- Publicidade -

Domingo, Dezembro 5, 2021
- Publicidade -

Vila de Rei | Época Balnear tem início a 15 de junho

A época balnear no Concelho de Vila de Rei vai ter início esta quinta-feira, dia 15 de junho, com as suas infraestruturas de apoio aos visitantes prontas a funcionar nas Praias Fluviais do Penedo Furado, Bostelim, Fernandaires e Complexo de Piscinas de Vila de Rei.

- Publicidade -

Estas infraestruturas estarão assim preparadas para voltar a receber milhares de visitantes neste Verão. Os bares de apoio nas Praias de Penedo Furado e Fernandaires, encontrar-se-ão em funcionamento das 10h00 às 20h00, enquanto que o bar da Praia Fluvial do Bostelim estará aberto entre as 11h00 e as 20h00.

A Piscina Descoberta de Vila de Rei e a Piscina Infantil vão funcionar das 10h00 às 12h00 e das 15h00 às 20h00, incluindo fins-de-semana, com abertura a 16 de junho.

- Publicidade -

Para além dos bares de apoio, os visitantes vão ainda encontrar balneários e zonas de estacionamento fácil em todas as Praias Fluviais do Concelho e Complexo de Piscinas, sendo que todas estas áreas se encontram vigiadas por Nadadores Salvadores, salvaguardando toda a segurança dos seus visitantes.

No ano de 2017, as zonas balneares do Concelho de Vila de Rei viram novamente a sua qualidade reconhecida e comprovada através da atribuição da Bandeira Azul à Praia Fluvial do Bostelim (pelo segundo ano consecutivo), da distinção da Quercus à Praia Fluvial das Fernandaires e à Zona Balnear da Zaboeira como “Praias com Qualidade de Ouro” e da identificação igualmente da Zona Balnear da Zaboeira como “Praia ZERO Poluição”.

Para a nova época balnear foram realizados diversos trabalhos de manutenção, pequenos arranjos e gestão do espaço envolvente em todas as zonas balneares do Concelho, nomeadamente Bostelim, Fernandaires, Pego das Cancelas, Penedo Furado, Zaboeira e Complexo de Piscinas de Vila de Rei.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome