Torres Novas | Jovem condenada por burlar pessoas com cancro fictício

A arguida à entrada do tribunal para a leitura da sentença. Foto: mediotejo.net

Uma jovem de 25 anos, residente em Beselga de Cima, Assentis, Torres Novas, foi condenada pelo Tribunal de Tomar a quatro anos de prisão, com pena suspensa, pelo crime de burla qualificada. A mulher fingiu ter uma doença grave para obter vantagens financeiras através da angariação de fundos solidários. A sentença foi lida esta terça feira, dia 24.

PUB

Entre 2015 e 2017, Jéssica Pinheiro fingiu ter um tumor cerebral, cujo tratamento só existiria na Alemanha, e custava 45 mil euros. Na ocasião foram várias as iniciativas solidárias realizadas para ajudar a jovem, desde recolha de donativos a espetáculos e almoços de angariação de fundos.

O tempo foi passando e como não havia evolução no caso, Jéssica, pressionada pelas constantes perguntas sobre consultas e tratamento, acabou por confessar a farsa. À Polícia Judiciária de Leiria e ao tribunal confessou tudo. Disse que foi pressionada a arranjar dinheiro para pagar uma alegada dívida de droga do anterior namorado.

Esta confissão da arguida, o facto de não ter antecedentes criminais e ter atualmente uma vida estabilizada serviram de atenuantes na sentença, o que levou a juíza a suspender a pena de quatro anos de prisão por igual período.

Foi condenada ainda a pagar 30 mil euros ao IPO – Instituto Português de Oncologia – tem quatro anos para o fazer -, fazer voluntariado numa instituição hospitalar em número de horas a definir pela Direção Geral dos Serviços Prisionais e a pagar as custas do processo.

PUB

A juíza deu como provados todos os factos da acusação, considerando “muito grave” o comportamento da arguida ao “criar uma doença fictícia”, encenação que manteve “durante um longo período de tempo” ao ponto de rapar o cabelo.

Segundo a história inventada pela arguida, em julho de 2015 foi-lhe diagnosticado um tumor cerebral (gliobastoma grau IV), cujo tratamento só existiria na Alemanha e custava 45 mil euros.

Para se arranjar esta verba, várias pessoas mobilizaram-se e organizaram recolha de donativos, almoços solidários e espetáculos, como por exemplo um almoço solidário promovido pela coletividade de Beselga de Cima a 6 de março de 2016, um espetáculo com vários artistas na Casa do Povo de Amiais de Baixo a 7 de novembro de 2015, e uma noite de fados no Pavilhão Multiusos de Porto Santo a 15 de novembro de 2015.

Ao mesmo tempo foi criada uma página no facebook de apoio a Jéssica (entretanto apagada), com a divulgação do NIB e do IBAN para onde poderiam ser depositados os donativos.

O rasto da burla foi sendo apagado mas ainda é possível aceder a informação sobre alguns dos eventos solidários.

PUB
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here