- Publicidade -
Domingo, Dezembro 5, 2021
- Publicidade -

VN Barquinha | Missão POMPOM angariou 5 mil euros para ação solidária em Moçambique

“Missão POMPOM, Missão cumprida”. Foram atingidos os objetivos da iniciativa solidária a que os alunos da escola D. Maria II em Vila Nova da Barquinha se propuseram para a construção do furo de água em Lichinga, em Moçambique.

- Publicidade -

- Publicidade -

O cheque de 5 mil euros com aquele objetivo solidário foi entregue à irmã Cândida Santos, da ONG SocialisRep, em cerimónia que decorreu no auditório da escola, na presença de autarcas da Câmara, das Freguesias e da Assembleia, representantes das empresas apoiantes, professores, alunos e outros elementos da comunidade educativa.

Ana Santos, subdiretora do Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha, explica que tudo começou com o Projeto Piloto de Inovação Pedagógica que está a ser aplicado na escola D. Maria II, onde foi criada uma nova matriz curricular, com uma nova disciplina, “Projeto para Todos”.

- Publicidade -

Daqui surgiram vários desafios lançados aos alunos, sendo que a turma do 6° C optou pelo tema “solidariedade e voluntariado”.

Sessão de entrega do cheque de 5 mil euros (Foto: DR)

Começaram por contactar várias instituições locais, mas os alunos e professores envolvidos consideravam pertinente ir além fronteiras. Nesse sentido contactaram com a ONG SocialisRep (Sociedade Reparadora), gerida pela irmã Cândida Santos. O repto que foi lançado à escola foi a construção de um furo em Lichinga, Moçambique, por forma a abastecer de água a comunidade local onde funciona um jardim de infância também construído por aquela ONG.

Atualmente “a população local tem de percorrer cerca de 10 quilómetros para ter água e, em tempo de seca, pura e simplesmente não tem agua”, explica Ana Santos.

Lançado o desafio, toda a comunidade educativa aderiu em peso. Desde o primeiro momento, a Junta de Freguesia de Vila Nova da Barquinha aderiu ao projeto.

Entre outras iniciativas de angariação de fundos, organizou-se um mega-jantar solidário, todas as crianças venderam rifas e pompons às famílias, amigos e a toda a comunidade. “Finalmente, conseguimos os tão ambicionados 5 mil euros”, rejubila a responsável.

Ficou acordado que, quando o furo de água estiver construído, a irmã, uma ex-professora, virá a Vila Nova da Barquinha dar o feed-back à comunidade educativa.

Ana Santos refere ainda os principais parceiros que deram donativos: Construções Carlos Barros, Intermarché de VN Barquinha, Refrigerantes Baía e a Ótica Lamelas, do Entroncamento, cujos representantes receberam um quadro alusivo à iniciativa.

“Quanto a nós, estamos felicíssimos porque contribuímos seguramente para criar crianças mais felizes, mais capazes, cidadãos mais em pleno. Temos a certeza que esta iniciativa solidária vai marcar positivamente os nossos alunos para o resto da sua vida”, resumiu ao nosso jornal Ana Santos, na cerimónia que decorreu a 29 de junho.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome