Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Outubro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha | Alunos aprendem a ser empreendedores (c/ fotogaleria)

Os alunos do Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha apresentaram no dia 26 os seus projetos de empreendedorismo no âmbito da iniciativa EmpCriança – Empreender no Ensino Básico, lançada pela associação Empresarial Nersant e Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Insere-se também na filosofia subjacente ao Projeto-Piloto de Inovação Pedagógica (PPIP) em que o agrupamento foi um dos seis selecionados a nível nacional.

- Publicidade -

- Publicidade -

Perante os cerca de 340 alunos do agrupamento, que encheram sucessivamente o auditório da escola D. Maria II, foram apresentados projetos baseados essencialmente na solidariedade e defesa do ambiente.

A tarde começou com a plantação de uma macieira no terreno envolvente da escola, ação que se vai prolongar nos próximos anos em que se prevê plantar cerca de 70 árvores oferecidas por várias empresas e pela Escola Superior Agrária de Santarém. Aliás, a rearborização do recinto da escola é uma das ações transversal a vários projetos apresentados pelos alunos.

- Publicidade -

Constituídos em grupos, os alunos tinham tarefas definidas para criar o seu projeto. Conforme mostraram em vídeos projetados no ecrã, encarnaram os papéis de diretor de empresa, diretor comercial, responsável pelo marketing e relações públicas e gestor financeiro. Com tarefas definidas, cada equipa trabalhou o projeto concebendo o produto ou serviço, a marca, o plano de marketing e comunicação, o “packaging”, política de preço e de distribuição, entre outros aspetos.

Numa iniciativa em que a criatividade e as competências de empreendedorismo dos alunos foram postas à prova, a tónica dominante dos projetos é o seu caráter solidário. Em todos eles, uma parte dos lucros seria destinada a fins de beneficência ou causas sociais.

Por exemplo, a construção de um furo artesiano em Moçambique é o objetivo da Missão Pompom que consiste na venda de rifas ou de pompons feitos pelos alunos.

Alguns dos projetos e produtos criados no âmbito desta iniciativa vão ser apresentados durante a Feira do Tejo em junho, em Vila Nova da Barquinha.

Após as apresentações, procedeu-se ao descerramento de uma escultura alusiva ao agrupamento, no exterior da escola. Trata-se de uma pedra (calcário da região) esculpida pelos próprios alunos com alusão ao PPIP, conforme explicou o Diretor do Agrupamento, Paulo Tavares.

Presente na cerimónia, o Presidente da Câmara, Fernando Freire, afirmou que “não basta ter um parque escolar renovado, o importante são as pessoas”.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome