Tomar | Pedro Milagaia, 17 anos: “Sou gay. Se és contra a homofobia, abraça-me” (c/vídeo)

No Dia Internacional da Luta contra a homofobia, Pedro Milagaia, um jovem de 17 anos, foi para a Praça da República, no coração de Tomar, pedir abraços a quem passava. Porque é gay. Porque já o assumiu. Porque acha que tem o direito a ser feliz com esta verdade: “Se um homem pode ser feliz com uma mulher, porque é que um homem não pode ser feliz com outro homem?”. A assistir a esta “pedrada no charco” encontrava-se a sua mãe. Apoia-o mas prefere reservar a sua imagem. Sabe que o preconceito existe mas, como qualquer outra mãe, só quer que o filho seja feliz.

PUB
Tomar | Pedro Milagaia, 17 anos: "Sou gay. Se és contra a homofobia, abraça-me" (c/vídeo)
Joana Marques e Pedro Milagaia, alunos da Escola Profissional de Tomar, durante a ação de sensibilização na Praça da República Foto: mediotejo.net

Aluno da Escola Profissional de Tomar, aproveitou o Clube de Ideias, para dinamizar esta ação de sensibilização a favor do respeito pela diversidade sexual e contra a violência e o preconceito. Com ele trouxe reforços: Joana Marques, que frequenta a mesma escola, lésbica assumida, e também alguns colegas que distribuíram mensagens a quem passava para promover a defesa dos direitos humanos, em particular os dos membros da comunidade LGBT (lésbica, gay, bissexual e transgénereo) portuguesa.

Tomar | Pedro Milagaia, 17 anos: "Sou gay. Se és contra a homofobia, abraça-me" (c/vídeo)
Pedro e Joana começaram por contar que eram bissexuais antes de assumirem a sua homossexualidade Foto: mediotejo.net

A história de Pedro conta-se em decisões. Uma história complicada, assume em conversa com o mediotejo.net. “Ao início, estava a tentar perceber se gostava ou não de rapazes. Entre os 12 e 15 anos tentei namorar com raparigas mas senti que não era isso que me faria feliz. Até que comecei a namorar com um rapaz e, desde aí, comecei a interessar-me por rapazes”, conta. Andava escondido, em casa refugiava-se no quarto, não contava a ninguém com medo da reação dos familiares e amigos. “Pensava como é que iria contar isto à minha mãe, que sempre desejou ter netos”, revela.

Tomar | Pedro Milagaia, 17 anos: "Sou gay. Se és contra a homofobia, abraça-me" (c/vídeo)
Jovens receberam abraços e palavras de incentivo por parte de algumas pessoas que passaram Foto: mediotejo.net

A decisão em assumir a sua opção sexual surge, em 2016, após ver a reportagem “E se fosse consigo?” na televisão SIC sobre homofobia que o comoveu. “Deu-me força, sobretudo pelos comentários negativos. Nesse mesmo dia, Dia Internacional da Luta contra a Homofobia, contei aos meus pais. Aos meus amigos contei que era bissexual, porque gozavam menos”, indica. Desde que “saiu do armário” a vida de Pedro mudou sendo que, após o choque inicial, contou com o apoio importante da mãe. “Quatro dias depois desse dia, coloquei um post no facebook com essa reportagem e assumi-me. Estava a sentir-me esgotado, tinha pensamentos suicidas, que me estavam a destruir. Pensei que se sou feliz ao lado de um homem as pessoas só têm que me respeitar”, recorda.

Tomar | Pedro Milagaia, 17 anos: "Sou gay. Se és contra a homofobia, abraça-me" (c/vídeo)
Pedro e Joana uniram-se na mesma causa: lutar contra a discriminação sexual Foto: mediotejo.net

O percurso de um ano, para quem em idade tão jovem assume que é diferente da maioria, não tem sido fácil. Vivendo num meio pequeno e interior, numa aldeia próxima de Tomar, ouviu comentários menos agradáveis até porque era algo novo nesse ambiente. Viu amigos e familiares a afastarem-se. Chegou a cortar-se e a receber ameaças. Tinha medo de ir para a escola. “Agora vejo que não eram amigos, não me faziam falta. Porque os amigos estão nos bons e maus momentos”, diz agora.

Na escola, por outro lado, foram mais complacentes. Quando apresentou esta ideia à sua professora, esta concordou logo. “Disse que gostava de fazer um cartaz e um vídeo para ver a reação das pessoas. Peço um abraço porque é o carinho. É algo que me faz sentir bem. Um aconchego. Claro que me custa assumir-me às pessoas que têm uma mentalidade fechada mas os comentários negativos só me dão mais força para lutar”, refere.

Tomar | Pedro Milagaia, 17 anos: "Sou gay. Se és contra a homofobia, abraça-me" (c/vídeo)
Pedro Milagaia assumiu ser gay aos 16 anos Foto: mediotejo.net

Joana Marques começou a sentir-se atraída por raparigas com 11, 12 anos. “Comecei a perceber isso à medida que o tempo passava. A minha mãe começou a perceber. Ao princípio dizia que era bissexual, com medo do choque. Depois, comecei a perceber que era mesmo só de raparigas que gostava. Comecei por contar à minha melhor amiga e só depois à minha mãe. Primeiro não aceitou mas agora diz que se é assim que sou feliz que me aceita”, conta. Joana não conhecia o Pedro mas hoje já são amigos. “Sofria o mesmo problema de descriminação e decidi juntar-me a ele e dar-lhe este apoio”, conta.

Estes jovens pretendem despertar consciências e passar uma mensagem com esta exposição pública, nunca antes vista em Tomar: “Não devemos ligar ao que os outros dizem ou pensem. Para ser felizes, temos que ser nós próprios. Lutem por aquilo que querem. Todos temos direito a ser felizes e o respeito é a coisa mais bonita que se pode ver”.

Veja o vídeo:

Tomar /Alunos gay em ação contra o preconceito sexual no Dia da luta contra a homofobia

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 17 de Maio de 2017

 

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here