- Publicidade -

Terça-feira, Janeiro 18, 2022
- Publicidade -

TT/Fronteira | Alexandre Andrade bateu recorde pessoal com abrantinos a darem boa conta de si (c/fotos)

Quando soaram as badaladas na Igreja de Nossa Senhora da Atalaia, a bonita Matriz de Fronteira, a assinalar as 14 horas de domingo, 28 de novembro, foi mostrada a bandeira de xadrez aos participantes da 23ª edição das 24 Horas TT Vila de Fronteira, o clássico do Todo-o-Terreno que encerra a época desportiva.

- Publicidade -

Esta organização do Automóvel Clube de Portugal levou até à vila alentejana 102 equipas, mais de duas centenas e meia de pilotos de nove nacionalidades que se digladiaram nos 16 quilómetros desenhados no Terródromo de Fronteira.

O público, concentrado em duas zonas espetáculo, vibrou à passagem dos pilotos ou não fossem as 24 Horas de Fronteira, não apenas uma luta contra o cronómetro, ou uma prova de superação para homens e máquinas, mas também uma enorme festa, que celebra o verdadeiro espírito do todo-o-terreno.

- Publicidade -

Equipa luso-francesa de Alexandre Andrade correu para o recorde

Equipa de Alexandre Andrade bateu o seu próprio recorde.

A pista foi palco de uma luta entre diferentes conceitos técnicos. De um lado, os protótipos especificamente desenvolvidos para provas de resistência de todo-o-terreno. Do outro, os espetaculares e competitivos SSV, veículos que originalmente começaram por ser desenvolvidos como utilitários ou de recreação, mas que cada vez são mais vistos em provas TT, devido à extraordinária relação competitividade-preço.

- Publicidade -

Mas ainda não foi desta que se assistiu à vitória dum SSV… apesar da equipa portuguesa liderada por Rui Carneiro ter rodado na frente do pelotão. Durante a noite “atacaram” os suspeitos do costume, a equipa luso-francesa de Alexandre Andrade, acompanhado por Cedric Duple, Yann Morize e Florent Charvot.

Com um andamento superior à concorrência, a equipa do AC Nissan Proto assumiu a liderança com 11 horas de prova para vencer pela oitava vez, batendo um recorde de vitórias em Fronteira que já lhe pertencia.

“Queríamos juntar esta vitória ao triunfo nas 24 Horas de Paris. A estratégia foi começar devagar. A nossa especialidade é a noite e foi nesse período que demos todo o gás! Temos um carro espetacular, já com 10 anos, mas muito fiável; temos que agradecer ao Cedric o trabalho que faz. O Cedric é top top top…”, confessou Alexandre Andrade, referindo-se ao desempenho do seu segundo piloto e preparador do carro, Cedric Duple.

No segundo lugar, a duas voltas dos vencedores, terminou o Fouquet nº8 dividido entre os franceses Francis Balocchi, Nicolas Martin, Benjamin Bujon e Laurent Fouquet, que assegurou, ao mesmo tempo, o triunfo na categoria T1. E a fechar o pódio ficou o melhor dos SSV, equipa 100% portuguesa constituída por Rui Carneiro, João Ferreira e os irmãos Ricardo e Manuel Porém. Apesar dos problemas técnicos diversos no MMP Can-Am, o terceiro lugar foi seguro com uma volta de vantagem para os quartos classificados e celebrado em festa.

Equipa portuguesa (Rui Carneiro, João Ferreira e os irmãos Ricardo e Manuel Porém) encerrou o pódio.

“O terceiro lugar soube a vitória! Foi muito difícil, tivemos alguns problemas de transmissão durante a noite, faz parte, mas foi um excelente resultado, um grande trabalho de toda a equipa! Quando nos juntámos e decidimos fazer isto, tínhamos a certeza que só podia dar certo. Este quarteto fantástico, juntamente com toda a equipa, proporcionou o nosso melhor resultado em Fronteira. Vamos agora desfrutar!”, afirmou Ricardo Porém.

Na categoria T2, a vitória sorriu à PRK Sport Rally Team. José Rogeira, Marco Sousa, Luís Correia e Flávio Jerónimo levaram a Nissan Navara a cumprir um total de 79 voltas.
Na categoria C venceu a equipa de Ulisses Mota (Nissan Navara); na categoria A o triunfo foi para a equipa de Manuel Azevedo (UMM Alter Turbo); e na categoria B venceu a equipa PRK Sport Rally Team (Peugeot 504 Pickup).

Velhinha Peugeot 504 Pickup venceu a categoria B.

Carla Gameiro, Cristela Marto, Sílvia Reis e Chantel Neves (Suzuky Jimny) venceram no Troféu Feminino. A prova de Fronteira acolheu, pela primeira vez, uma equipa inclusiva, que incluiu o ciclista paralímpico Telmo Pinão, bem como André Venda, navegadores e ambos deficientes motores. O exemplo de superação marcou a corrida, terminada apesar de problemas de eletrónica no Buggy Astra GTC.

Sortes distintas para as equipas da região

Equipa Momsteel (Filipe Marques, Ricardo Martins, Antony Seu e William Campbell) chegaram no 16º posto.

Enquanto a equipa da Momsteel (Filipe Marques, Ricardo Martins, Antony Seu e William Campbell) se guindaram a um brilhante 16º posto na Geral, a equipa da Bemposta ‘Relatos Rebeldes’ (Filipe Oliveira, João Matos Jesus, Fernando Espadinha, Ana Rita Lizardo e Flávio Simões)  levaram a Nissan Navara até final, terminando no 43º posto. Ismael Margarido, acompanhado por Filipe Marques, Vitor Lopes e André Serrano, com alguns problemas mecânicos, chegaram na 48ª posição.

A fava calhou à equipa de Rui Marques, Tiago Alexandre, João Oliveira e António Santinho Mendes que apenas rodaram 28 voltas e acabaram fora da classificação.

FOTOGALERIA:

 

Apesar do susto João Monteiro (Can-Am X3) venceu as 4 Horas SSV Vila de Fronteira

João Monteiro venceu as 4 Horas SSV de Fronteira.

Na manhã de sábado saíram para a pista de Fronteira as 34 equipas inscritas para estas espetaculares 4 horas de gozo e adrenalina. Os pequenos bólides atingem performances dignas de registo e o público delira com as peripécias que decorrem ao longo do Terródromo.

A prova consagrou João Monteiro como vencedor, ele que já havia vencido a edição 2018. Regressou assim aos triunfos, graças a um desempenho que lhe permitiu, inclusivamente, superar um princípio de incêndio no seu Can-Am X3 durante um reabastecimento nas boxes, num momento de muita apreensão que terminou em bem. Liderou durante mais de três horas e terminou com uma volta de avanço para os segundos classificados.

“A prova foi muito boa, apesar de alguns percalços. A pista estava dura, o que é normal nesta prova. Tivemos que gerir a máquina, mas o facto de a chuva não ter aparecido ajudou”, afirmou João Monteiro, piloto inscrito pela equipa Sharish Gin/South Racing.

A luta pelo segundo lugar garantiu muita animação à corrida. A alternância foi permanente e foi preciso esperar pela última volta para a definição do pódio. Mas cumpridos os 240 minutos de prova, acabaria por ser o Can-AM X3 dividido por João Dias e Pedro Carvalho a assegurar a segunda posição, apesar de problemas técnicos que os fizeram perder cerca de quatro minutos).

No derradeiro lugar do pódio terminou a tripla que conquistou a “pole position” (Sebastien Guyette, Fabrice Rousseau e Gonçalo Guerreiro) condicionada pelo facto de cumprir grande parte da prova apenas com tração traseira no Can-Am XRS.

FOTOGALERIA:

 Depois da ausência no ano anterior pela situação sanitária não o permitir, este regresso duma prova de características únicas no País voltou a ser uma aposta ganha.

O público acorreu em grande número, tornando as Zonas Espetáculo exíguas, amontoando-se alguns milhares de pessoas num pequeno espaço. Seria necessário mais espaço destinado ao público. No plano competitivo hoje estas 24 Horas TT Vila de Fronteira são já uma referência mundial.

Muito público em Fronteira.

Fontes: Automóvel Clube de Portugal e Cronobandeira.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome