Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

VN Barquinha | Nova empresa interessada em instalar-se no Centro de Negócios de Atalaia

Há uma nova empresa a surgir e que pretende fazê-lo no Centro de Negócios de Vila Nova da Barquinha, localizado na freguesia de Atalaia. Nesse sentido, o executivo camarário deliberou favoravelmente a aquisição de quatro lotes por parte de uma sociedade que pretende investir e desenvolver no concelho a sua atividade na área do mobiliário.

- Publicidade -

- Publicidade -

Trata-se de “uma sociedade que tem por objeto a comercialização, distribuição, importação e exportação de artigos ecológicos e inovadores” na área do mobiliário, referiu o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, Fernando Freire (PS), na sessão do executivo camarário de 9 de dezembro.

Nesse sentido, foi aprovado por unanimidade uma proposta relativa à aquisição de quatro lotes do Centro de Negócios de Vila Nova da Barquinha, sitos em Tojeiras, na freguesia de Atalaia. Foi também aprovado o contrato de compra e venda, sendo mandata a celebração e respetiva escritura de compra e venda.

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, Fernando Freire, elucidou que este investimento incide “na área do mobiliário” e que os interessados pretendem “fazer a escritura imediatamente”. “O projeto é para iniciar no ano de 2021 ainda (…) e já querem reservar os terrenos para fazer a construção de uma empresa de raiz ali”, acrescentou.

Fernando Freire, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, em reunião de Câmara, 9 de dezembro. Foto: mediotejo.net

No que respeita ao Centro de Negócios, o autarca deu conta de que atualmente “cerca de 70% da capacidade já está vendida”. “Temos 160 postos de trabalho, pensamos para o próximo ano duplicar pelo menos. Gostaria que em meados de 2021 tivéssemos perto de 300 postos de trabalho a funcionar ali”, afirmou.

Recorde-se que entre os investimentos também a concretizar no Centro de Negócios de Vila Nova da Barquinha é o da instalação de um projeto na área da farmacêutica por parte da empresa Mandara Pharma. Um investimento de 30 milhões de euros que prevê a criação de 50 postos de trabalho.

CAIS AINDA COM VAGAS DISPONÍVEIS PARA COWORKING

Também em reunião do executivo camarário de Vila Nova da Barquinha a 9 de dezembro foi avaliada a entrada de mais um projeto para o CAIS – Espaço Empresarial. O projeto da empresária Carla Florindo “Predimed – Serviços Imobiliários” pretende instalar-se virtualmente no ninho de empresas em regime de coworking.

Recorde-se que o CAIS abriu portas no dia 1 de outubro, após um investimento na ordem dos 700 mil euros e que implicou a requalificação de dois edifícios degradados do centro histórico. É, segundo a autarquia, um “novo espaço de localização empresarial que se pretende que seja um cais de ancoradouro de novas empresas, de inovação, de conhecimento, de criatividade, de mais riqueza, de mais emprego para o nosso concelho e de valorização do nosso território e dos nossos cidadãos”.

CAIS – Espaço empresarial de Vila Nova da Barquinha. Foto: Pérsio Basso

Com a lotação física das novas instalações situadas em frente à Loja do Cidadão totalmente ocupados por empresas, essencialmente startup’s, existe ainda espaço virtual, ou seja, há ainda vagas para regime de coworking e instalação virtual, conforme confirmou o presidente do Município ao mediotejo.net.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou à capital com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).