Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha | Queda de chaminé devido ao mau tempo provoca um ferido grave (C/ÁUDIO)

O concelho de Vila Nova da Barquinha foi, à semelhança do Entroncamento, muito afetado pelas chuvas fortes, vento e granizo que se fizeram sentir na noite de ontem, dia 15 de junho. Além da queda de árvores no parque ribeirinho e de inundações, o mau tempo provocou um ferido grave devido à queda de uma chaminé e causou também prejuízos significativos na agricultura, nomeadamente na produção de tomate e milho.

- Publicidade -

O espaço de tempo foi curto mas suficiente para deixar rasto. “A tempestade tropical ocorreu durante cerca de quinze minutos, com ventos fortes, chuva intensa e granizo, que provocou danos colaterais quer em termos de edificado quer também na agricultura e também quedas de árvores significativas na zona do parque ribeirinho de Vila Nova da Barquinha, que partiram devido à ventania ocorrida”, explanou o presidente da Câmara Municipal, Fernando Freire, ao mediotejo.net.

A situação mais grave aconteceu na freguesia da Atalaia, onde um munícipe foi atingido pela queda de uma chaminé, devido à intensidade do vento.

- Publicidade -

“Estava a recuperar uma casa e apercebendo-se que uma porta de um anexo tinha sido aberta foi tentar fechá-la. Nesse ínterim é quando passa uma ventania que derruba a chaminé que estava a ser recuperada”, conta Fernando Freire, adiantando ainda que o munícipe, em estado grave, foi transportado ao Hospital de Abrantes, onde durante a madrugada foi alvo de intervenção cirúrgica.

ÁUDIO | Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha

Neste momento, adianta o autarca, o homem encontra-se estabilizado e fora de perigo. Para este acidente foram mobilizados oito elementos dos bombeiros voluntários de Vila Nova da Barquinha, apoiados por duas viaturas, e ainda pelo INEM.

Além desta situação, o presidente do município barquinhense destaca ainda danos materiais “significativos”, nomeadamente no que diz respeito à agricultura. “Há muita atividade agrícola entre a Quinta da Cardiga e a Barquinha e toda essa zona foi altamente afetada, com prejuízos significativos quer na zona do tomate quer no milho. A pedra foi muita e provocou danos na agricultura”, expôs.

Ao nível do concelho, os serviços municipais de proteção civil foram ainda chamados a acorrer a situações de pequenas inundações e queda de árvores “sem gravidade e todas elas resolvidas”, sublinha Fernando Freire.

No conjunto das operações levadas a cabo na noite de terça-feira, 15 de junho, foram mobilizados 18 operacionais dos bombeiros de Vila Nova da Barquinha e quatro viaturas, bem como três membros do serviço de proteção civil municipal.

Hoje, é dia de fazer contas à vida e aos danos. O presidente da Câmara Municipal da Barquinha salienta, no entanto, que tempestades tropicais como a de ontem são um “problema significativo” que tem tendência a ocorrer cada vez com maior frequência e intensidade.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome