Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Vila de Rei | Empresa com capital estrangeiro investe 4 milhões na Zona Industrial do Carrascal

Uma empresa de construção no âmbito da “economia circular”, num investimento de 4 milhões de euros, vai instalar-se na Zona Industrial do Carrascal e criar 15 novos postos de trabalho, avançou o presidente da autarquia, Ricardo Aires. Em reunião de executivo, mais dois lotes de terreno nas zonas industriais do concelho de Vila de Rei foram aprovados para venda. Uma empresa vai instalar-se na Zona Industrial do Souto e outra, cuja atividade iniciou na vila em 2011, expande-se agora para a Zona Industrial de Vila de Rei.

- Publicidade -

As propostas para aquisição do lote n.º 19 na Zona Industrial do Souto, bem como a reserva do lote n.º 18, para a empresa Solcriat Evento foram aprovadas por unanimidade na sexta-feira, 21 de fevereiro, pelo executivo de Vila de Rei. Esta empresa, numa fase inicial, pretende recrutar 3 postos de trabalho, com preferência por residentes de Vila de Rei.

“É uma nova empresa para o concelho” afirma o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Aires (PSD). Contudo, essa novidade não seria a única a ser comunicada.

- Publicidade -

O concelho de Vila de Rei tem um novo investimento. Uma empresa de capital estrangeiro ligada à construção civil “adquiriu um pavilhão à banca, junto à Fundação João e Fernanda Garcia na Zona Industrial do Carrascal, e vai criar 15 postos de trabalho”, deu conta o autarca ao mediotejo.net

Segundo Ricardo Aires, trata-se de “novas técnicas de construção que têm a ver com a economia circular e com novos isolamentos para casas. A empresa entrega uma candidatura na CCDR Centro no princípio de março e será um investimento de 4 milhões de euros”, avançou, indicando que a empresa iniciará laboração em setembro.

Já a empresa Solcriat Evento tem como objeto social a produção e organização de eventos de qualquer índole, feiras, festivais e outros espetáculos, aluguer de bens recreativos e desportivos, comércio e aluguer de equipamentos relacionados com as atividades, assim como produção e fabrico de estruturas metálicas, agenciamento de artistas e consultadoria para os negócios e gestão, e ainda prestação de serviços de comunicação e publicidade.

“Como os empresário são do Norte do País mas têm muitos eventos na região, desde Leiria a Castelo Branco e até no Alentejo, encontraram em Vila de Rei o ponto central”, explicou Ricardo Aires.

Na mesma sessão, também foi aprovado, por unanimidade, a venda do lote 17 na Zona Industrial de Vila de Rei à empresa Dimigasil, para construção de um pavilhão que dará continuidade à atividade de venda ao público de produtos alimentares para animais de companhia e outros, sementes, fertilizantes, plantas e flores, ferragens, tintas e produtos e maquinaria para a agricultura e silvicultura.

A empresa iniciou a sua atividade em 2011 e com esta expansão pretende criar mais um posto de trabalho.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome