- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Vila de Rei | Museu de Geodesia recebeu lançamento da Rede 5G em território nacional

O Museu de Geodesia, localizado no Centro Geodésico de Portugal, recebeu, esta quinta-feira, 6 de janeiro, o lançamento em território nacional dos serviços de comunicação de quinta geração – 5G, numa cerimónia que contou com a presença do presidente executivo da Altice, Alexandre Fonseca, e do vice-presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Paulo César Luís.

- Publicidade -

A tecnologia 5G é a evolução da rede móvel para a 5ª geração. Com a 5G chegam velocidades muito superiores, menores tempos de resposta (latência) e uma rede mais robusta, capaz de entregar Internet e Voz com qualidade, mesmo nas zonas e situações mais congestionadas, proporcionando uma melhor experiência de utilização para muitos equipamentos, disponíveis no portfólio empresarial, em simultâneo e onde quer que estejam.

Durante a apresentação, Alexandre Fonseca afirmou que “este lançamento simbólico do arranque da rede 5G da MEO, que chega desde logo a todas as capitais de distrito, pretende ser uma ferramenta de combate às assimetrias regionais, na procura da universalidade do acesso às comunicações.”

- Publicidade -

Paulo César Luís começou por agradecer “a escolha de Vila de Rei para o lançamento da 5G, num gesto que pretende mostrar a centralidade e a globalidade deste projeto.”

Afirmou, ainda, que “o reforço da qualidade das telecomunicações vem facilitar a comunicação do Município com os seus habitantes e, principalmente, o acesso das pessoas à informação. Estamos certos que, com esta nova tecnologia, a comunicação dos munícipes com os serviços autárquicos será realizada de uma forma ainda mais célere e eficiente.”

- Publicidade -

A implementação da tecnologia 5G promete reforçar os meios comunicacionais existentes até à data.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome