Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha | Vídeoclip com idosos soma milhares de visualizações

Numa semana, o vídeo com idosos da Fundação Dr. Francisco Cruz, onde aparecem a dançar um tema musical do popular cantor Toy, soma mais de 44 mil visualizações.

- Publicidade -

O vídeo, conduzido pelas técnicas Rita Limede e Tânia Roque, foi realizado no âmbito das sessões semanais de expressão dramática e corporal com os utentes daquela instituição de apoio a idosos com sede na Praia do Ribatejo, concelho de Vila Nova da Barquinha,

Tendo como banda sonora o tema de “Coração não tem idade (vou beijar)”, os protagonistas, trajados a rigor, dançam de forma divertida e criativa.

- Publicidade -

Partilhado no facebook, o vídeo, além dos milhares de visualizações, conta com mais de uma centena de comentários, todos eles de congratulação e incentivo.

A assistente social e professora de teatro Tânia Roque e a animadora da instituição, Rita Limede, gostavam que o vídeo chegasse ao cantor Toy para saber qual a sua reação, mas até ao momento não conseguiram atingir esse objetivo.

Explicam as técnicas que “este vídeo foi criado a partir de um espaço de criatividade, onde os participantes foram convidados e estimulados a criar, a entrar em contacto com novas formas que os fazem levar para um imaginário que não está longe da realidade”. Porém, ressalvam, “o nosso principal objetivo além da manutenção das competências sociais é a Felicidade”.

Ao criarem o vídeo procuraram criar “um espaço de liberdade e de criatividade que permite aos idosos serem felizes no momento da criação, que os afasta da realidade diária que os acompanha nesta fase da vida”.

Em suma, “a Arte não tem idade”.

A Fundação foi instituída em 1966 pelo legado do benemérito Francisco Cruz que, deixou vontade de ver criado “um asilo para velhos e inválidos do trabalho de ambos os sexos, para uma creche de crianças pobres, estas e aquelas naturais da freguesia da Praia do Ribatejo”.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome