Voz aos Autarcas: Fernando Freire, Vila Nova da Barquinha

Igreja Matriz de Atalaia (Foto: CMVNBarquinha)

Pela sua localização geográfica junto ao nó da A23 com a  A13 e servido pela linha de caminhos-de-ferro, e pela sua história, o nosso concelho tem uma magnífica centralidade e é detentor de um vasto e rico património natural, arqueológico e arquitetónico.

PUB

No período da Reconquista Cristã, foram aqui erguidas fortificações, cujo melhor exemplo é o Castelo de Almourol, monumento que é o nosso ex-líbris, assim como a Igreja Matriz de Atalaia, edificada em 1528, uma obra de João de Ruão e João de Castilho, construtores com 3 edificações premiadas pela Unesco e que constam da Lista do Património Mundial: Mosteiro da Serra do Pilar, Convento de Cristo e Mosteiro dos Jerónimos.

A beleza das margens ribeirinhas do Rio Tejo, desde o Cafuz até à Cardiga, oferecem ao visitante a possibilidade descobrir um território de rara beleza patrimonial e natural. Desde os estaleiros donde partiu a armada para a conquista do norte de África em 1415, passando pela Foz do Zêzere, Praia do Ribatejo, Almourol, Tancos e Parque Ribeirinho, há abundante fauna e flora para encontrar e apreciar as belíssimas paisagens rurais e ribeirinhas.

PUB

Mas “ninguém ama o que desconhece”. Portanto, temos de perceber que a valorização do património arqueológico, edificado, móvel e integrado, imaterial e paisagístico, e até do rico associativismo presente nas nossas comunidades são um recurso económico que deve ser aproveitado, divulgado e valorizado.
É isso que está a acontecer neste mês de junho nosso concelho.

Foi a festa Kuri Kuri, o Campeonato Nacional de Motonáutica, a Feira do Tejo, o Campeonato Nacional de Canoagem, a Festa Templária em Almourol, que trouxeram milhares de visitantes ao nosso concelho e à nossa região.

Isso implica promover a animação e a implementação de eventos de desenvolvimento de iniciativa e base local, regional e nacional. O nosso concelho constitui-se como um território onde importa continuar a dinamizar a cultura e o lazer, onde interessa fortalecer as associações – as nossas forças vivas – estimulando o seu funcionamento em rede.

Só com a promoção e realização de eventos regulares de dimensão regional e nacional podemos contribuir para o incremento de oportunidades oferecidas à comunidade, à restauração e ao turismo e dar a conhecer aquilo que amamos.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here