Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Vila de Rei: Paulo Santos apresenta o livro “O Comprimido de Palavras” este sábado

O livro “O Comprimido de Palavras”, da autoria de Paulo Santos, é apresentado este sábado, dia 15 de outubro, pelas 18h30, na Biblioteca Municipal José Cardoso Pires, em Vila de Rei.

- Publicidade -

A iniciativa está inserida no II workshop “Saúde Mental” e decorre no âmbito do Dia Mundial da Saúde Mental, assinalado anualmente a 10 de outubro.

Paulo Santos nasceu em Angola em 1966. Atualmente reside na Sertã, e é psicólogo clínico em Condeixa-a-Nova, onde se dedica à psicoterapia e à reabilitação psicossocial de doentes mentais e deficientes intelectuais.

- Publicidade -

Segundo o autor, a obra “O Comprimido de Palavras”, com a chancela da Chiado Editora, foi escrito a partir das essências dos sentimentos, dos extratos dos afetos. Na sinopse do livro pode ler-se que “as palavras são autênticos remédios ou venenos que nos entram pelos olhos e pelos ouvidos, llibertam-se de nós pelos dedos e pela boca, trazem e levam dentro delas uma energia poderosa que atinge a mais ínfima célula, como se fossem verdadeiros comprimidos. São desenhos e sons que se libertam de nós, carregados do que somos. Com eles deixamos uma marca esculpida nos outros, uma tatuagem sonora que permanecerá na pele das consciências como ruído angustiante ou como melodia doce. Afinal, também há palavras com efeitos adversos. Somos alérgicos a algumas, dependentes de outras e, por vezes as mais pequeninas são as mais tóxicas ou as mais curativas. A nossa linguagem é uma autêntica farmácia. A escolha dos melhores remédios e da melhor dose para dar aos outros, depende sempre de nós.”

Tem 28 anos e um irmão gémeo. Há 10 anos que o jornalismo se lhe
entranhou na vida, no dia a dia. As artes e os espetáculos, os livros, o
cinema, o teatro e a dança são os seus maiores interesses. Conciliá-los
com o jornalismo é ser feliz a fazer aquilo de que se gosta.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here