Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha | PIPP já regressou à escola para segundo ano letivo no concelho

O Projeto-Piloto de Inovação Pedagógica (PIPP) já regressou à escola para o segundo ano em que é aplicado junto da comunidade escolar barquinhense. Os alunos dos sete estabelecimentos de ensino que compõem o Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha preparam-se para o primeiro semestre e as atividades letivas de 2018/19 arrancaram no passado dia 12 de setembro. Pela frente têm cerca de oito meses marcados pelas especificidades do programa inovador de combate ao insucesso escolar.

- Publicidade -

- Publicidade -

O ano letivo 2018/19 arrancou no concelho com o início das atividades letivas na passada quarta-feira, data em que os alunos dos Jardins de Infância de Atalaia, Moita do Norte, Vila Nova da Barquinha – este ano completamente renovado – e Tancos, da escola do Jardim de Infância e 1º Ciclo da Praia do Ribatejo, da Escola Ciência Viva e da Escola 2 / 3 e Secundária D. Maria II foram recebidos para apresentações e visitas às instalações que vão fazer parte do seu quotidiano nos próximos tempos.

É também nestes estabelecimentos de ensino que volta a ser aplicado PIPP, o programa nacional de combate ao insucesso escolar em que cada agrupamento concebeu a sua estratégia e entra agora no segundo ano de aplicação no terreno. Os estudantes voltam a estar distribuídos por dois hexaciclos, ciclos que englobam seis anos de escolaridade, e os pais continuam a poder acompanhar o percurso escolar dos filhos através de uma aplicação informática.

- Publicidade -

Escultura alusiva ao PIPP, inaugurada no final de abril de 2017. Foto: mediotejo.net

Até ao regresso dos dias em que os desenhos dos alunos mais novos e as fotografias nas redes sociais dos mais velhos começam a ter mar azul, toalhas de praia e chapéus de sol coloridos, passam cerca de oito meses divididos em dois semestres e nos quais se procuram atingir os objetivos estabelecidos nos Contratos Pedagógicos Individuais, elaborados em conjunto por professores, alunos e famílias. O fim do primeiro semestre está marcado para 25 de janeiro de 2019 e o segundo decorre entre 04 de fevereiro e 20 de maio / 21 de junho, consoante o ano de ensino.

Também as pausas do material escolar voltam a ser diferentes das do utilizado pelos alunos nos restantes concelhos da região do Médio Tejo e da maioria do país. Com o PIPP – implementado também nos agrupamentos de escolas Freixo (Ponte de Lima), Cristelo (Paredes), Marinha Grande Poente (Leiria), Fernando Casimiro Pereira da Silva (Rio Maior) e Boa Água (Sesimbra) – estão previstas cinco interrupções letivas com início em outubro, dezembro, janeiro, março e abril.

A Escola D. Maria II é a sede do Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha. Foto: DR

Começa agora um novo capítulo da história que teve como primeiro o convite da Direção-Geral da Educação (DGE) em agosto de 2016 ao Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha para integrar a lista dos seis abrangidos pelo novo programa nacional de combate ao insucesso e ao abandono escolar que permitia a cada agrupamento desenvolver a sua estratégia, tendo como ponto de partida as especificidades da respetiva comunidade educativa.

As linhas de ação orientadoras – diversificação e gestão curricular, articulação curricular, inovação pedagógica, organização e funcionamento interno e relacionamento com a população – foram seguidas e o projeto foi colocado em prática no ano letivo de 2016/17, envolvendo a reorganização de programas, turmas, horários, matriz e calendário escolares. Mudanças que foram sentidas pelos cerca de 850 alunos e respetivos pais, tal como o pessoal docente e não docente.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome