- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Vila de Rei | Praia Fluvial do Bostelim: espaço idílico que convida a banhos (c/fotos e video)

Com a Bandeira Azul hasteada, a praia fluvial do Bostelim, em Vila de Rei, tem sido uma das mais frescas opções para estes de dias de canícula, com condições aprimoradas para receber os banhistas: zona de banhos, bar de apoio, parque de campismo rural, balneários, parque para caravanas, parque de merendas, posto de primeiros socorros, dois nadadores salvadores e Bandeira Azul, tal como a Bandeira Acessível, a comprovar tratar-se aquela praia da freguesia da Fundada de acesso a todos. A época balnear iniciou a 15 de junho e só termina a 15 de setembro.

- Publicidade -

A Praia Fluvial do Bostelim, no concelho de Vila de Rei, viu no dia 18 de julho serem hasteadas duas bandeiras: a de Praia Acessível a todos e a Bandeira Azul, galardão que é sinónimo de qualidade e respeito pelo ambiente. Característica que ganha particular importância numa freguesia como a Fundada, isolada pela interioridade, nas profundezas de um concelho integrado no Portugal esquecido, como é o caso de Vila de Rei.

Na presença, do presidente da Câmara Municipal, Ricardo Aires, do vereador António Tavares e outras entidades, as bandeiras hastearam-se pelas mãos de duas das crianças que, num dia de junho em que rondavam os 40 graus centígrados, aproveitaram a frescura das águas da Ribeira do Bostelim.

- Publicidade -

Este é o terceiro ano consecutivo que a Praia Fluvial do Bostelim merece Bandeira Azul, além de ser a única praia fluvial do distrito de Castelo Branco com tal distinção “um orgulho para os vilarregenses”, resultado de “investimento e muito trabalho ao longo de todo o ano” do Município de Vila de Rei garante ao mediotejo.net o presidente Ricardo Aires.

Merece Bandeira Azul “pelos investimentos realizados pela Câmara Municipal, Junta de Freguesia e ADETULF, a associação concessionária, uma parceria a três que está a resultar” no reconhecimento da qualidade da praia, referiu Ricardo Aires.

O galardão Bandeira Azul tem como objetivo educar para o desenvolvimento sustentável em praias costeiras, fluviais e lacustre, portes de recreio e marinas e embarcações de recreio e ecoturísticas que se candidatem e cumpram um conjunto de critérios relacionados com Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água Balnear, Gestão Ambiental, Segurança e Serviços, Responsabilidade Social e Envolvimento Comunitário.

Os critérios do Programa Bandeira Azul para praias estão divididos em quatro grupos: Informação e Educação Ambiental; Qualidade da Água; Gestão Ambiental e Equipamentos; Segurança e Serviços.

E os critérios exigidos para pela Associação Bandeira Azul da Europa, secção portuguesa da Fundação para a Educação Ambiental, para atribuição do galardão Bandeira Azul são vários, entre eles “a praia deve ser mantida limpa, verificar a inexistência ou existência de algum tipo de poluição, a manutenção da praia limpa durante todo o ano e não apenas durante a época balnear, realizar análises à qualidade da água durante todo o ano” disse o presidente.

Hastear da Bandeira Azul em Bostelim. Presidente Ricardo Aires

A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade que distingue o esforço de diversas entidades em tornar possível a coexistência do desenvolvimento local a par do respeito pelo ambiente, elevando o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente lacustre, bem como o costeiro e marinho.

A Praia Fluvial do Bostelim tem vigilância assegurada, com dois nadadores salvadores, desde o início da época balnear do concelho, no período de 15 de junho a 15 de setembro.

Dispõe de vários equipamentos, como balneários, bar, parque de merendas, churrasqueiras, parque de campismo rural licenciado, lavadouro público, eletricidade, parque para autocaravanas com serviço de despejos e reabastecimento, espreguiçadeiras, toldos de palha, cadeira anfíbia para pessoas com mobilidade reduzida, bem como rampas de acesso aos patamares superiores é a zona de banhos, posto de primeiros socorros e estacionamento.

Quanto à zona reservada a banhos fluviais possui areia e solo relvado, sendo a área contígua à linha de água dotada de sombras naturais.

Carlos Domingos, ex-presidente da Junta de Freguesia da Fundada e atual presidente da ADETULF – Associação para o Desenvolvimento do Turismo e Lazer da Fundada, e Isabel Pereira, secretária da Associação, explicam que a Praia Fluvial do Bostelim “é muito frequentada por holandeses”.

Facilita o facto de Bostelim ser uma praia trilingue, além do português fala-se inglês e alemão, muito por causa de Isabel emigrada na Alemanha durante 30 anos e que há 20 decidiu regressar às suas raízes, residindo na Fundada por “amar a tranquilidade” da ruralidade.

Para usufruir do parque de campismo, com direito a eletricidade e água quente, “montar uma tenda pode ir de 1 a 2 euros por dia dependendo do tamanho da tenda. Uma autocaravana paga uma diária de 2,50 euros, para as crianças até 12 anos é grátis e dos 13 aos 16 pagam 0,50 euros, um adulto paga 1 euro por dia” explica Isabel. Além disso quem telefonar para o bar pode reservar mesas no parque de merendas ou encomendar um petisco. “Basta telefonar para o 918843630 ou enviar um e-mail para adetulf.fundada1@gmail.com” refere.

“Temos todas as condições para receber bem os visitantes que gostem de natureza e queiram desfrutar de um espaço tranquilo e agradável”, reforça Ricardo Aires.

O visitante poderá ainda calcorrear o percurso pedestre ‘Rotas do Bostelim’ com início e chegada ao espaço da Praia Fluvial. Uma Rota circular de 9,5 quilómetros para um percurso de três horas.

A Ribeira de Bostelim nasce no concelho de Proença-a-Nova, prolongando-se o seu curso por mais de 20 quilómetros, serpenteando por férteis vales, passando sob antigas pontes e atravessando velhos caminhos até confluir com a Ribeira da Isna, já no concelho de Vila de Rei. Ao longo das suas margens sucedem-se os moinhos, levadas, açudes e muitos outros pormenores que podem interessar a um turista que aprecie a natureza.

É já perto do seu curso final, na freguesia da Fundada, junto ao parque de campismo rural que tem início a Rota do Bostelim, percurso pedestre de pequena rota que acompanha a sua margem e que se prolonga depois ao longo da Ribeira da Isna até à centenária Ponte da Várzea Carreira, onde se inicia o troço de regresso ao ponto de partida.

Na primeira metade do percurso, praticamente plano, a proximidade da água, as sombras do arvoredo e os vários motivos que transportam o visitante a um passado recente, mas simultaneamente distante, sendo ali que preparam o corpo e o espírito para uma caminhada que se completa com a passagem numa eira já perto do final.

Encontra-se a Praia Fluvial do Bostelim cerca de 10 minutos depois de sair de Vila de Rei, em direção à Sertã sempre pela Estrada Nacional 2. Após passar a Fundada e a localidade de Cabeça do Poço é seguir em descida ladeada por pinheiros em direção a São João do Peso.

Pouco depois, do lado esquerdo, um espaço tranquilo, apetecível para desfrutar em família e seguro para as crianças, que se destaca pelo enquadramento natural, envolvente serrana e florestal. Para os mais sensíveis, nomeadamente crianças, recomenda-se o uso de sapatos de natação devido ao empedrado da zona de banhos.

Além da Praia Fluvial do Bostelim o concelho de Vila de Rei oferece outros locais de lazer como a zona balnear da Zaboeira, uma praia Qualidade Ouro, Praia Fluvial do Pego das Cancelas, Praia de Fernandaires, igualmente com selo Qualidade Ouro, Praia Fluvial do Penedo Furado e piscina descoberta do Carrascal.

Vila de Rei | Bostelim é a única praia fluvial do distrito de Castelo Branco com Bandeira Azul. A bsndeira que certifica a qualidade da praia foi hasteada esta segunda-feira. O mediotejo.net esteve naquela praia da freguesia da Fundada e comprovou a beleza e a tranquilidade do espaço.

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

Responder a Paula Val Cancelar resposta

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome