VN Barquinha | Madeiras com sistema de drenagem de águas residuais domésticas em 2017

ETAR da Praia do Ribatejo. Foto: DR

A empreitada de execução do sistema de drenagem de águas residuais domésticas das Madeiras, anunciada recentemente pelo município, vai arrancar em 2017. O executivo camarário reuniu esta quarta-feira, dia 14, e a obra arranca depois da apresentação das propostas e da elaboração de um estudo geológico e geotécnico dos solos.

PUB
PUB

O anúncio da autarquia da entrada em funcionamento do Sistema Intercetor de Águas Residuais – ETAR da Praia do Ribatejo no início deste mês foi acompanhado pelo da execução do futuro sistema de drenagem de águas residuais domésticas das Madeiras. A aprovação da prorrogação do prazo para apresentação das propostas e autorização de um estudo geológico e geotécnico dos solos na reunião camarária desta quarta-feira confirma que a empreitada arranca em 2017.

A obra realizada no âmbito da candidatura apresentada ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), Ciclo Urbano da Água, permitirá que a zona norte da freguesia da Praia do Ribatejo seja dotada com um sistema público de recolha, drenagem e tratamento de águas residuais domésticas e que o concelho passe a ser coberto quase na totalidade.

PUB

A exceção é a localidade das Limeiras que Fernando Freire, presidente da autarquia, justificou aos jornalistas com a complexidade do projeto e a inexistência de “condições técnicas neste momento para esse tipo de candidatura”, que exige “muita ponderação” sob o risco das candidaturas serem anuladas”.

A futura obra que beneficia as populações dos lugares de Madeiras, Casal Pintainhos, Casal Jacinto, Portela, Laranjeira, Vale Poços e Fonte Santa ronda 1,3 milhões de euros, valor cofinanciado em 85% pelo POSEUR, do Portugal 2020, tendo o município destacado no comunicado enviado no início deste mês que a candidatura ia ao encontro das recomendações do relatório da Comissão de Acompanhamento sobre a Poluição no Rio Tejo.

PUB

O tema tem sido defendido de forma acérrima pela autarquia. Facto que Fernando Freire, nas suas declarações, atribuiu à elevada dependência do município deste recurso endógeno, nomeadamente ao nível do turismo no Castelo de Almourol e no Cais d’El Rei (Tancos), que viram recentemente aprovadas duas candidaturas. A primeira implica a valorização do monumento nacional através da melhoria dos acessos e criação de condições para acolher eventos culturais e a segunda de reabilitação da infraestrutura que ameaça derrocada.

O documento apresentado pelo Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, no passado dia 26 de novembro referia que, apesar dos problemas detetados, o rio Tejo se encontra atualmente “dotado de um vasto conjunto de infraestruturas de abastecimento de água e saneamento de águas residuais urbanas e industriais”, destacando o avanço verificado nas últimas duas décadas.

O Sistema Intercetor de Águas Residuais – ETAR da Praia do Ribatejo juntou-se às infraestruturas existentes no início deste mês com o início da receção das águas residuais da sede de freguesia, que já incluíam a ETAR de Vila Nova da Barquinha, que recebe as águas residuais de Vila Nova da Barquinha e da Atalaia, e a ETAR autónoma de Tancos.

Num futuro próximo, o sistema de drenagem de águas residuais domésticas das Madeiras também passará a constar na lista.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here