Abrantes | Uma história metafórica sobre as debilidades da democracia no “Vidas por Fios” de José Martinho Gaspar

José Martinho Gaspar lança o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes. Com Carla Dias. Créditos: mediotejo.net

O professor de História José Martinho Gaspar apresentou na quinta-feira, em Abrantes, o livro “Vidas por Fios”, o seu primeiro romance que é uma história metafórica, desenvolvida de forma algo caricatural, sobre a vida de um rapaz entre a ditadura e a democracia com a revolução dos cravos pelo meio que às páginas tantas se desmorona.

Autor de contos, de um livro sobre a sua aldeia ‘Água das Casas’ e até de um conto para a infância, José Martinho Gaspar escreveu o seu primeiro romance, que iniciou com 100 páginas, para depois desenvolver as restantes, a pensar na sua experiência de vida “na imaginação de um rapaz que estudou numa escola primária que já fechou há muito tempo, na Matagosinha”, no concelho de Abrantes.

José Martinho Gaspar lançou o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, esta quinta-feira, dia 13 de fevereiro. O autor confessa “brincar com as palavras”. Tenta “torná-las sedutoras, bonitas às vezes, como acontece nesta história, ainda que a história seja feia”. As coisas feias “ditas de certa forma também se podem tornar bonitas e acho que a literatura também passa por aí”.

PUB
José Martinho Gaspar lança o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Trata-se da obra vencedora da edição de 2019 do Prémio Nacional de Literatura Lions de Portugal. José Marinho Gaspar explica que “para que tenha sido possível esta edição, foi assinado um protocolo de colaboração entre a editora e o Lions de Portugal”.

A obra “é uma metáfora do nosso tempo, onde o mérito é amiúde secundarizado, onde se afirmam protagonistas improváveis e onde o espaço político abre espaço à teatralização ou a anedotas sofríveis”, afirma o autor.

PUB

Ou seja, uma história metafórica “sobre as debilidades da democracia representativa. À leitura deste livro está implícita a ideia de compadrio, nepotismo, corrupção, manipulação chico-espertismo que vemos por aí muitas vezes, de gente que passa o tempo a alimentar cobardias para se servir a si próprio” uma expressão do escritor José Saramago que José Martinho Gaspar utilizou para definir o seu livro, sendo esta “uma história toda ficcionada”.

José Martinho Gaspar afirma escrever “por paixão” desafiando-se a si próprio em várias áreas e nota que esta obra abre com a ideia de que o livro em papel “tem uma tecnologia extraordinária: junta letras que se transformam em palavras e por aí fora. E depois não é preciso ligá-lo à corrente, nós abrimo-lo colocando um marcador e já estamos no sítio certo e depois o programa que está cá dentro é diferente para cada um de nós”.

José Martinho Gaspar lança o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

O autor encontrou a sua inspiração no passado, até porque a “realidade é uma boa fonte de inspiração porque muitas vezes supera a ficção e temos de criar estas histórias caricaturais. Não é muito difícil!”, afirma.

O livro divide-se em duas parte; a primeira no mundo rural e a segunda no mundo urbano. “Também é muito do que eram as nossas aldeias e das memórias que temos dessas aldeias, sobre um mundo rural que está a desaparecer, que precisamos de registar em termos patrimoniais, material e imaterial, e essa ligação à história e ao património está sempre presente”, explica.

Para José Martinho Gaspar “a vida é feita de fios que às vezes são teias, que às vezes são redes, fios que às vezes são teceduras para tecer mantas bonitas, para entrelaçar capachos e seiras, para tecer as nossas vidas mas também para nos pendurar nestas engrenagens e que fazem de nós marionetas”, referiu, apontando para os fios suspensos na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes.

José Martinho Gaspar lança o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

José Martinho Gaspar nasceu em Água das Casas, Abrantes, em 1967. Licenciou-se em História na Universidade de Coimbra, onde também concluiu o mestrado em História Contemporânea, no âmbito do qual publicou ‘A Primeira República em Abrantes: Evolução Política e Acção Laicizadora’ e ‘Os Discursos e o Discurso de Salazar’.

Particularmente interessado por história local, coordena o Centro de Estudos de História Local de Abrantes, onde dirige a revista Zahara há 17 anos. Amante de livros, bibliotecas e documentos antigos, fez uma pós-graduação em Ciências Documentais – Arquivo. Professor de História de profissão, encontrou na escrita uma paixão.

José Martinho Gaspar lança o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Em 2012, iniciou-se na ficção com o livro de contos ‘Histórias Desencantadas’; em 2015, trouxe a público uma obra que lhe saiu do coração, ‘Água das Casas: Memórias de Uma Comunidade’, e estreou-se na literatura para a infância com ‘Um Mundo Quadrado: Visto Aqui Deste Lado’; em 2016, publicou ‘Sport Lisboa e Abrantes/Sport Abrantes e Benfica: 100 Anos’; voltou aos contos em 2017, com ‘Histórias de Ter de Ser’. Do livro sobre a sua aldeia diz ser “o mais reconfortante” de todos os livros que escreveu.

A apresentação da obra esteve a cargo de Carla Dias, atriz e educadora/mediadora cultural, tal como José Martinho Gaspar, docente na Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, no Curso Profissional de Artes do Espetáculo.

A apresentação do livro mereceu sala cheia, numa noite que iniciou com a atuação de quatro alunas do Curso Básico de Música do 8º ano, coordenadas pelo professor Gonçalo Sousa e terminou com uma sessão de autógrafos.

O livro encontra-se à venda por 13,50 euros.

José Martinho Gaspar lança o seu romance “Vidas por Fios”, com a chancela da editora Guerra & Paz, na Biblioteca da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here