Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

Vila de Rei | Empresa de automóveis antigos vai instalar-se na zona industrial

Vila de Rei terá mais uma empresa a laborar até ao final de 2019. A proposta de venda de dois lotes de terreno na zona industrial do concelho para implementação da empresa francesa de veículos automóveis antigos foi aprovada por unanimidade esta segunda-feira, 20 de maio, em reunião de Câmara Municipal.

- Publicidade -

Vila de Rei vai contar até ao final do ano com uma nova empresa “de transformação de carros. Os investidores franceses são especialistas em transformação por exemplo daquelas carrinhas conhecidas como pão-de-forma”, deu conta ao mediotejo.net o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Aires (PSD).

A atividade da empresa é no ramo da importação (basicamente dos Estados Unidos) e exportação (para todo o mundo mas essencialmente para França) de carros antigos e de coleção. Pretende efetuar a sua recuperação/reconversão e posteriormente a sua venda.

- Publicidade -

O promotor, Matthieu Baudouin, gerente da empresa, segundo informação do município, “possui uma vasta experiência no ramo, pois a sua formação superior é em mecânica, tendo sido mecânico/chefe da Renault e colaborador em vários stands de automóveis”.

O número de postos de trabalho a contratar serão quatro, nomeadamente um chefe de oficina e três mecânicos.

“Neste momento estamos em negociação. Para já são quatro postos de trabalho mas com o desenvolvimento do negócio, ou não, pode aumentar. Um investimento no concelho e estamos muito felizes com isso. Estive anteontem em Paris” onde se firmou o compromisso da compra de terrenos referiu o autarca indicando que Vila de Rei participou no Oitavo Salão Imobiliário em Paris.

A empresa acordou, então, adquirir dois lotes de terreno (o lote 26 e o lote 27) na zona industrial de Vila de Rei, visando a implementação de um pavilhão, com aproximadamente 500 metros quadrados para o desenvolvimento da atividade (oficina) e no outro lote de terreno será para albergar as viaturas para venda.

O facto da Estrada Nacional 2 atravessar o concelho foi visto pelo promotor como “uma mais valia” para o negócio. “Ficou muito satisfeito, porque com este tipo de carros clássicos faz-se muitas organizações e tendo a EN2 aqui poderá ser uma vantagem para a empresa” explicou Ricardo Aires.

Embora essa não tenha sido a principal razão que levou o empresário francês a escolher Vila de Rei, admite. “A razão foi o centro de Portugal, e Vila de Rei é um concelho que tem boas vias de comunicação e ao mesmo tempo um baixo preço do terreno, que custa dois cêntimos o metro quadrado” conclui o presidente.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).