Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Terça-feira, Setembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Tramagal | Reabertura do Mercado com frutas e hortícolas elogiado por vendedores e populares (C/VIDEO)

O Mercado semanal em Tramagal já reabriu ao público e agora todos os sábados está de porta aberta para venda de frescos e produtos de primeira necessidade, como frutas e hortícolas, uma forma de atender às solicitações dos pequenos produtores e também de conferir um pouco de ‘normalidade’ ao dia a dia da população. As medidas de segurança e higiene foram cumpridas por todos os vendedores e clientes, tendo a frescura dos produtos da terra, a par da qualidade e do baixo preço sido elogiados por quem é cliente habitual.

- Publicidade -

A abertura do mercado semanal, que funciona nas manhãs de sábado, sempre a partir das 07:00, foi feita com apertada vigilância e com as devidas medidas de contingência com vista a travar a propagação do novo coronavírus. Não eram muito os vendedores no primeiro dia de reabertura mas o negócio foi satisfatório e os clientes agradeceram poder circular num espaço amplo, higienizado, e onde os cuidados com o distanciamento social apenas permitiam a entrada de um cliente de cada vez para cada uma das bancas presentes. À entrada, os funcionários da junta de freguesia controlavam o acesso ao local.

Fernando Daniel é de Madeiras/Praia do Ribatejo, e vende todos os sábado a mais diversificada fruta fresca e hortícolas. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

Numa mesa de acesso ao mercado estava um recipiente com gel desinfetante para uso dos clientes, que, mesmo assim, eram avisados que não podiam mexer nos produtos à venda. Os vendedores usavam luvas e máscaras protetoras, numa manhã tranquila e onde o acesso ao local foi processado de forma pacata e ordeira, durante o período a que assistimos.

O cheiro e a variedade das frutas frescas, das favas e das hortaliças, mas também das azeitonas e dos queijos caseiros, deram outro colorido à vida de quem está habitualmente confinado, num dia saudado pelos pequenos produtores, que viram os seus produtos começarem a ser escoados e realizar algum negócio neste tempos de pandemia.

Aurélio Silva, 64 anos, veio de Bicas (São Miguel do Rio Torto), e era um dos vendedores presentes, com produtos hortícolas na sua banca, desde as azeitonas, ao azeite, às favas, ervilhas, feijão, couves, caldo verde, alfaces, alhos, ervilhas ou nabos e para quem foi uma satisfação poder vender um produto que é também perecível, notou, referindo-se a alguns dos produtos que ainda tinha na sua banca e que, de outra forma, se não fosse vendidos, não iriam ajudar a complementar o seu ganha pão.

Aurélio Silva veio de Bicas vender os produtos da terra, desde os alhos, às couves, nabos e alfaces. Foto: mediotejo.net

O nosso jornal ouviu também alguns clientes e vendedores que vieram de Madeiras (Praia do Ribatejo) e da Carregueira (Chamusca), que elogiaram a reabertura do espaço e as medidas de segurança, tendo o presidente da Junta de Freguesia sublinhado o civismo de todos no cumprir das regras estabelecidas para a reabertura do espaço.

“Fechámos o mercado logo após a declaração do estado de emergência e agora reabrimos, como outros mercados continuam a funcionar um pouco por todo o país, mas abrimos apenas para venda de produtos hortícolas e frutícolas, não para o mercado de produtos que não sejam de primeira necessidade, como roupas ou calçado”, disse ao mediotejo.net o presidente da Junta de Freguesia de Tramagal, tendo feito notar que as normas e regras de distanciamento social, higienização e etiqueta respiratória são um imperativo que toda a gente deve cumprir naquele espaço.

Ana Campos é de Carregueira e vem todos os sábado vender frutas e legumes ao mercado de Tramagal. Foto: mediotejo.net

“Vamos reabrir outra vez este sábado, agora já com mais vendedores, e vamos ter sempre os funcionários da junta a acompanhar a situação. Há apenas uma porta de entrada e saída, não vai haver aglomerados de pessoas dentro do mercado, e temos sinalizações com barras no chão para que todos cumpram as regras de distanciamento social”, notou Vítor Hugo Cardoso, para quem esta reabertura foi importante em termos sociais e económicos.

“Desde que todos cumpram as regras todos saem a ganhar, até porque são produtos de primeira necessidade que as pessoas precisam de adquirir e, por outro lado, este é um meio de sobrevivência também para pequenos produtores”, deu conta Vítor Hugo, para quem esta reabertura significa também um pequeno passo rumo a uma normalidade na vila e no acesso aos produtos frescos do mercado ao sábado de manhã.

O mercado vai estar a funcionar novamente este sábado, entre as 07:00 e as 12:00, sensivelmente, e ali será possível comprar alguns produtos e bens essenciais de alimentação, desde leguminosas a frutas da época.

A reabertura segue o exemplo do que sucede nos outros espaços similares do concelho, com o Mercado diário de Abrantes a funcionar todos os dias com produtos que vão do peixe (às 3ªs feiras, 5ªs feiras e sábados), padaria, talho e cafetaria (todos os dias), e hortícolas, frutícolas, pão e bolos (Piso -1 todos os dias e piso -2 aos sábados).

O Mercado Diário do Pego também se encontra aberto ao público, de terça-feira a domingo (encerra à segunda-feira), das 08:00 às 11:30, mas com restrições. Os clientes podem entrar em número de um por vendedor (que são três, dois de hortícolas e um de peixe).

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome