Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Agosto 2, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha: Museu aberto e inauguração de réplica de monumento bósnio aos Paraquedistas

A cerimónia de inauguração em Tancos, Vila Nova da Barquinha, de uma réplica do monumento de Doboj em memória dos Paraquedistas portugueses mortos na Bósnia vai decorrer na quinta-feira, dia 6 de outubro, às 16:30, anunciou a autarquia, num ano em que a Brigada de Reação Rápida assinala o seu 11º aniversário e que a presença militar no concelho é uma constante que se assinala ao longo dos últimos 60 anos.

- Publicidade -

- Publicidade -

A Brigada de Reação Rápida (BRR) vai disponibilizar ao público esta quarta-feira, gratuitamente, uma exposição estática no Barquinha Parque sobre as tropas Paraquedistas e transporte desde do centro histórico de Vila Nova da Barquinha, junto edifício dos Paços de concelho, até ao Museu, com embarques agendados para as 14:30, 15:30, 16:30, 17:30 e 18:30.

“É de enorme interesse e importância estratégica para o nosso território a presença da família militar e da atividade que desenvolve no nosso concelho ao longo destes 60 anos”, destacou ao mediotejo.net o presidente da Câmara de Vila Nova da Barquinha, Fernando Freire (PS). O autarca, entre outros momentos importantes que vão decorrer por estes dias, apontou a inauguração do monumento aos Paraquedistas, uma réplica de um outro existente em Doboj, na Bósnia, como sendo “da mais elementar justiça e reconhecimento dos valores humanitários e de paz para os Paraquedistas que vieram a falecer no âmbito das missões da ONU”.

- Publicidade -

Nesse âmbito, na quinta-feira, às 10:30, decorrerá a cerimónia de abertura do XXVI Congresso da União Europeia de Paraquedistas e, à tarde, às 16:30, no Polígono Militar de Tancos – Regimento de Paraquedistas, proceder-se-á à inauguração da réplica do Monumento de Doboj em memória dos Paraquedistas portugueses mortos na Bósnia, em cerimónia que vai contar com a presença do General Chito Rodrigues, e dos presidentes das autarquias de Doboj e Vila Nova da Barquinha, entre outras entidades.

Na ocasião, será assinado um protocolo que, entre outros, vinculará as autarquias de Doboj e Vila Nova da Barquinha, a par das entidades militares, a assinalarem todos os anos, no dia 23 de maio, Dia do Paraquedista, o momento com uma cerimónia de deposição de coroa de flores, em simultâneo nos dois países.

O XXVI Congresso da União Europeia de Paraquedistas, com a presença de representantes de 11 países, e as cerimónias do 11º aniversário da Brigada de Reação Rápida – BRR (ex-BA3), são outros dos momentos que vão decorrer entre os dias 5 e 7 de outubro no Polígono militar de Tancos, em Vila Nova da Barquinha.

“Vila Nova da Barquinha tem na sua génese o gosto pela coisa militar. Desde os primórdios da nacionalidade, na reconquista, com Almourol. No século XV, com Frei Gonçalo Velho, comendador de Almourol e da Cardiga, que mandou construir na foz do Zêzere, Cafuz, Praia do Ribatejo, as primeiras galeotas que partiram à descoberta dos Açores. No século XIX, com os pontoneiros, em Tancos”, lembrou o autarca barquinhense.

“No século XX, com o Corpo Expedicionário Português, protagonista do “Milagre de Tancos” e da “Cidade de Paulona”, a arma de Engenharia, a Força Aérea (Base Aérea n.º 3) e as Tropas Paraquedistas completaram 60 anos no nosso concelho”, frisou Fernando Freire, tendo feito notar que “viveram neste território milhares e milhares de cidadãos que cumpriram a sua missão ao serviço da Pátria e que, com saudade, recordam esses tempos”.

A este trajeto coletivo, assente nos laços hodiernos de familiaridade e de estima, somamos o campo institucional da defesa da causa pública, princípios e valores que quer a instituição militar quer o Município partilham e comungam”, destacou.

O Museu das Tropas Paraquedistas, aberto gratuitamente ao público esta quarta-feira, é uma instituição cultural, tendo sido oficialmente inaugurado no dia 23 de maio de 1990, data da comemoração do Dia da Unidade.

Este Museu estabelece a ligação entre o efémero e o permanente.

É composto pela sala do tempo presente, onde se encontram expostas algumas lembranças oferecidas por Entidades nacionais e estrangeiras que o visitaram. Nas suas paredes encontram-se alguns quadros com fotografias com a história evolutiva do paraquedas e, ainda, de alguns motivos didáticos.

Segue-se o hall do Arcanjo S. Miguel, padroeiro universal dos paraquedistas e, em frente deste hall, encontra-se a Sala de Memória que é o núcleo do Museu e principal razão de existência do mesmo. Por último temos a sala do tempo passado.

Nesta sala estão representadas todas as Unidades Paraquedistas que terminaram o seu ciclo de vida.

Dia 7 de outubro, pelas 10:00, no Polígono Militar de Tancos – Brigada de Reação Rápida – BRR (Ex-BA3) decorrerá a cerimónia oficial do 11.º aniversário da BRR

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome