Vila de Rei | Orçamento de 6,5 milhões para 2017, PS votou contra

O executivo de maioria PSD da CM Vila de Rei aprovou as Grandes Opções do Plano e Orçamento para o ano 2017, num total de cerca de 6,5 milhões de euros, e representando um aumento de 15,9% relativamente a 2016. A bancada socialista apresentou declaração de voto contra, considerando que os orçamentos apresentados pelo PSD “são uma espécie de ‘vira o disco e toca o mesmo'”.

PUB

Ricardo Aires, presidente da CM de Vila de Rei, disse em declarações ao mediotejo.net que “nestes seis meses há muita despesa/receita que é corrente e capital”, fazendo notar que a autarquia está a apostar uma vez mais “na área da educação e também na área social e atividades económicas”. Verificando-se um aumento significativo em relação ao orçamento do ano anterior, o orçamento para o próximo ano será de 6 milhões 560 mil euros. O documento foi aprovado com 3 votos a favor da maioria PSD e 2 votos contra do PS.

O presidente destacou, entre outros projetos, o facto de estar já em curso a ampliação da Escola Básica e Secundária de Vila de Rei: “já começou a obra, e também posso dizer que para o próximo ano, o concurso já está feito, e acontecerá a reabilitação do parque de feiras que vai reverter a situação que se verifica, de pavilhões que já estavam ali em desuso, passando a ser um cartão de visita para as pessoas que visitam Vila de Rei e, ao mesmo tempo, também para que os munícipes possam usufruir de um espaço que vai ser um pulmão verde que vai existir dentro da sede de concelho”.

PUB

Para o autarca estas “são duas obras grandes” para o concelho, uma dentro da área da educação, outra na parte da reabilitação urbana.

Quanto ao PARU (Plano de Ação de Regeneração Urbana), o autarca lamenta o facto de o atual Governo ter modificado os apoios para os pequenos concelhos, levando a CM a “inverter a situação” e deixar para trás outros projetos que haviam sido pensados.

“Eram cerca de 1 milhão de euros, para cada concelho, e no caso de Vila de Rei só foram atribuídos 451 mil euros”, referiu Ricardo Aires, acrescentando que a Câmara Municipal tem outra obra “que vai nascer na zona nova da vila, junto às piscinas municipais, em que se pretende dar outra dinâmica ao espaço (…) que servirá não só os estudantes, mas também a todas as outras pessoas, sendo um sítio mais convidativo para a comunidade usufruir”. Esta obra custará à CM cerca de 200 mil euros.

collage
Uma das grandes obras da CM Vila de Rei será a reconversão da antiga C+S em zona verde e a reabilitação do parque de feiras. Foto: mediotejo.net

No âmbito dos apoios sociais, algumas das vantagens que a autarquia apresenta à sua população, irão manter-se, nomeadamente nos apoios à população idosa.

“Nos últimos anos temos aumentado esse tipo de apoios, nomeadamente apoio à aquisição de medicamentos para pessoas com doenças crónicas para os nossos idosos. E vamos ter novas ferramentas neste âmbito, caso da teleassistência. Algo que já dá um grande apoio à população idosa, mas estamos a entrar num projeto com outras Câmaras e IPSS do país, que dará mais valências ao serviço de teleassistência, que já existe”, exemplificou.

A par das medidas e apoios sociais, Ricardo Aires recorda a influência que o número de recenseados tem para o aumento da transferência de verbas do Estado para a autarquia, lembrando “uma luta que já existe há 3 anos”.

“Espero que as pessoas que gostam do seu concelho façam o seu recenseamento, visto que se o fizerem haverá mais dinheiro disponível para a CM de Vila de Rei e para as Juntas de Freguesia. Por isso, havendo mais dinheiro, haverá certamente melhor obra e melhor qualidade de vida para todos”, disse o presidente da Câmara.

PUB

Em termos das atividades económicas, outra área de aposta para 2017, Ricardo Aires referiu que está para breve a abertura da Destilaria Comunitária, “uma obra que se vai juntar ao Lagar de Vila de Rei, visto que também este foi uma obra boa para todos, e espero que a destilaria também o seja”.

O autarca acredita que ao fazer este investimento, o município está a “incentivar as pessoas a continuarem com a agricultura, porque é uma área importante a desenvolver no concelho”.

Em nota de imprensa a autarquia destaca ainda a nível da Educação a construção de Creche Municipal e comparticipação total na aquisição de manuais escolares para o Ensino Secundário; na Ação Social, a conclusão do projeto para o Centro Geriátrico de Vila de Rei, um projeto para um Lar Residencial para pessoas portadoras de deficiência, e apoio às instituições de Solidariedade Social; a aposta na área do Desporto, Recreio e Lazer é reforçada com a criação de uma Quinta Pedagógica; na área da Indústria e Energia, serão efetuados trabalhos nas infraestruturas urbanísticas na Zona Industrial do Souto, eficiência energética na iluminação pública e edifícios públicos; no âmbito do Turismo, pretende-se a construção do Parque de Campismo de Fernandaires e o alargamento da zona de lazer do Centro Geodésico.

collagePS de Vila de Rei apresenta declaração de voto contra

Os vereadores do executivo da bancada socialista, Luís Miguel Jerónimo e Carlos Garcia, entregaram na reunião de executivo camarário de 4 de outubro uma declaração de voto contra o documento das Grandes Opções do Plano e Orçamento para o ano de 2017, considerando que mais uma vez a autarquia de maioria social-democrata apresenta um orçamento de “gestão corrente”, e o “investimento é não só tímido como quase nulo”.

Os socialistas alegam que “existe uma clara falta de estratégia de desenvolvimento estruturada, coerente e sustentável para o concelho e que além de não criar mais emprego e de não trazer mais investimento não luta contra a desertificação do nosso concelho”, acrescentando que, no que toca às Grandes Opções do Plano, a bancada socialista apenas vê “manutenção de propostas e obras ad infinitum, que vêm presentes nos sucessivos orçamentos mas que depois não saem do papel”, referindo no comunicado, os projetos da “construção do Núcleo Museológico das Conheiras ou do Parque Aventura da Água Formosa ou até mesmo de uma barragem mini-hídrica, entre muitos, que só têm um orçamento definido para o ano de 2017 de 100€ é o mesmo que dizer que não se irão concretizar”, lê-se.

O PS de Vila de Rei entende que “é preciso apostar em sectores como a floresta, o turismo ou agricultura para diferenciar a economia do concelho, criar valor acrescentado e com isso trazer mais investimento e mais emprego”.

“Querem prometer aquilo que não têm intenção de cumprir. Por todas as razões elencadas o Partido Socialista de Vila de Rei só pode ser contra este orçamento”, conclui a concelhia.

Ricardo Aires, segundo consta na ata lavrada na reunião de executivo de 4 de outubro, lamentou que mais uma vez o Partido Socialista apresentou declaração de voto contra, “onde faz contradições ao que dizem, lamentando o facto de não terem capacidade de apresentar uma solução ou proposta”, acrescentando que “a oposição só serve para criticar”.

O executivo entendeu que o documento se encontra em condições e que deverá ser apresentado na próxima sessão de Assembleia Municipal.

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here