Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Maio 11, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

VN Barquinha | 100 famílias carenciadas vão receber cabazes de Natal do executivo

As famílias que beneficiam do apoio da Loja Social de Vila Nova da Barquinha vão ter um Natal melhor com os 100 cabazes atribuídos pelo município. A entrega foi aprovada na reunião da Câmara Municipal desta quarta-feira, dia 14, e envolve um investimento na ordem dos 4.000 euros.

- Publicidade -

- Publicidade -

O executivo municipal de Vila Nova da Barquinha aprovou na última reunião pública de 2016, que se realizou esta quarta-feira, a entrega de 100 cabazes à Loja Social do Concelho. A entrega de bens essenciais, que envolve um investimento na ordem dos 4.000 euros, beneficiará não só as 50 famílias apoiadas diretamente com base no rendimento per capita, como outras 50 identificadas pela instituição.

Durante a reunião, Fernando Freire referiu que é preferível este tipo de apoio aos munícipes em detrimento da iluminação de Natal, que este ano voltou a não ser colocada no concelho e em anos anteriores chegou a envolver um investimento de dois a três mil euros. Posição confirmada pelo presidente da autarquia no final da reunião, em declarações aos jornalistas, tendo referido que a “humanidade” e a “aproximação às pessoas necessitadas” são mais importantes “do que iluminar”.

- Publicidade -

Segundo o autarca, a Loja Social engloba o trabalho de um conjunto de pessoas “altruístas e solidárias” pertencentes a diversas entidades locais, nomeadamente a Cáritas Diocesana, a Santa Casa da Misericórdia, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), a Associação de Voluntários Essência da Partilha, o Agrupamento de Escuteiros (583) e a própria câmara municipal.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome