Vila de Rei | Município pondera avançar com providência cautelar para evitar encerramento dos CTT

Estação dos Correios em Vila de Rei

O município de Vila de Rei prepara-se para interpor uma providência cautelar no sentido de evitar o encerramento da Estação dos CTT em Vila de Rei, a única existente no concelho. Mas, perante uma recente proposta da administração dos Correios de Portugal que sugere a passagem da administração para a Junta de Freguesia de Vila de Rei, a providência cautelar pode recuar. A decisão será tomada na próxima segunda-feira, 12 de novembro, em reunião extraordinária do Executivo camarário e da Junta de Freguesia. Ricardo Aires considera a proposta “menos má”.

PUB

Na próxima segunda-feira o Executivo da Junta de Freguesia de Vila de Rei, reunido com o Executivo da Câmara Municipal, decidirá se aceita a recente proposta da Administração dos CTT – Correios de Portugal no sentido de assumir a gestão do serviço postal universal a que os CTT estão obrigados. A proposta pretende manter o balcão a funcionar no mesmo local cedido gratuitamente pelos CTT oferecendo os mesmos serviços que atualmente a Loja dispõe.

Se a Junta de Freguesia não aceitar as condições propostas pelos CTT o Município avançará com uma providência cautelar na tentativa de impedir o encerramento da única loja dos CTT existente no concelho de Vila de Rei.

PUB
Assembleia Municipal de Vila de Rei. Presidente da Câmara, Ricardo Aires

No dia 19 de outubro, o Executivo levou uma proposta a reunião de Câmara “tomando por unanimidade a posição de lançar um comunicado à população no sentido de apelar aos comerciantes para que nenhum privado no concelho assuma a gestão do serviço postal universal” explicou esta Ricardo Aires. Isto porque a administração dos CTT comprometeu-se em não encerrar a Loja enquanto não fosse encontrado um parceiro que garantisse o serviço postal universal a que a empresa está obrigada.

Na passada sexta-feira (2 de novembro) o Executivo, devido à “incerteza se haverá algum privado que aceite ter um posto dos CTT, por cautela, propusemos avançar com uma providência cautelar. Ainda não avançou” porque o Executivo pretendia “escutar os ecos” dos deputados municipais em sede de Assembleia Municipal.

A administração dos CTT, confrontada com a hipótese da providência cautelar, enviou o chefe de gabinete do presidente dos CTT a Vila de Rei, na segunda-feira, 5 de novembro, para reunir com Ricardo Aires. A proposta oficial chegou na manhã desta quinta-feira, com as seguintes condições:

“A administração disponibilizou-se para ceder gratuitamente a Loja dos CTT à Junta de Freguesia de Vila de Rei, com uma comissão global estimada no valor de 630 euros decomposta por uma comissão fixa mensal no valor de 350 euros e uma comissão variável de valor entre 260 e 280 euros calculada de acordo com o volume de negócio atual e cedência gratuita das instalações. O posto de correio assegura a prestação de todos os serviços e produtos do serviço postal universal bem como pagamentos de faturas e vales de prestações sociais”, deu conta Ricardo Aires.

PUB

A aceitação da proposta por parte da Junta de Freguesia implica encargos com “um funcionário, água, eletricidade e consumíveis”, esclarece o presidente Ricardo Aires. O autarca considera a proposta “menos má” uma vez que um posto dos CTT, num qualquer estabelecimento comercial local, “não garante a prestação de todos os serviços”.

Sérgio Francisco, Presidente da Junta de Freguesia de Vila de Rei (à direita)

Questionado pelo mediotejo.net Sérgio Francisco, presidente da Junta de Freguesia de Vila de Rei, não adiantou a sua posição face a esta proposta, remetendo para a próxima segunda-feira a decisão que será tomada conjuntamente com o Executivo da Câmara Municipal.

A 12 de outubro, o presidente Ricardo Aires, esteve reunido com o Diretor dos Postos CTT Norte, Francisco Castelo Branco, onde foi comunicado o Plano de Transformação Operacional da empresa, que prevê o encerramento de diversas estações a nível nacional, entre as quais a de Vila de Rei.

Nessa sequência, o presidente da Câmara enviou duas cartas para Lisboa, a dar conta da “política para o interior”, uma para o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e outra para o primeiro-ministro, António Costa, questionando se “o acordo para-social assinado pelos CTT na época da privatização está a ser cumprido”. Entretanto, o Executivo equacionou avançar com uma providência cautelar.

No final do ano passado, os CTT apresentaram um Plano de Transformação Operacional que prevê a redução de trabalhadores, bem como a otimização da implantação de rede de lojas através da conversão de lojas em postos de correio ou do fecho de lojas com pouca procura por parte dos clientes.

Veja aqui as declarações do presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires:

PUB

Vila de Rei / O presidente da câmara Ricardo Aires faz um ponto de situação sobre o encerramento da loja dos CTT em Vila de Rei.

Publicado por mediotejo.net em Quinta-feira, 8 de Novembro de 2018

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here