VN Barquinha | Aulas recomeçam na Escola D. Maria II com horários desfasados

O Diretor do Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha considera que “estão reunidas todas as condições para o reinício das aulas em regime presencial na Escola D. Maria II, no dia 18 de maio”, esta segunda-feira. Conforme já havia referido na reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil, Paulo Tavares frisou a existência do Plano de Contingência do Agrupamento, que pode ser consultado no site daquele estabelecimento em escolasbarquinha.pt.

PUB

PUB

Nesse plano, que foi sendo atualizado e ajustado face à evolução da situação da pandemia, estabelecem-se as orientações para a reorganização do funcionamento da escola, respeitando os documentos emanados pela DGEstE e as orientações da Direção-Geral da Saúde.

Nesta segunda feira, dia 18, acontece o regresso às aulas em regime presencial (11º e 12º anos de escolaridade e 3º ano dos cursos de dupla certificação do ensino secundário).

PUB

As aulas decorrem entre as 10h e as 17h, tendo sido criados horários desfasados entre as turmas, “evitando, o mais possível, a concentração dos alunos, dos professores e do pessoal não docente no recinto escolar, bem como no período mais frequente das deslocações escola-casa-escola”, lê-se no plano.

Além de se concentrarem as aulas das diferentes disciplinas de cada turma de modo a evitar períodos livres entre aulas, procura-se juntar as aulas de cada turma, preferencialmente, durante o período da manhã ou da tarde.

PUB

Procura-se concentrar o máximo de aulas de cada turma para minimizar o número de vezes que os alunos se tinham de deslocar à escola, ao longo da semana.

Na escola privilegia-se a utilização de salas amplas e arejadas, sentando um aluno por secretária. As mesas estão dispostas com a mesma orientação, evitando uma disposição que implique ter alunos de frente uns para os outros.

As turmas foram instaladas em salas distanciadas entre si e os intervalos entre as aulas têm uma duração curta, devendo os alunos permanecer, em regra, dentro da sala.

No interior da escola foram definidos e estão sinalizados circuitos e procedimentos de modo a promover o distanciamento físico entre os alunos, nomeadamente no percurso desde a entrada da escola até à sala de aula, nos acessos ao refeitório, às entradas de pavilhões e às casas de banho, de forma a evitar o contacto entre os alunos.

À semelhança do que acontece noutras escolas, todos os serviços e outros espaços não necessários à atividade letiva se encontram encerrados (bufetes/bares; salas de apoio; salas de convívio de alunos e outros).

De acordo com o plano de contingência, os assuntos administrativos devem ser tratados preferencialmente por via digital.

Portas e janelas ficam abertas, sempre que possível, para evitar toques desnecessários em superfícies e manter os espaços arejados.

Entre o extenso rol de novas regras, está a obrigação da utilização de máscaras no interior da escola (dentro e fora da sala de aula, exceto nas situações em que a especificidade da função não o permita) e no percurso casa-escola-casa (especialmente quando utilizados transportes públicos).

Pede-se aos alunos, professores e funcionários que, ao entrar na escola, desinfetem as mãos com uma solução antisséptica de base alcoólica e aconselha-se a que lavem frequentemente as mãos, com água e sabão, esfregando-as bem durante, pelo menos, 20 segundos.

No Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha as aulas das disciplinas dos cursos Científico-Humanísticos com oferta de exame nacional passam a realizar-se presencialmente. Os alunos têm de frequentar estas disciplinas, independentemente de virem a realizar os respetivos exames.

Quanto ao Ensino Profissional, os alunos frequentam, em regime presencial, as disciplinas da componente de formação sociocultural, geral e científica, com a mesma designação ou com conteúdos idênticos das que têm oferta de exames finais nacionais dos cursos científico-humanísticos, independentemente de terem manifestado a intenção de eleger os respetivos exames finais nacionais como provas de ingresso para o ensino superior.

Todas as outras disciplinas continuam a funcionar remotamente através do Ensino à Distância.

PUB
José Gaio
Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).