possíveis descargas indevidas. Foram feitas também colheitas de amostras em vários pontos na rede de coletores e na ETAR, “tendo-se quantificado, no emissário de Monsanto, valores de HIDROCARBONETOS Totais de 380 mg/L, cuja rejeição no sistema de coletores é INTERDITA, não podendo ser rejeitada qualquer quantidade”.

PUB

“Pelas análises verificadas há registos de chegada à ETAR e do consequente prejuízo
para o funcionamento da ETAR, que tem vindo a ser enfrentado, verificando-se
a existência de uma grave anomalia no funcionamento dos tanques do tratamento biológico, com a redução de oxigénio”, esclarece.

Com vista à recuperação do mesmo, procedeu-se à: gestão do tratamento para a maior retirada de carga dos tanques; reforço na dosagem de oxigénio líquido para o tratamento de sulfuretos; dosagem de bactérias liofilizadas para ativação; reforço da monitorização de gases na vila de Alcanena; contacto com unidades industriais para suspender rejeição ao fim de semana; controlo dos efluentes rejeitados; controlo dos volumes rejeitados e horários; reforço da fiscalização; incremento da desidratação de lamas.

Refere a nota informativa que neste primeiro ano de atividade a AQUANENA tem procurado manter o diálogo com todas as entidades envolvidas.”Continuamos a constatar infelizmente linhas de água poluídas, chaminés a contribuir para a poluição atmosférica e rejeições de efluentes indevidos na rede de colectores”, refere.

“Todo o investimento e esforço diário na ETAR é posto em causa, com estes comportamentos, sendo do conhecimento de todos os utilizadores o regulamento que
se encontra em vigor, para além das boas práticas que devem estar inerentes a qualquer indústria em pleno século XXI. Estamos conscientes de que estas ocorrências afetam em primeira instância a população do concelho, que exige e merece em primeiro lugar que estas ocorrências deixem de existir com soluções rápidas e definitivas”, admite.

A AQUANENA, num texto assinado pelo conselho de administração, que é encabeçado pela presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira, termina a lamentar os incómodos causados à população e “reforça o facto de continuar a realizar todas as medidas que estão ao seu alcance, para uma rápida regularização da situação”.

Na última semana um movimento designado “SOS Alcanena” já se havia manifestado em relação aos maus cheiros que tornam a afetar o concelho, considerando-o um problema de “poluição ambiental e de saúde pública”. Os casos mais recentes associados a maus cheiros ocorreram em 2017 e em 2019, sendo que nos últimos meses a temática da poluição voltou a fazer-se ouvir nas reuniões de câmara e assembleia municipal de Alcanena, com o município a garantir, através da AQUANENA, que está a ser feita fiscalização a todos os casos.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here