Vila de Rei | Mulher de 36 anos é o primeiro caso de Covid-19 no concelho

ACES Médio Tejo chegou aos 252 doentes e já tem 137 pessoas recuperadas do vírus. Foto: DR . Foto: DR

Uma mulher de 36 anos, de Vila de Rei, é o primeiro caso de infeção por Covid-19 naquele concelho, confirmou esta manhã ao mediotejo.net a Delegada de Saúde Pública do ACES do Pinhal Interior Sul, Manuela Vaz. De referir que o município ativou na terça-feira, dia 24, o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil para fazer face a um possível surto do novo coronavírus após reunião com a Comissão Municipal de Proteção Civil.

PUB

PUB

A Delegada de Saúde Pública confirmou tratar-se de um caso de infeção por Covid-19, residente na sede do concelho, e que está em isolamento em casa e sob vigilância das autoridades de saúde. Seguindo os procedimentos comuns, estão a ser listadas as pessoas que tiveram contacto próximo com este novo caso, no sentido de prevenir uma cadeia de transmissão.

Manuela Vaz já havia feito um apelo, recorrendo às redes sociais, a toda a população dos concelhos da região do Pinhal Interior, pedindo que “acatem e apliquem no seu dia a dia as regras de higiene e segurança emanadas pela Direção-Geral de Saúde e amplamente divulgadas pelos meios de comunicação social”.

PUB

A Delegada de Saúde Pública recomenda ainda aos que se deslocam das grandes cidades para estes concelhos do Interior do país “que mantenham um período de isolamento social de 14 dias, que restrinjam ao máximo o contacto com os habitantes locais durante esse período, por forma a evitar o contágio destes com o vírus SARS-CoV-2”.

“Com a melhor colaboração de todos vamos conseguir ultrapassar este difícil período. A saúde dos que lhe são queridos começa por si. A saúde de todos nós depende mais do que nunca de pequenos gestos como a lavagem frequente e correta das mãos, a observância de regras de etiqueta social e respiratória. Termino relembrando que no caso de apresentar tosse, febre e ou dificuldade respiratória ligue para o 808 24 24 24”, termina a recomendação emanada por Manuela Vaz.

Refira-se que, no concelho de Vila de Rei e após a reunião de Comissão Municipal de Proteção Civil de Vila de Rei realizada a 24 de março, o Município ativou o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil com intuito “de disponibilizar uma logística complementar” caso surja um surto de Covid-19 no concelho. Foram ainda tomadas medidas, nomeadamente que visem quarentena obrigatória de todos os que vierem para o concelho, vindos de outros pontos do país ou do estrangeiro e de quem se fará registo e monitorização.

Em informação enviada ao nosso jornal, o presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires, assegura que “a ativação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil é um passo fundamental para dar uma resposta mais célere e eficaz, num hipotético surto de Covid-19 no concelho. O Plano está, de momento, numa fase preventiva mas permite-nos já gerir da melhor forma todos os recursos e meios necessários para fazer frente a uma eventual pandemia”.

Segundo a autarquia, a sessão contou ainda com apresentação e aprovação do Plano Operacional Municipal para atuação face ao Covid-19 (POMCov) e o seu modo de atuação no concelho de Vila de Rei, sendo que “será permanentemente atualizado em resposta a novas orientações ou recomendações por parte da Direção-Geral de Saúde e à realidade da região”.

Já a ativação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil foi aprovada “enquanto complemento e reforço do POMCov” e “numa fase preventiva”. Foram tidos em conta os meios e recursos necessários para uma hipotética situação de pandemia no concelho, crendo que “a ativação deste procedimento possibilita uma melhor gestão de todos os meios necessários, com especial atenção à evolução dos acontecimentos a nível concelhio e distrital”.

A Comissão deliberou também sobre a realização de funerais, que passam a estar limitados a um máximo de 25 pessoas participantes. Os participantes deverão manter uma distância mínima de dois metros. Já no caso da pessoa falecida ser portadora de Covid-19, “os funerais são apenas abertos a familiares próximos, sendo que a participação nestas cerimónias fúnebres é desaconselhada. Os velórios são proibidos em qualquer um dos casos”. As medidas surgem como forma de diminuir a probabilidade de contágio e de controlo dos casos de Covid-19.

Na mesma reunião foi apresentada sugestão, como resposta ao CDOS de Castelo Branco, da criação de uma equipa distrital de apoio ao funcionamento das IPSSs, que serviria “um apoio às Instituições de Solidariedade Social que se deparem coma redução de recursos humanos, fruto de contágio ou estado de quarentena”.

A Comissão Municipal sugeriu ainda “o registo de pessoas imigrantes e/ou não residentes habituais, para um melhor controlo de possíveis casos da doença”, estabelecendo que “todas as pessoas que se desloquem para Vila de Rei, vindas do estrangeiro ou de outros pontos do território nacional, deverão obrigatoriamente fazer um período de quarentena de 14 dias”.

A reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil, realizada a 24 de março, contou com a presença do presidente da Câmara de Vila de Rei, Ricardo Aires, do Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila de Rei, do Comandante de Destacamento da GNR da Sertã, da Delegada de Saúde, do Presidente da Junta de Freguesia de Vila de Rei, enquanto representante das Juntas de Freguesia do Concelho, e dos técnicos do Gabinete de Proteção Civil e Florestas.

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here