Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | 30 anos: O homem que sonhou a Vila antes do tempo

O Parlamento aprovou a elevação de Tramagal a Vila a 3 de julho de 1986, sob proposta do PSD, mas quase uma década antes já Francisco Grácio, então presidente da junta de freguesia de Tramagal (eleito pelo PS) havia feito chegar o projeto à Assembleia da República. Foi transformado em Projeto-Lei, em 1978, mas não chegou a ir a votação, antes do final dessa Legislatura. A primeira tentativa caía por terra.

“Foi no meu mandato enquanto presidente de Junta de Freguesia que elaborámos o projeto de elevação da então aldeia de Tramagal a Vila. Em 1978 foi aprovado por unanimidade em sede de Assembleia de Freguesia e foi remetido à Assembleia da República pelo PS, através do deputado Jorge Lacão, para ser votado, o que não chegou a suceder porque entretanto terminou a sessão legislativa”, lembrou Francisco Grácio, hoje com 69 anos e proprietário de um estabelecimento de pesca.

Francisco Grácio já havia cumprido um primeiro mandato, então como secretário do presidente Acácio Gaspar, e foi no mandato de entre 1976 a 1979, já na qualidade de presidente de Junta e acompanhado por Crispim Ceia (tesoureiro) e Fernando Brízida (secretário), que veria o projeto ficar na gaveta.

“O Tramagal reunia já naquela altura as condições sócio económicas que permitiam candidatar-se a Vila, ao nível do número de eleitores, pela indústria, comércio e outros”, lembrou.

“Eu saí da Junta, o Tramagal não passou a Vila naquele ano, e, mais tarde, na presidência de Francisco Estudante (PSD) o projeto foi reativado novamente e acabou por ser votado e aprovado”, no dia 3 de julho de 1986.

“Hoje é uma Vila que não tem a atividade que tinha na altura mas continua a ser uma localidade razoável para viver”, defendeu, manifestando esperança que o futuro “ainda vai trazer ao Tramagal aquilo que merece”.


 

Coelheira
PUB


Foi por iniciativa do Partido Social Democrata (PSD) que se procedeu a uma reorganização do estatuto de várias povoações, em todo o país. Corria o ano de 1986, Cavaco Silva era primeiro-ministro e Mário Soares haveria de ganhar as mais renhidas eleições Presidenciais da História nacional, numa emotiva segunda volta com Freitas do Amaral. O projeto de lei 60/V propôs a elevação de Tramagal a Vila, tendo como primeiro subscritor o deputado Miguel Relvas, que então escreveu:

“Esperemos que esta justa promoção incentive os respectivos órgãos autárquicos de Freguesia, de Município e as forças vivas locais, para um maior desenvolvimento da nóvel vila a fim de proporcionar uma maior qualidade de vida aos seus habitantes.”

A lei nº 28/86 acabaria por ser publicada em Diário da República a 23 de Agosto, oficializando a elevação a vila, uma pretensão antiga dos tramagalenses.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome

- Publicidade -