Vila de Rei | Município prevê para 2020 mais de 5,5 ME de obras públicas

O prolongamento dos passadiços do Penedo Furado são uma das obras previstas para 2020 Foto: CMVR

O Município de Vila de Rei tem previsto, de acordo com o plano e orçamento para 2020, 21 obras públicas e projetos, sendo que 3 aguardam aviso de candidatura. Tal resume-se num valor de mais de 5,5 milhões de euros em obras, para um município com orçamento de 8,1 milhões de euros para o ano 2020. Ricardo Aires salienta as obras de reabilitação das praias fluviais do Bostelim e do Penedo Furado, que espera ver terminadas em julho e a tempo da época balnear, aguardando que o Governo cumpra com os apoios prometidos no âmbito dos prejuízos causados pela Tempestade Elsa. Por outro lado, aguarda-se com expetativa a chegada do parecer da APA para avanço da 2ª fase dos Passadiços do Penedo Furado e destaca-se a nova captação de água do concelho, com novo reservatório para garantir abastecimento, “uma obra para o futuro”.

PUB

PUB

O autarca reconheceu, em declarações ao mediotejo.net e depois de a listagem de obras ter sido levada para conhecimento à reunião de Câmara de dia 15 de maio, que se trata de um conjunto de obras “de variadas áreas”.

Reunião CM Vila de Rei - 15 05 2020
Na reunião de Câmara de Vila de Rei, a 15 de maio, foram aprovadas várias obras públicas no concelho Foto: mediotejo.net

A obra com destaque e considerada “importante” para o concelho é a nova captação de abastecimento de água, uma vez que o Município é entidade gestora do sistema de abastecimento de água, em alta e em baixa, e o novo reservatório, na Orgueira, fazendo “investimento de futuro, para salvaguardar o concelho com uma reserva de água para hipotéticas situações de escassez no abastecimento ou corresponder ao crescimento do concelho”.

PUB

Com a pandemia “houve certos atrasos de candidaturas/avisos, e até obras que estiveram suspensas, mas estamos a fazer tudo por tudo para que se concluam no termo da obra, conforme consta nas consignações”, referiu Ricardo Aires.

Em causa também as obras para reabilitação dos danos causados pela intempérie da Tempestade Elsa, em dezembro de 2019, nas praias fluviais do Bostelim e do Penedo Furado, que era suposto terem terminado em início de junho, mas com a pandemia de covid-19 houve um atraso nas mesmas.

Por outro lado, aguarda o município ajudas da Administração Central para fazer face às despesas inesperadas com as obras do Bostelim e do Penedo Furado. “Esperemos que o Governo central cumpra com a promessa e que cheguem, um dia, apoios para fazer face às intervenções para solucionar os problemas e prejuízos das praias fluviais, fruto da tempestade Elsa, em dezembro de 2019”, afirmou.

Tempestade ‘Elsa’ causou danos superiores a 650.000€ no concelho de Vila de Rei. Em todo o Médio Tejo os prejuízos ascendem aos 6,7 ME. Foto: CMVR

“Estamos à espera que terminem o mais depressa possível, antes de 1 de julho. Mas temos de ter compreensão pelo facto de os trabalhadores também serem seres humanos e temos de ter isso em atenção”,

Ricardo Aires salientou ainda o aviso de candidatura para as zonas industriais, que em Vila de Rei representa mais um investimento na preparação daquela infraestrutura, no sentido de melhor acolher empresas e motivar o desenvolvimento económico do concelho. Em causa está um projeto a aguardar candidatura, de cerca de 1 milhão e 100 mil euros, para instalação do Centro empresarial do Souto e ampliação da Zona Industrial do Souto.

“É uma obra muito importante para a zona industrial do Souto, onde vamos conseguir aumentar a capacidade e maior oferta para atração e captação de empresas para o concelho. Gerar riqueza significa gerar mais postos de trabalho. O aviso de candidatura já devia ter saído, mas atrasou devido à pandemia”

A autarquia tem investido nos últimos anos na Zona industrial do Souto, pretendendo modernizar e potencializar aquele espaço que tem captado a atenção de empresas multinacionais e internacionais. Foto/arquivo: mediotejo.net

O autarca salientou outras obras, nomeadamente o alargamento de estrada municipal, entre a Estrada Nacional 2 e a aldeia de Seada, com fundos municipais. “É uma grande obra para aquela zona do concelho e tem um investimento da autarquia de cerca de 370 mil euros na primeira fase”, referiu.

Destaque ainda para a segunda fase dos Passadiços do Penedo Furado, com prolongamento e acesso à Bicha Pintada, um investimento de cerca de 110 mil euros na fase inicial e que aguarda parecer da APA. “Dependemos, mais uma vez, do parecer da APA para podermos iniciar a segunda fase do projeto dos passadiços”, assumiu Ricardo Aires.

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here