Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

A VOZ AOS AUTARCAS: FERNANDA ASSEICEIRA

Quero começar por felicitar o projeto mediotejo.net, publicação digital regional que permitirá dar a visibilidade e valorização necessárias à Região do Médio Tejo, de uma forma geral, bem como a todos os 13 concelhos que a integram, em particular.

É uma nova ferramenta à disposição de todos, e que dará a conhecer de forma integrada, toda a informação sobre os principais acontecimentos, dinâmicas e eventos que se vão realizando neste território vasto e diverso, características que o tornam tão rico.

Enquanto autarca num dos concelhos deste território, o concelho de Alcanena, regozijo-me pelo facto deste projeto permitir também dar “Voz aos Autarcas” que, contra as várias adversidades que vão surgindo no dia-a-dia, vão resistindo e lutando na defesa dos interesses dos seus territórios e das suas populações.

O concelho de Alcanena é formado por sete freguesias (5 freguesias e duas Uniões de Freguesias) e possui, segundo os resultados dos Censos 2011, 13.868 habitantes. É um concelho marcado por uma grande variedade paisagística e geomorfológica, onde se encaixa a Bacia Hidrográfica do Rio Alviela, a mais importante nascente cársica do país.

Em termos económicos, Alcanena é um concelho de forte implantação industrial, prevalecendo largamente a indústria de curtumes, pois é aqui que se encontram instaladas mais de 90% das unidades fabris deste ramo existentes em todo o país. A importância histórica e económica desta indústria na região levou a que Alcanena se tornasse na “Capital da Pele”, título que adotou desde o ano 2011, ano em que se realizou a I Edição da Expopele, uma feira onde se encontram representados todos os principais intervenientes da fileira dos curtumes.

Para além da indústria de curtumes, há ainda que referir, também, a importância da indústria têxtil, predominante na zona norte do concelho, nas freguesias de Minde e de Serra de Santo António.

Este é um concelho privilegiado em termos de localização. A sua centralidade e a proximidade às principais vias de comunicação, nomeadamente a A1 e a A23, vias de acesso nacional e internacional, respetivamente, conferem-lhe a possibilidade de vir a beneficiar da implantação de um Parque de Desenvolvimento Empresarial, que depende da Revisão do Plano Diretor Municipal, projeto estruturante que a Câmara Municipal de Alcanena espera ter concluído ainda durante o primeiro semestre do próximo ano 2016.

A forte predominância da Indústria dos Curtumes já referida, exige um grande investimento em termos de infraestruturas que permitam minimizar os efeitos desta indústria em termos ambientais. Para isso, iniciamos durante este ano 2015, uma das principais obras realizadas no concelho de Alcanena, quer pela sua importância ambiental, quer pelo valor monetário envolvido.

Trata-se da obra de “Remodelação da Rede de Coletores de Águas Residuais do Sistema de Alcanena”, um projeto que envolve um investimento de cerca de seis milhões de euros e representa um virar da página na questão do passivo ambiental do concelho e que deve estar concluído até final de 2015.

Não poderia ainda deixar de manifestar aqui outro aspeto muito importante em relação ao concelho de Alcanena e que se refere ao seu grande dinamismo associativo, nomeadamente, cultural, social, desportivo e ambiental. Também a Câmara Municipal tem tido um papel importante no apoio que presta a todas as coletividades e que representa cerca de 250.000,00 euros do orçamento total anual do Município.

O Município de Alcanena, que se encontra a cumprir os objetivos propostos com o Plano de Saneamento Financeiro, aprovado em 2011, tem vindo a reduzir significativamente o endividamento liquido, consolidou o passivo a curto prazo e encontra-se em situação de cumprimento ao nível dos limites impostos pelas sucessivas leis, relativamente ao limite da divida total e ao prazo médio de pagamento a fornecedores e despesas com pessoal.

A execução orçamental tem revelado situação de equilíbrio orçamental o que quer dizer que com parte do valor gerado de receitas correntes se efetua investimento.

Derivado a este equilíbrio orçamental, foi possível ao município a não aplicação da taxa máxima de IMI, tendo sido aprovada a taxa de 0.425%, tendo inclusivamente criado condições para a redução da mesma Taxa, às famílias com 1,2 e 3 ou mais dependentes a cargo, na ordem dos 10, 15 e 20%, respetivamente.

Tal melhoria financeira também teve reflexos no que diz respeito à credibilidade do Município perante as instituições financeiras.

Ao nível dos fornecedores, existem melhorias significativas na capacidade de negociação com os fornecedores por se estarem a efetuar os pagamentos num curto espaço de tempo.

Por tudo isto, não poderei deixar de afirmar que, Vale a pena viver em Alcanena!

Podemos concluir que com determinação e competência estamos no caminho certo, para que o concelho de Alcanena se vá afirmando como um território sustentável do ponto de vista ambiental, económico e social… Um território atrativo em que as pessoas se sintam bem a Viver.

Pelas suas características e dinâmicas, o concelho de Alcanena contribui também para a valorização da região do Médio Tejo.

 

Presidente da Câmara Municipal de Alcanena

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here