Abrantes | Movimento ALTERNATIVAcom faz primeira intervenção na AM e pede esclarecimentos ao Executivo

Vasco Damas durante a sua intervenção na Assembleia Municipal de Abrantes. Créditos. ALTERNATIVAcom

O ALTERNATIVAcom, que se apresentou publicamente no passado dia 11 de novembro, esteve presente na última sessão da Assembleia Municipal de Abrantes, tendo Vasco Damas, em representação do movimento independente, no final da sessão e no período dedicado às intervenções do público, manifestado algumas dúvidas, sobre questões da atualidade, que dirigiu ao presidente da Câmara Municipal, Manuel Valamatos. Em resposta, o autarca foi parco em palavras recusando avançar com explicações por considerar as questões “extemporâneas”.

Tendo o candidato do movimento independente feito notar que “chegámos [ALTERNATIVAcom] com o objetivo de ser parte da solução e ajudar na construção sempre com elevação”, Vasco Damas disse que continuar “sem perceber quais foram os reais motivos que levaram ao cancelamento abrupto e em cima da hora do 180 Creative Camp? Também ainda não percebemos nem fomos esclarecidos em relação ao que se passa com o Encontro Ibérico do Azeite. Continuamos sem perceber nem nos sentimos esclarecidos, como aliás tivemos oportunidade de formalizar através de comunicado, em relação ao que se passou este ano com o Festival de Filosofia de Abrantes”, interrogou Vasco Damas.

O cabeça de lista à Câmara de Abrantes pelo ALTERNATIVAcom garantiu que o movimento independente vai “continuar a acompanhar e a estar atentos em relação a eventuais desenvolvimentos sobre o dossier ‘Jorge Ferreira Dias’. Vamos também continuar a acompanhar as decisões da autarquia em relação ao edifício onde esteve instalado o Mercado Diário de frescos e esperamos que, como já ouvimos por aqui hoje, das palavras se passe às ações e que o objetivo não se fique apenas por gerir o tempo que nos separa das próximas eleições autárquicas”.

PUB

Vasco Damas lembrou que, em comunicado, o movimento endereçou cinco perguntas ao presidente da Câmara e solicitou as devidas respostas. Mostrou também, igualmente em comunicado, a sua “preocupação em relação ao relatório do Tribunal de Contas que é muito duro com a atuação da Câmara Municipal de Abrantes em relação aos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios”.

Em jeito de conclusão, esclareceu que o movimento “não foi constituído contra ninguém e por isso não faz sentido o equívoco na interpretação errada de que somos contra os partidos. Afirmei-o nas várias entrevistas que já tive oportunidade de dar, os partidos fazem parte do processo e estaremos sempre disponíveis para dialogar com eles, isto é, convosco, na procura de consensos ou daquelas que entendermos serem as melhores soluções para o desenvolvimento do concelho porque o nosso partido, reafirmamos, é Abrantes e será sempre focado neste objetivo que trabalharemos com humildade para conquistar a confiança dos abrantinos”.

Houve também tempo, para “dar os parabéns à autarquia pelas iniciativas de natal deste ano. Gosto da sobriedade das iluminações das ruas do centro histórico da cidade que faz jus à máxima em que menos é mais e registamos também com agrado a parceria realizada com uma empresa que permitiu hoje a distribuição gratuita de pinheiros naturais porque estamos convictos que esta iniciativa permitirá levar mais natal para dentro de algumas casas e de alguns espaços comerciais da cidade e do concelho”.

O movimento ALTERNATIVAcom manifestou-se ainda “satisfeito” com as últimas notícias que apontam para que se chegue a bom porto relativamente às negociações que decorrem em torno do Cineteatro São Pedro. Entretanto, esta segunda-feira, em conferência de imprensa a Câmara Municipal anunciou que vai comprar à sociedade comercial Iniciativas de Abrantes o Cineteatro São Pedro, encerrado há quase dois anos.

Assembleia Municipal de Abrantes, na Tagusvalley. Créditos: mediotejo.net

Em resposta, Manuel Valamatos foi parco em palavras recusando avançar com explicações, por considerar as questões “extemporâneas”.

No final de 6 horas de reunião, exclamou: “Parece que não estivemos aqui na Assembleia Municipal desde as 14h30!”. Na sessão que terminou às 20h00 “falámos de todos estes assuntos, fizemos todas estas abordagens. Estas perguntas parecem-me extemporâneas, fora do contexto, e têm a ver com calendários eleitorais e eu não tenho que prestar mais esclarecimentos”, disse.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here