Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Vila de Rei | BE e PSD criticam encerramento de estação dos CTT

O BE e o PSD criticaram hoje o anunciado encerramento de estação dos CTT de Vila de Rei, naquele que os bloquistas referem ser “o terceiro encerramento no distrito de Castelo Branco no espaço de poucas semanas”.

- Publicidade -

Em nota de imprensa, a Comissão Coordenadora Distrital de Castelo Branco do Bloco de Esquerda diz que “poucos dias depois de ter denunciado o plano que se encontra em marcha para o encerramento de todas as estações CTT que não tenham balcão do banco CTT”, assiste-se à “confirmação desta denúncia” e, desta vez, “trata-se da estação de Vila de Rei que irá encerrar, continuando a senda de encerramentos de serviços no Interior” do país.

“A população de Vila de Rei ficará privada do acesso a um serviço indispensável ao seu bem-estar”, critica o BE, tendo acrescentado estar “a estudar ações de luta que conduzam ao impedimento do encerramento de estações e reversão da privatização danosa dos CTT”.

- Publicidade -

A concelhia do PSD de Vila de Rei, por sua vez, está a apelar aos comerciantes que “não aceitem” a proposta dos CTT em assegurarem o seu serviço, “obrigando-os a manter as suas instalações e o serviço que atualmente prestam”, pode ler num comunicado dos social-democratas.

Segundo o PSD, “a direção dos CTT decidiu proceder à reestruturação dos serviços, iniciando um processo de encerramento de serviços, e em alguns casos, à sua diminuição, com a passagem de estações para postos dos CTT”.

Nesse sentido, segundo a estrutura social-democrata, “foi comunicado que a estação dos correios de Vila de Rei irá dar lugar a um posto, podendo este ser colocado ao serviço das populações em qualquer outro local, sendo este possível de ser prestado por outra entidade que não os próprios CTT”.

O PSD de Vila de Rei entende que “esta medida constitui mais um atentado ao desenvolvimento” do concelho, “à prestação de serviços de proximidade” das suas gentes, “e à sua própria qualidade de vida”, tendo criticado o Governo por “continuar a ignorar as dificuldades crescentes de todos aqueles que continuam a acreditar no Interior”.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome