VN Barquinha | Uma sessão da Assembleia Municipal que fica para a história de Abril

Vila Nova da Barquinha foi dos poucos Municípios a realizar sessão da Assembleia Municipal numa altura em que o país está em estado de emergência, com todas as restrições associadas. Na noite de 24 de abril, decorreu no salão nobre da câmara e em casa dos eleitos da Assembleia Municipal uma sessão “que fica para a história” como o próprio Presidente da mesa, António Augusto Ribeiro, reconheceu.

PUB

PUB

Primeiro pela data simbólica que se estava a assinalar, véspera da revolução de Abril, depois pela forma como decorreu, com recurso a uma plataforma digital (jitsi.org), o que constituiu um feito inédito.

Poucos minutos antes das 21 horas, a azáfama dos técnicos de informática era grande no salão nobre, onde só estavam os elementos da mesa da Assembleia Municipal: Presidente, António Augusto Ribeiro (PS), 1.º Secretário, João Manuel Alves Gralha (PS) e 2.º Secretário, Maria de Fátima Martins (PS), além do jornalista do mediotejo.net. O Presidente da Câmara, Fernando Freire, acompanhou a sessão e respondeu às questões no seu gabinete, uma sala próxima do salão nobre. De resto, Presidentes de Junta e restantes deputados municipais estavam no conforto das suas casas a viver um momento inédito.

PUB

Testavam-se câmaras e som, confirmavam-se as presenças e procediam-se aos últimos acertos técnicos. Há que resolver alguns problemas de rede, por vezes falha o som, falta alguns eleitos escreverem a sua identificação na plataforma, problemas que vão sendo resolvidos.

A rede fica sobrecarregada e pede-se aos eleitos que desliguem as câmaras e fiquem apenas com o som ligado. Em casa de alguns deputados a rede também é fraca. Pede-se que desliguem outros aparelhos que estejam ligados à internet, de modo a que não haja cortes.

Num ambiente descontraído antes do início da sessão, alguns eleitos manifestavam a sua alegria por rever amigos autarcas que não viam há semanas, ainda que através de um ecrã.

Com alguns minutos de atraso, o Presidente da mesa dá início à sessão. O regimento do órgão prevê apenas a gravação áudio. Uma vez que a sessão estava a ser partilhada numa plataforma vídeo foi necessário colocar à votação se os eleitos concordavam ou não com a gravação vídeo, o que era inédito em Vila Nova da Barquinha. Aprovado por unanimidade.

Outra alteração é que não havia presença de público. Aos cidadãos que quisessem colocar questões foi-lhes fornecido um email específico, mas não houve inscrições.

Durante uma hora e 50 minutos, os eleitos da Câmara e Assembleia Municipal de Vila Nova da Barquinha, debateram os assuntos agendados, numa sessão em que o 25 de Abril e a pandemia de covid-19 foram os temas dominantes.

No final, técnicos e eleitos respiravam de alívio. “Vá lá, vá lá, isto até correu bem”.

PUB
PUB
José Gaio
Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).