Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha | Castelo de Almourol fecha oito dias para valorização da ilha

Na ilha do castelo de Almourol, no concelho de Vila Nova da Barquinha, estão a decorrer obras de valorização e arranjo paisagístico, trabalhos que vão obrigar a encerrar ao público o Castelo e o acesso à ilha nos dias 8, 9, 10, 11, 12, 15, 16 e 17 de outubro, estando aberto no fim de semana de 13 e 14 de outubro.

- Publicidade -

Durante aqueles dias não se efetuam transportes para a ilha de Almourol, estando o Castelo encerrado. No entanto, nestas datas, lembra a autarquia, o monumento nacional poderá ser apreciado a partir das margens do rio Tejo.

A empreitada adjudicada à empresa Vedap – Espaços Verdes, Silvicultura e Vedações, S.A., de Constância, pelo valor de 122.827,52 euros, tem um prazo de execução de 160 dias.

- Publicidade -

Está prevista a melhoria dos acessos ao castelo através da criação de escadas em pedra, a remoção de elementos atípicos como alguns blocos de cimento colocados em meados do século passado e que desvirtuam o local, a limpeza de plantas infestantes como por exemplo canas e a instalação de um palco amovível no Castelo.

Em nota de imprensa, a autarquia refere que a operação “Valorização do Castelo de Almourol”, que origina este encerramento temporário do monumento, centra-se na “melhoria das condições de acesso” do público ao castelo e na intervenção de “requalificação do coberto vegetal da Ilha do Almourol, da requalificação da margem direita, e na colocação de um palco para espetáculos dentro do castelo”.

O município de Vila Nova da Barquinha dá ainda conta que em novembro irá ser inaugurado o Centro de Interpretação Templário de Almourol, ao lado do Parque de Escultura Contemporânea, tendo aquele município definido como objetivo “alcançar os 100.000 visitantes ano”.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome