Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

TRIDENT JUNCTURE: Altas patentes estiveram hoje em campo de combate

A Brigada de Reação Rápida, no âmbito do Exercício Trident Juncture 2015, recebeu esta manhã a visita do Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas Portuguesas, General Pina Monteiro e do Embaixador do Canadá em Portugal, Jeffrey Marder, entre outras entidades.

- Publicidade -

- Publicidade -

 

A - IMG_0569A- IMG_0594Durante a sua permanência em Tancos, as altas entidades tiveram a oportunidade de assistir a uma demonstração de descontaminação em ambiente NBQ (Defesa Nuclear, Biológica e Química) e ainda presenciaram a travessia de viaturas pesadas de combate entre as duas margens do rio Tejo através de uma ponte flutuante instalada para o efeito.

- Publicidade -

Começou na segunda-feira a fase final do exercício Trident Juncture 2015 na região de Santa Margarida, Tancos e Arripiado, nos concelhos de Constância, Vila Nova da Barquinha e Chamusca, respetivamente, com a fase do ataque a uma ocupação fictícia de um país amigo da NATO por outro de natureza belicista e expansionista.

AMais de 300 viaturas de combate e dois mil militares começaram a atravessar o rio nesta região do Médio Tejo, em operação que vai decorrer até quarta-feira e para a qual foram instaladas 20 viaturas flutuantes M3 alemãs de última geração, além de uma ponte portuguesa, de menor dimensão.

A-O Trident Juncture 2015 – o maior exercício NATO desde 2002 – está a decorrer em Constância e Vila Nova da Barquinha, além de outras localidades portuguesas, até 6 de novembro, tendo começado hoje a fase do exercício que envolve o recurso a fogo real, com o “resgaste de uma nação amiga da NATO” da ocupação inimiga, e com a travessia do rio Tejo para se alcançar o ponto que centraliza as operações de libertação.

Fotos: José Neves

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here