Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

VOZ AOS AUTARCAS: ANABELA FREITAS – TOMAR

Poderia dizer-se que o concelho e a cidade de Tomar dispensa apresentações, contudo parece-nos uma afirmação demasiado pretensiosa, apesar da sua extraordinária riqueza histórica e excelente localização geográfica.

Riqueza que foi acumulada ao longo dos séculos porque o ser humano descobriu, há milhares de anos, nestas paragens de várzeas e bosques as condições naturais para se fixar e dar o melhor uso aos recursos que aqui encontrou.

Entre o Nabão e o Zêzere ainda muita história haverá para contar. Da Pré-história, passando pelo império Romano, Visigodos, Árabes, Judeus todos nos deixaram um pouco de seu que posteriormente a missão gregária de Gualdim Pais, vindo de Ceras, utilizou para edificar o castelo de Tomar.

Com foral atribuído, e mais tarde reafirmado, Tomar sede da Ordem dos Templários (Ordem dos Pobres Cavaleiros do Templo), seguidamente da Ordem dos Cavaleiros de Cristo, no emergente Reino do Ocidente da Península Ibérica, foi contruindo, a par das mais nobres e destemidas parcelas do território, a História que honra o país aquém e além-mar, sendo sede matriz de todos os territórios do ultramar.

Resistindo às invasões francesas, e impulsionado pela dinâmica dos novos tempos e a coragem dos homens e das mulheres o concelho viu a nobre vila ascender à categoria de cidade e viver uma pujança industrial impar no dealbar do século XIX para o século XX que se prolongou até ao último quartel deste.

Nomes grados da cultura nacional (Fernando Lopes Graça), a riqueza das tradições (Festa dos Tabuleiros) e a monumentalidade (Convento de Cristo), são a par das emergentes rotas do conhecimento, através do Instituto Politécnico de Tomar, apenas alguns exemplos de um concelho e cidade apetrechados para o futuro. Meios que partilha com os seus vizinhos do Médio Tejo “o coração” de Portugal e dos melhores recursos que existem no contexto nacional.

E porque os tempos o exigem, num compromisso abraçámos a mudança como imperativo geracional e territorial e estamos a consolidá-la sem urgência precipitada mas com a necessária firmeza, porque a região também o merece!

 

Presidente da Câmara Municipal de Tomar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here