- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Vila de Rei cancela Feira Anual e Proteção Civil revela números da pandemia

A equipa de Proteção Civil de Vila de Rei fez, ao dia 5 de janeiro, um ponto de situação do alastrar da pandemia no concelho, atualmente com 27 casos positivos ativos, tendo o município decidido cancelar a tradicional Feira Anual, agendada para 23 de janeiro. .

- Publicidade -

- Publicidade -

A juntar aos casos positivos, encontram-se atualmente 18 pessoas em vigilância ativa/isolamento. Desde o início da pandemia, o concelho de Vila de Rei conta com 219 casos positivos acumulados, 182 recuperados e 10 óbitos. Em confinamento encontra-se, nomeadamente, o presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires, que esta sexta-feira, 7 de janeiro, não compareceu em reunião de executivo municipal devido à doença covid-19.

A nível da vacinação contra a covid-19, o Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Sul (ACESPIS), da qual fazem parte os concelhos de Vila de Rei, Sertã, Oleiros e Proença-a-Nova, é o Agrupamento com melhor cobertura vacinal da região centro. O concelho de Vila de Rei tem, de momento, 91,4% da população vacinada com a 1º dose da vacina, 85,2% com duas doses da vacina e 52,4% já vacinados com a dose de reforço/3ª dose.

- Publicidade -

A Delegada de Saúde do ACES do Pinhal Interior Sul, Maria Manuela Vaz, que marcou presença na reunião da equipa de Proteção Civil Municipal de Vila de Rei, a 4 de janeiro, afirma que “o aumento de casos ativos de covid-19 em Vila de Rei está a ser devidamente acompanhado, bem como os últimos contactos das pessoas infetadas, de forma a colocar em isolamento profilático todas as pessoas que estiveram em contacto com a doença. É necessário que as pessoas cumpram as devidas recomendações por parte da DGS para segurança de todos.”

Ricardo Aires realça que “estão a ser tomadas todas as devidas medidas para evitar a propagação do vírus na comunidade. Para isso, contudo, é necessário o apoio e ajuda de toda a população: reduza os contactos e mantenha a devida distância de segurança. É importante também usar a máscara e desinfetar as mãos sempre que possível, mantendo igualmente todos os cuidados de etiqueta respiratória. Vamos, todos juntos, evitar que o vírus se continue a disseminar para ultrapassarmos esta difícil conjuntura.”

- Publicidade -

O Município de Vila de Rei apela ainda para que, no caso da realização de autotestes com resultado positivo, as pessoas permaneçam em isolamento em casa até conseguirem contactar com a Linha de Saúde 24. Devido ao aumento de casos a nível nacional, esta linha poderá estar sobrecarregada mas é de extrema importância que as pessoas cumpram estas diretrizes da Autoridade de Saúde.

Durante o período de isolamento, os casos ativos devem permanecer em casa (sempre que possível numa divisão de uso exclusivo e sem contacto com os coabitantes), não devem receber visitas e não devem partilhar objetos (cama, lençóis, cobertores, toalhas ou outros utensílios).

A autarquia vilarregense informa que disponibiliza apoio psicológico e social a todas as pessoas que necessitem deste serviço. Para mais informações deverão contatar o número 912 514 347. A equipa do CLDS 4G de Vila de Rei poderá ainda prestar apoio através da entrega de medicamentos, alimentos e outros produtos básicos essenciais a pessoas infetadas com o SARS-CoV-2 ou em isolamento. Informações adicionais através do número 274 898 397.

O Município tem também em funcionamento a Linha de Apoio ao Empresário, que presta todos os esclarecimentos essenciais aos empresários, administradores e proprietários de espaços comerciais. Poderão contactar o Gabinete de Dinamização da Atividade Económica – 938 701 485 ou o CLDS 4G de Vila de Rei – 966 039 780. 

Face a este aumento do número de casos, a equipa de Proteção Civil Municipal decidiu pela não realização da Feira Anual agendada para o dia 23 de janeiro.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome