Vila de Rei: Regiões do interior são “prioridade do Governo” e “oportunidade para o país” – Ministro

O Ministro-Adjunto Eduardo Cabrita afirmou hoje em Vila de Rei que as regiões do interior do país devem “ultrapassar a dimensão fatalista e assistencialista” e ser olhadas como “uma oportunidade”, lembrando que “o interior é prioridade” do Governo.

PUB

“O interior é prioridade do Governo. O interior é uma oportunidade e por isso até ao final deste mês serão divulgadas as medidas que integram o programa de coesão territorial para a valorização do interior” disse hoje o Ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita, em Vila de Rei, no âmbito das comemorações dos 731 anos da atribuição do seu Foral, por D. Dinis, e do feriado municipal daquele concelho do distrito de Castelo Branco.

Antes, já o presidente da Assembleia Municipal de Vila de Rei, Paulo Brito, havia abordado a questão da desertificação e a “necessidade de políticas nacionais de discriminação positiva” para com as regiões do interior, como que antecipando o teor da intervenção do ministro convidado.

PUB
vrei1
Eduardo Cabrita, Ministro-Adjunto, presidiu às cerimónias oficiais Dia do Municipio e dos 731 anos do Foral de Vila de Rei. Foto: mediotejo.net

Ricardo Aires, presidente da autarquia, lembrou a questão da Lei das Finanças Locais, com munícipes ali a residir mas recenseados noutro local e com as respetivas verbas a serem canalizadas para outros municípios, destacou a aposta de futuro na regeneração urbana, o futuro centro geriátrico, o trabalho desenvolvido ao longo do último ano e ainda alertou o ministro para a importância de desbloquear um processo de investimento privado numa Unidade de Cuidados Continuados de Saúde Mental.

Na sua intervenção, o governante disse que as regiões do interior do país devem “ultrapassar a dimensão fatalista e assistencialista” e ser olhadas como “uma oportunidade”, tendo feito notar que “a aposta do governo traduz-se em medidas concretas”, exemplificando com o “regime de incentivos à fixação de médicos no interior”, a “reabertura de tribunais que foram encerrados (…) numa lógica de proximidade”, e a “entrada em funcionamento do regime de gasóleo profissional, em quatro áreas do interior” do país.

PUB

O ministro aludiu ainda a uma “semana decisiva” com a Associação Nacional de Municípios Portugueses para a definição do alargamento da atribuição de competências aos municípios nas áreas do ambiente, ação social, educação e saúde.

vrei2
Este ano foram atribuídos 25 apoios ao nascimento, 4 apoios ao casamento e 1 apoio ao nascimento com recurso à fertilização in-vitro, num total de 26.750 euros. Foto: mediotejo.net

Eduardo Cabrita defendeu na sua intervenção uma “política integrada de médio longo prazo” para as medidas de apoio à família e dirigidas às pessoas, tendo destacado “o alargamento do pré-escolar até aos 4 anos, e que até ao final da legislatura será alargada até aos 3 anos”, a “escola a tempo inteiro, os “cuidados sociais” e a “reposição de rendimentos”.

Segundo o ministro, “não há maior inimigo da família do que a precariedade, a instabilidade e o desemprego”, tendo enfatizado as medidas políticas que o atual governo preconiza.

“Por um lado políticas sociais, por outro lado, uma valorização do interior, o apoio à escola pública e à saúde para todos, elementos estruturais de uma verdadeira política de família e de uma verdadeira aposta nas regiões do interior”, disse, tendo lembrado estarem na assistência “25 espetadores muito especiais e que são a razão de ser de todo o trabalho politico desenvolvido a nível nacional, regional ou local”.

Eduardo Cabrita referia-se aos 25 bebés presentes na cerimónia, no âmbito da entrega dos subsídios de Apoio à Fixação da População Jovem no concelho.

vrei4
“Não há maior inimigo da família do que a precariedade, a instabilidade e o desemprego” – Eduardo Cabrita. Foto: mediotejo.net

Este ano foram atribuídos 25 apoios ao nascimento, 4 apoios ao casamento e 1 apoio ao nascimento com recurso à fertilização in-vitro, num total de 26.750 euros, “o maior valor de subsídios atribuídos desde 2005”, ano em que foram entregues 27 apoios ao nascimento, sendo “um dos municípios pioneiros a lançar esta medida de combate à desertificação”, destacou o presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires (PSD).

Segundo o regulamento de apoio à fixação da população, o município de Vila de Rei atribui subsídios de 750 euros de apoio ao casamento e instalação, 750 euros de apoio ao nascimento do primeiro filho, 1.000 euros para o segundo filho, 1.250 euros para o terceiro e seguintes filhos, e 1.500 euros para nascimentos com recurso à fertilização in-vitro.

vrei3
O auditório municipal foi o palco das cerimónias oficiais do Dia do Município de Vila de Rei. Foto: mediotejo.net

A Câmara de Vila de Rei procedeu ainda à entrega simbólica de 731 oliveiras a agregados familiares do concelho, uma medida que pretende sensibilizar para a aposta do município na agricultura e floresta, com políticas que possam aumentar a produtividade, criar valor acrescentado, e que possibilitem novas oportunidades de emprego e de rendimentos.

O momento incluiu ainda a atribuição de distinções honoríficas, com destaque para as Medalhas de Mérito Municipais entregues a Vilarregense F.C., A.H. Bombeiros Voluntários de Vila de Rei, Associação “A Bela Serrana” e Villa d’el Rei Tuna.

As comemorações terminaram no Parque de Feiras de Vila de Rei, com o tradicional “Almoço Comunitário” e com a atuação do Grupo de Concertinas da Casa do Benfica de Vila de Rei.

c/Lusa

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here