VN Barquinha | Arma de Engenharia Militar assinala 373º aniversário com foco no combate à pandemia (c/áudio)

Regimento de Engenharia de Tancos. Foto: DR

Todos os anos no dia 13 de julho juntam-se no Regimento de Engenharia nº 1, instalado em Tancos, Vila Nova da Barquinha, militares de todo o país para comemorar o Dia da Engenharia Militar. Mas este ano, devido à pandemia, as cerimónias do 373º aniversário tiveram de ser canceladas e privadas de público, havendo apenas referências nas redes sociais. Este ano, a unidade tem desempenhado um papel de relevo no combate à pandemia com ações de descontaminação em vários locais do país.

PUB

“É um dia com um significado muito especial porque estamos habituados a que haja uma cerimónia militar com outro protocolo, onde se juntam militares das diversas unidades de engenharia – Nº 1 em Tancos, nº 3 em Espinho e da companhia de Engenharia de Santa Margarida – mas é também um dia de convívio e de reencontro dos militares e funcionários civis da arma de engenharia”, disse ao mediotejo.net o Comandante do Regimento de Engenharia n.º 1, Coronel Leonel Martins, que lamenta não poder repetir o evento este ano.

A Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha também não deixou passar em branco esta data e enviou um ofício onde se associa às comemorações e “reconhece todos aqueles que contribuíram, e contribuem, com o seu mérito, o seu percurso pessoal e profissional para a dignificação da arma de Engenharia e do Regimento que superiormente dirige, das Forças Armadas e do Estado Português”.

PUB

No documento assinado pelos Presidentes da Assembleia e da Câmara Municipal, António-Augusto Ribeiro e Fernando Freire, respetivamente, os autarcas sublinham que aquela unidade militar “mantêm magníficas relações institucionais com este Município relevando no contexto social a cooperação na construção de infraestruturas, no turismo e no corrente ano com a celebração do protocolo para a intervenção no Centro de Negócios de Vila Nova da Barquinha (CDN) e no Campo Escutista deste concelho”.

“O trabalho que essa unidade, sobre o seu distinto Comando, vem desenvolvendo em prol do desenvolvimento nacional em missões de interesse público, bem visível nas últimas intervenções no âmbito da pandemia, e no apoio que tem dado às autarquias locais têm-lhe granjeado muitos e rasgados elogios que importa relevar”, destacam os autarcas.

Coronel Leonel Martins, Comandante do Regimento de Engenharia nº 1. Foto: mediotejo.net,

O Regimento de Engenharia nº 1 define como sua missão “aprontar o Comando de Batalhão de Engenharia, a 1ª Companhia de Engenharia de Apoio Geral, a Companhia de Pontes, a Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica, o Grupo de Equipas de Inativação de Engenhos Explosivos, a Companhia de Engenharia de Combate Ligeira e a Companhia de Engenharia de Apoio Militar de Emergência”.

RE1 assinala 373.º Aniversário da Arma de Engenharia Militar

Regimento de Engenharia N.º 1 assinalou o 373.º Aniversário da Arma de Engenharia MilitarA data comemorativa foi assinalada de forma singela, com as cerimónias do Hastear da Bandeira Nacional e de Homenagem aos Mortos em Combate, que integrou a celebração de uma Eucaristia, bem como com a mensagem do Diretor Honorário da Arma de Engenharia, Major-General Aníbal Alves Flambó, na qual foram salientados o empenho e o esforço dos militares e civis da Arma de Engenharia, que dia após dia têm vindo a ultrapassar todas as dificuldades e adversidades, “com a dedicação, o empenho e a generosidade do Soldado de Engenharia”.Como balanço do último ano, destaca-se a ubiquidade da Engenharia Militar, no âmbito da manutenção do treino operacional dos seus militares em exercícios dos diversos escalões, da formação de militares nas diversas áreas da Engenharia Militar, do apoio às populações civis com a celebração de diversos protocolos de colaboração, do apoio militar de emergência com a participação de Destacamentos de Engenharia no apoio à contenção de incêndios, pelotões de rescaldo, patrulhas de vigilância, bem como da manutenção e melhoria das infraestruturas militares em diversas Unidades. No âmbito da prevenção e combate à COVID-19, a Engenharia Militar contribuiu com a montagem de camas em apoio a diversos municípios, a formação de Equipas de Desinfeção, ações de sensibilização em escolas e prisões, distribuição de Equipamentos de Proteção Individual a escolas e, com elementos pertencentes ao Elemento de Defesa Biológicos, Químicos e Radiológicos, contribuiu decisivamente para diversas descontaminações em lares e escolas de norte a sul do país."Ala, Ala, Arriba!"Ao serviço dos Portugueses!#ExércitoPortuguês #RE1 #EngenhariaMilitar

Publicado por Exército Português em Segunda-feira, 13 de julho de 2020

A história da unidade remonta a 24 de outubro de 1812 quando é criado o Batalhão de Artífices Engenheiros, raízes do atual Regimento que se afirma “legítimo herdeiro das gloriosas tradições da primeira Unidade de Engenharia do Exército Português”.

O Batalhão de Artífices Engenheiros deu lugar, em 1834, ao Batalhão de Sapadores e, em 1869, ao Batalhão de Engenharia.

Em 31 de outubro de 1884 Fontes Pereira de Melo criava o primeiro Regimento de Engenharia que incluía uma Companhia de Caminhos de Ferro, antecessora do Batalhão de Sapadores de Caminhos de Ferro que, até à sua extinção em 1977.

PUB

Em 1911 o Regimento é transformado no Batalhão de Sapadores Mineiros e dois anos depois em Regimento de Sapadores Mineiros, unidade que, juntamente com o Batalhão de Sapadores de Caminhos de Ferro, toma parte ativa na 1ª Grande Guerra (1914-1918).

Nos anos 40 deu origem ao Regimento de Engenharia Nº 2 que depois se passa a designar Regimento de Engenharia N º 1.

No historial da unidade refere-se que “durante as campanhas de África este Regimento foi mobilizadora da quase totalidade das Companhias de Engenharia que participaram na guerra na Guiné, Angola e Moçambique”.

Foi neste regimento que no dia 25 de abril de 1974 esteve localizado o Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas.

A partir de 1985 o RE1 inicia trabalhos de apoio às Autarquias, seja a abrir estradões, a fazer movimentação de terras ou outras tarefas, com base em protocolos celebrados entre o Ministério da Defesa Nacional e o Ministério do Planeamento e Administração do Território.

Mais recentemente militares do Regimento de Engenharia Nº 1 têm participado em missões de cooperação técnico militar com os PALOP e em Forças Nacionais Destacadas, nomeadamente nos Balcãs, Timor Leste, Afeganistão e Líbano.

Desde 2013 está constituído o Polo Permanente do Prédio Militar 001 Vila Nova da Barquinha no aquartelamento da ex-EPE. No ano seguinte o Regimento transferiu-se da Pontinha para as instalações em Tancos.

Atualmente, no Regimento de Engenharia Nº 1 em Tancos, continuam-se a formar especialistas dos três ramos das Forças Armadas, Forças de Segurança e de entidades civis ligadas à Defesa Nacional e à Proteção Civil de Portugal, e de Exércitos de Países Amigos, nomeadamente em sapadores, explosivos, demolições, minas e armadilhas, inativação de engenhos explosivos, operação de embarcações, NBQR, construções e instalações e vias de comunicação.

A Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha também não deixou passar em branco esta data e enviou um ofício onde se associa às comemorações. Foto arquivo: CMVNB

Este ano, a unidade tem desempenhado um papel de relevo no combate à pandemia com ações de descontaminação em vários locais do país.

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here