Vila de Rei | Feira Mostra até 4 de agosto exibe potencial da região e lembra “vulnerabilidade enorme” da floresta (C/VIDEO e FOTOS)

O Parque de Feiras de Vila de Rei recebe até 4 de agosto a Feira de Enchidos, Queijo e Mel, o principal evento do concelho e que mostra o que de melhor se faz no território. O certame, que já vai na 30ª edição, abriu oficialmente este sábado mostrando que a vida continua, apesar dos incêndios. Mas o tema não foi esquecido, particularmente pelo presidente da Assembleia Municipal, durante os discursos da cerimónia oficial que deu início às festividades.

PUB

A 30ª Feira de Enchidos, Queijo e Mel arrancou este sábado e vai estender-se até dia 4 de agosto para mostrar aos visitantes o que de melhor Vila de Rei tem para oferecer. É obrigatório percorrer os 115 expositores, onde não faltam a animação infantil e musical e as mais diversas tasquinhas com comes e bebes, que este ano mereceram uma diferente disposição no Parque de Feiras de Vila de Rei, tornando a mostra mais ampla.

Trata-se de um evento organizado pelo Município no sentido de divulgar a cultura, a gastronomia e também o tecido empresarial do concelho, com o objetivo de promover o território.

PUB

“Procuramos ampliar espaços de convívio e socialização e ao mesmo tempo trazer até Vila de Rei artesanato do País inteiro, o que não era habitual” na Feira de Enchidos, Queijo e Mel, disse ao mediotejo.net Paulo César, vice-presidente da Câmara Municipal. Com “espaços mais alargados que privilegiam a socialização e o encontro de pessoas”, a ideia é ir “ao encontro daquilo que deve ser a Feira, que é um espaço de família e de comunhão”, notou.

Ricardo Aires, presidente da Câmara de Vila de Rei, na abertura da XXX Feira de Enchidos, Queijo e Mel. Foto: mediotejo.net

O certame, diz, tem como objetivo maior “mostrar quem somos”. Ou seja, “aquilo que temos para oferecer, que nos potencie e diferencie e atraia até Vila de Rei mais visitantes, mais consumidores e exportar para além das fronteiras do concelho os nossos produtos, os nossos saberes e a nossa capacidade produtiva”, destacou Paulo César.

VEJA AQUI AS DECLARAÇÕES DE PAULO CÉSAR:

Vila de Rei / Durante a abertura oficial da 30 Feira de Enchidos Queijo e Mel, o vice presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Paulo César, fala sobre os objectivos da Feira e faz alguns destaques do programa musical.

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 27 de julho de 2019

Assim, até 4 de agosto, no Parque de Feiras de Vila de Rei está em destaque o melhor do artesanato e gastronomia regional, não esquecendo as iguarias típicas como enchidos, queijo e mel da região. A abertura oficial decorreu, este sábado 27 de julho, na presença de ilustres convidados, nomeadamente autarcas do concelho e dos concelhos vizinhos e entidades militares e religiosas, com palavras de agradecimento que antecederam a visita aos expositores mas também com criticas que não esqueceram os recentes incêndios em Vila de Rei, que foram seguida de propostas de ação e de apelo ao apoio à sua implementação.

“São 30 anos de coisas boas e coisas más, isso faz parte da vida. 30 anos da nossa comunidade de Vila de Rei a crescer com nova gente, mas também 30 anos de coisas menos boas” referiu no seu discurso o presidente da Assembleia Municipal, Paulo Sérgio Duque de Brito, apontando soluções.

Para o presidente da Assembleia Municipal “é bom viver no interior do País”, no entanto, fez notar “um despovoamento acelerado e uma vulnerabilidade enorme da nossa floresta. Somos uma zona de pinhal e somos altamente vulneráveis aos fogos”, disse, reconhecendo ser este “um problema nacional”.

XXX Feira de Enchidos, Queijo e Mel de Vila de Rei. Foto: mediotejo.net

Por isso, falou “num conjunto de políticas” que no seu entender devem ser nacionais. “O País tem de perceber se quer o não ter esta desigualdade entre o interior e o litoral do País. E fala-se muito mas na prática é difícil implementar políticas que resolvam este problema” referindo-se aos recentes incêndios que queimaram cerca de 6 mil hectares no concelho.

Lembrando a presença recente do Presidente da República na região, concordou com as palavras de Marcelo Rebelo de Sousa. “É preciso investimento público e privado. Temos ideias e objetivos que queremos cumprir. Mas precisamos que nos ajudem, precisamos de investimento público que ajude a desenvolver as nossas ideias”.

E as ideias que devem “funcionar em parceria, com parceiros da zona do pinhal e com a Comunidade Intermunicipal” centram-se nomeadamente na biomassa “que permite criar riqueza e ser a grande alternativa ao petróleo, com as biorefinarias”.

Frisou que o novo quadro comunitário, “o Horizonte Europa, passa pela descarbonização da sociedade” e Vila de Rei “tem condições para dar um contributo sério para essa descarbonização”, defendeu.

Paulo Sérgio de Brito, presidente da Assembleia Municipal, discursou na abertura da XXX Feira de Enchidos, Queijo e Mel de Vila de Rei. Foto: mediotejo.net

Referiu que Vila de Rei possui uma pequena biorefinaria, que vai ao encontro do que defende a União Europeia, “pequenas unidades descentralizadas no País que possam valorizar os recursos endógenos de cada uma das regiões”.

PUB

“Podemos utilizar o material que resulta da limpeza da floresta para produzirmos novos materiais. Isto é o futuro!”, afirmou. “Só a componente energética daria por exemplo para sermos autosuficientes em termos de edifícios públicos”, fez notar.

Paulo Brito mencionou ainda o projeto Cann10-Portugal, uma empresa fitofarmacêutica que vai instalar uma unidade no concelho de Vila de Rei, prevendo atingir a criação de 100 postos de trabalho. Esta unidade servirá a “transformação” de cannabis sativa, aguardando a autorização do Infarmed.

Mas também aqui manifesta alguma preocupação pelo tempo despendido com pareceres. “Os investidores desanimam e se houver outra oportunidade noutro país provavelmente mudarão porque não têm um amor especial por Vila de Rei”, disse.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires (PSD), falando em “30 anos na senda do progresso em espaço rural, de desenvolvimento económico no concelho”, lembrou ser o certame “uma iniciativa que visa a promoção e apoio da atividade económica do Município”.

Deu conta que “os planos de desenvolvimento regional até à data em Portugal têm privilegiado determinados âmbitos de intervenção, principalmente as infraestruturas e a articulação territorial, distanciando outras vertentes como o meio ambiente, os recursos energéticos sociais e culturais para um isolamento parcial ou total face a estas comunidades”.

Abertura oficial da XXX Feira de Enchidos, Queijo e Mel de Vila de Rei. Ricardo Aires. Foto: mediotejo.net

Para Ricardo Aires, “esta falta de atenção tem sido motivada pelos planos locais e pelo facto das instituições económicas e sociais pertencentes a estes âmbitos espaciais não contarem normalmente com competências significativas nestas matérias”.

Acreditando estar o Município no caminho “certo” para a criação de postos de trabalho, o autarca salientou o trabalho do gabinete de inserção profissional municipal em conjunto com o Instituto do Emprego e Formação Profissional e o CLDS 4G, e referiu “as ações de formação e capacitação” que em Vila de Rei têm vindo a ser desenvolvidas assumindo-se de “particular relevância”.

Ricardo Aires destacou também os apoios às empresas e a construção das infraestruturas da Zona Industrial do Souto, no sentido de “melhor preparar” o concelho para o investimento e falou na importância da Feira e do associativismo “um instrumento para dinamizar o tecido empresarial” de Vila de Rei.

No dia de abertura era visível a azáfama dos últimos preparativos no palco principal que recebe os vários concertos, nomeadamente artistas como Agir, Toy ou Rouxinol Faduncho, que farão a animação musical na aposta de um cartaz abrangente que abraça até os ritmos brasileiros com os Canta Brasil.

Abertura oficial da XXX Feira de Enchidos, Queijo e Mel de Vila de Rei. Foto: mediotejo.net

O programa da Feira continua a apostar em atividades complementares, levadas a cabo por coletividades ou instituições do concelho. A nível desportivo destaca-se, entre outros, um Torneio de Ténis, aula aberta de yoga, demonstrações da Escola de Ballet do Vilarregense FC e do Núcleo de Vila de Rei de Karaté ANAM, uma Prova de Orientação noturna e um Passeio de Canoagem promovido pela ARCD Aivado.

A par do certame, está a decorrer a 21ª Feira do Livro, aberta durante os nove dias, nas instalações do antigo edifício do Posto de Turismo de Vila de Rei, no parque de Feiras. Por outro lado há ainda exposições para visitar nomeadamente a exposição “Feira de Enchidos, Queijo e Mel: 30 anos de História”, no Museu Municipal, e, na Biblioteca Municipal, a exposição de pintura “Variedade Artística” e a exposição de fotografia “Arritmias da Natureza”, pelo mão do vilarregense André Farinha.

Durante o evento acontecerá a 33ª Colheita de Sangue, que terá lugar entre as 15h00 e as 19h00 do dia 3 de agosto no auditório municipal, e houve rastreios cardiovasculares gratuitos este sábado a repetir domingo, 28 de julho e 4 de agosto, entre as 16h00 e as 00h00, no hall do edifício dos Paços do Concelho. E ainda rastreios de tensão arterial, glicémia, peso, altura e índice de massa corporal realizados por alunas de medicina da Universidade de Coimbra.

Até dia 4 de agosto, Vila de Rei junta os seus em convívio e mostra-se ao mundo, num convite para conhecer mais de perto o potencial e as riquezas deste município que marca o Centro Geodésico de Portugal.

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here