- Publicidade -

Terça-feira, Janeiro 25, 2022
- Publicidade -

Vila de Rei | Festival do Bacalhau promove Azeite da Beira Baixa

Arrancou no dia 17 de março a 11ª edição do Festival Gastronómico do Bacalhau e do Azeite de Vila de Rei. Uma iniciativa do município que em 2018 conta com seis restaurantes aderentes. O evento antecede as comemorações da Páscoa, realizando-se até domingo, dia 25, inclusivé.

- Publicidade -

Pretendendo exaltar como ingredientes-chave o bacalhau e o azeite, confecionados como ditam as leis da cozinha tradicional e, principalmente, da gastronomia local, a aposta no festival gastronómico é claramente continuada para dinamizar os restaurantes do concelho mas principalmente para promover o azeite da região, uma região DOC da Beira Baixa, explicou ao mediotejo.net Ricardo Aires.

Durante a reunião de Câmara Municipal da pretérita semana foram aprovadas por unanimidade três propostas de apoio à plantação de oliveiras no âmbito da medida ‘Estímulos ao investimento no Concelho de Vila de Rei’.

- Publicidade -

São “estímulos no âmbito da agricultura que estão a plantar mais oliveiras nos terrenos” de Vila de Rei, disse o presidente. Lembrando que a primeira edição do Festival “tem alguns anos” e surgiu “com o intuito das pessoas perceberem que o nosso azeite é muito bom e que a oliveira serve também para a descontinuidade da floresta”.

Ricardo Aires refere ainda a “construção do lagar” no sentido de mostrar aos vilarregenses que “vale a pena plantarem mais oliveiras, que representa mais azeite, sendo um benefício para a nossa região visto que o azeite da Beira Baixa tem um DOC e será mais fácil de escoar”.

- Publicidade -

O presidente da CM de Vila de Rei deu conta que em 2018 “já estamos a comprar azeite ao nosso produtor”, recordando que a intenção da autarquia em promover uma marca própria de azeite produzido no concelho, tendo início em 2017 uma campanha para o efeito, comprando pelo valor de 4,60 euros/litro, após análise efetuada pelos técnicos do lagar.

Ricardo Aires entende que esta é “uma forma de dinamizar a economia local e gerar riqueza no território”. O autarca entende ainda que o concelho é propício a esta iniciativa pelas “características ideais para a produção da oliveira”, o que vem facilitar o escoamento da produção por parte dos produtores.

“Pode servir de incentivo para que estes possam aumentar o número de oliveiras e a produção de azeite. A exploração dos terrenos agrícolas terá ainda uma elevada importância a nível de limpeza de terrenos e à consequente mais-valia de prevenção de fogos florestais”, afirmou.

O Festival Gastronómico do Bacalhau e do Azeite conta com a participação de seis restaurantes do concelho: Churrasqueira Central, Fifty-Fifty, Hotel Vila de Rei, O Cobra, Tasquinha da Vila (situados em Vila de Rei) e O Eléctrico (na localidade de Relva).

“Decidimos continuar a fazer o Festival com os restaurantes aderentes. Todos têm nas suas ementas o bacalhau com o azeite”, disse Ricardo Aires.

Os menus são das responsabilidade dos restaurantes mas o autarca espera “mais inovação e mais diferenciação para que o Festival esteja cada vez melhor”. O presidente considera o Festival “um evento enraizado na região” que vem servir “a valorização e divulgação da gastronomia local e, simultaneamente, dos nossos estabelecimentos de restauração”.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome