Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Unir o Ribatejo por passes sociais justos para todos”, por Duarte Marques

Estender os passes sociais da Área Metropolitana de Lisboa pelo menos até ao Entroncamento é um sonho de muitos desde há pelo menos duas décadas. A subsidiação dos passes sociais em Lisboa e no Porto representam uma enorme discriminação ao nível dos preços para aqueles que se deslocam diariamente para Lisboa ou Porto a partir de concelhos externos a estas áreas metropolitanas.

- Publicidade -

Tendo em conta que o Governo anunciou uma redução dos passes sociais nestas duas cidades, o que sem mais alterações só agrava ainda mais a discriminação já existente, significa que há dinheiro disponível para tal e vontade política de aliviar os custos das famílias que utilizam o transporte público.

Ora, juntando isto à cada vez maior procura de habitação fora de Lisboa graças ao aumento exponencial dos custos com habitação, é fácil perceber que há cada vez mais cidadãos a viver no distrito de Santarém e a trabalhar ou estudar na Área Metropolitana de Lisboa.

- Publicidade -

A partir do Entroncamento, de Vila Nova da Barquinha, Abrantes, de Tomar ou Torres Novas, diariamente milhares de pessoas vão para Lisboa, de carro ou de transportes públicos, pagando praticamente o triplo por quilómetro do que paga uma pessoa da Azambuja, de Vila Franca de Xira, do Barreiro, de Almada ou de Cascais.

Isto é injusto e merece uma alteração estrutural na forma como os transportes públicos estão organizados. Se precisamos de mais investimento na qualidade e quantidade, urge também trazer justiça aos passes existentes.

Este é o momento para que todos os partidos políticos, autarcas e cidadãos se empenhem na resolução desta injustiça. A porta foi aberta pelo Governo e pelos autarcas de Lisboa e do Porto. Resta-nos saber colocar de lado a partidarite, os egos e juntar esforços para o conseguirmos. Só juntos seremos capazes.

Duarte Marques, 39 anos, é natural de Mação. Fez o liceu em Castelo Branco e tirou Relações Internacionais no Instituto de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, com especialização em Estratégia Internacional de Empresa. É fellow do German Marshall Fund desde 2013. Trabalhou com Nuno Morais Sarmento no Governo de Durão Barroso ao longo de dois anos. Esteve seis anos em Bruxelas na chefia do gabinete português do PPE no Parlamento Europeu, onde trabalhou com Vasco Graça Moura, José Silva Peneda, João de Deus Pinheiro, Assunção Esteves, Graça Carvalho, Carlos Coelho, Paulo Rangel, entre outros.
Foi Presidente da JSD e deputado na última legislatura, onde desempenhou as funções Vice Coordenador do PSD na Comissão de Educação, Ciência e Cultura e integrou a Comissão de Inquérito ao caso BES, a Comissão de Assuntos Europeus e a Comissão de Negócios Estrangeiros e Cooperação. O Deputado Duarte Marques, eleito nas listas do PSD pelo círculo de Santarém, foi eleito em janeiro de 2016 um dos novos representantes portugueses na Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, com sede em Estrasburgo. É ainda membro da Assembleia Municipal de Mação.
Sócio de uma empresa de criatividade e publicidade com sede em Lisboa, é também administrador do Instituto Francisco Sá Carneiro, director Adjunto da Universidade de Verão do PSD, cronista do Expresso online, do Médio Tejo digital e membro do painel permanente do programa Frente a Frente da SIC Notícias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome