Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | Pedro Rodrigues concorre pelo PS com foco nas pessoas, habitação e emprego (C/ÁUDIO)

Pedro Rodrigues, 55 anos, Major da GNR na Reserva, é o candidato do PS à Junta de Freguesia de Tramagal, tendo manifestado na sessão pública de apresentação a “total disponibilidade e dedicação” para trabalhar em prol da qualidade de vida da população, assegurando particular atenção a programas que facilitem a fixação de pessoas na freguesia.

- Publicidade -

A apresentação publica dos candidatos do Partido Socialista à Junta de Freguesia de Tramagal decorreu na sexta-feira, dia 20 de agosto, no Largo dos Combatentes da Grande Guerra, onde, perante mais de uma centena de pessoas, Pedro Rodrigues dirigiu-se pela primeira vez à população dizendo ao que vem, sem “promessas que não possa cumprir”, numa candidatura com o “foco nas pessoas” e “assente num projeto político de proximidade e desenvolvimento, centrado no bem-estar e na qualidade de vida” da comunidade.

Pedro Rodrigues, que chegou a emocionar-se ao assumir publicamente a sua candidatura às eleições autárquicas num agradecimento à sua família e lembrando o seu pai, afirmou o “compromisso de trabalhar com transparência e dedicação, promovendo a igualdade de oportunidades e a participação democrática de todos, potenciando as pessoas, as associações e o emprego, através de uma política de valorização do território”.

Pedro Rodrigues, 55 anos, Major da GNR na Reserva, é o candidato do PS à Junta de Freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | DISCURSO DE PEDRO RODRIGUES, CANDIDATO PS A TRAMAGAL:

O candidato socialista não apresentou o seu programa de candidatura, que ficará para ocasião a anunciar, mas deixou as linhas gerais das linhas de ação, caso vença as eleições, e um testemunho do que o impele a concorrer à gestão da freguesia, num discurso muito aplaudido e que foi presenciado, além de populares, por autarcas de várias freguesias do concelho, membros da sua equipa (a lista engloba 53 pessoas), e pelos vereadores e candidatos à Câmara Municipal de Abrantes, entre eles Manuel Jorge Valamatos, atual presidente, natural de Tramagal.

Manuel Jorge Valamatos, e Pedro Rodrigues, candidatos à CM Abrantes e JF de Tramagal, respetivamente. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | MANUEL JORGE VALAMATOS, CANDIDATO PS À CM ABRANTES:

Presença notada, e a quem foram dedicadas palavras de elogio e apreço pelo trabalho desenvolvido, foi a de Vítor Hugo Cardoso, presidente da Junta de Freguesia de Tramagal há 12 anos, e que não se recandidata devido à lei de limitação de mandatos.

“Temos muito para fazer mas muito tem sido feito”, disse o candidato Pedro Rodrigues relativamente ao autarca que vai cessar funções, num exercício que disse ser de “valorizar”, tendo reiterado que o que o move é uma gestão com “foco nas pessoas”, e em “ajudar, apoiar e valorizar” o Tramagal, o património cultural, turístico, associativo e as suas gentes.

O elogio a Vitor Hugo foi unânime e partiu em primeiro lugar de Lígia Marques, coordenadora concelhia das mulheres socialistas de Abrantes, e candidata nas listas de Pedro Rodrigues, tendo criticado o “populismo” e a “demagogia” de algumas candidaturas, que não especificou, e apelado à “mobilização” e “confiança” nas listas do PS.

Lígia Marques, natural de Crucifixo/Tramagal, e coordenadora concelhia das mulheres socialistas do concelho de Abrantes. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | LÍGIA MARQUES, COORDENADORA MULHERES SOCIALISTAS ABRANTES:

Pedro Miguel Farinha Freire Rodrigues, 55 anos, Major da GNR na Reserva, é natural de Santa Margarida da Coutada e residente em Tramagal. É dirigente do Agrupamento de Escuteiros de Tramagal, faz parte da direção da Tuna Tramagalense e da Assembleia Geral da Associação de Melhoramentos da Freguesia do Tramagal, tendo respondido a algumas questões colocadas pelo mediotejo.net no final da apresentação da candidatura.

Pedro Rodrigues é o candidato do PS à Freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

Pedro Rodrigues, candidato à junta de freguesia, concorre pela primeira vez a um órgão autárquico, o que o levou a assumir este desafio aos 55 anos, agora que se aposentou?

Como referi no meu discurso, passei à situação de reserva do meu serviço, o que me permitiu entrar nestas lides, porque devido à profissão das forças de segurança não podia entrar nisto, mas passando à reserva já podia concorrer. Depois porque o Victor Hugo, o anterior candidato (e atual presidente), vai terminar os seus mandatos o que permitiu que o candidato à Câmara de Abrantes me fizesse o convite para ser o seu candidato à junta de freguesia. Aceitei e como referi nós estamos nas nossas terras, eu tenho trabalhado sempre em prol da terra em associações, dando o meu trabalho, e nós, como cidadãos responsáveis, temos de contribuir para o bem das pessoas, das nossas terras e passar a sentir que fiz algo pela minha terra e não estar sentado ou a ver televisão e depois criticar os outros por nada fazerem. Para criticarmos temos de estar envolvidos, sem estar envolvidos não vale a pena estar a criticar pois não demonstramos nada.

Temos de estar envolvidos para vermos as dificuldades que existem, que as associações têm, neste caso a junta de freguesia, é uma coisa nova que vou ter de aprender a gerir, e com a ajuda de todos, e por isso formei uma boa equipa, com gente capaz e experiência, e é isso que esperamos ao ganhar estas eleições no Tramagal. E quero poder dizer e sentir que servi a minha terra, porque vi para cá morar, onde nasceram as minhas filhas, não sou natural mas foi aqui que vivi a maior parte da minha vida, porque muita família trabalhou na Metalúrgica, tal como o meu falecido pai, e passávamos muito tempo aqui, em instituições que até faziam parte da Metalúrgica, a Caixa de Previdência etc. Foi sempre uma vida aqui no Tramagal, nas festas, no SAT, no cinema, no convívio, e foi por isso que me candidatei, e pelo apoio da família, muito importante, e pela disponibilidade, e até, como ouvimos há pouco tempo, a criação da lei que os órgãos autárquicos deviam ter a meio tempo todos eles porque isto, pelo que vemos, tem serviço, as competências que estão a ser atribuídas às juntas vão dar trabalho, e é preciso haver pessoal disponível e por isso também o que levou o candidato Valamatos a convidar-me, sabendo que eu estava disponível, o que em parte também foi o que me levou a sair mais cedo, a sair nesta altura para encabeçar este projeto que é mais um projeto na minha vida.

O que o preocupa mais no Tramagal, algumas linhas gerais que antecipem o seu programa de ação?

Preocupa-nos isso que o nosso presidente falou e que nós sabemos e vemos em todo o lado. Os censos. É preciso fixar as pessoas. Sabemos que há jovens que querem vir para cá porque sentem-se bem é nestas terras e não nas grandes cidades, e temos dificuldades nesse fixar, na habitação. Depois os empregos, que fazem as pessoas fugir, é importante a criação de empregos, que penso que poderemos conseguir no Tramagal. Algo que também depende do poder central, não é a junta de freguesia que vai criar uma empresa para meter trabalhadores, embora a junta precisasse de trabalhadores pois são poucos para o trabalho que existe.

Habitação, emprego…e mais?

E ajudar as pessoas. Os fregueses são uma parte importante e temos de cuidar deles, e a própria freguesia, também criar condições que façam com que essas pessoas cá queiram estar, e como referi no meu discurso e que o Tramagal seja uma terra boa para ficar, ver e vir visitar.

Pedro Rodrigues, com um orçamento limitado como são os da junta de freguesia, o que pode prometer e com que apoios pode contar para maior desenvolvimento de Tramagal?

As promessas, não prometemos se depois não cumprimos. Sabemos que as juntas têm um orçamento muito limitativo, mas vamos ter que contar com o município e o poder central, tentar através de apoios comunitários, de programas, tentar ver tudo aquilo a que possamos contribuir para o alargamento da nossa freguesia para que ela seja a tal freguesia em que dá gosto viver, passear e visitar.

Ficou assim satisfeito relativamente às palavras de Valamatos sobre os apoios que assegurou para o desenvolvimento da freguesia?

Fiquei satisfeito que vai apoiar a freguesia que é isso que nós queremos. Não queremos ter muito e os outros não terem nada, mas dentro do que a freguesia merece e precisa, pelas palavras do presidente, esperamos que ele nos apoie e é isso que vou trabalhar e tentar que venha o melhor e mais para o Tramagal.

Já falou da família, pedia uma palavra para os elementos que o acompanham, foram vários apresentados…

Satisfeito por eles terem aceite o meu convite e terem feito parte desta equipa. Vou contar com eles todos, pelo que temos falado são homens e mulheres, entrando também jovens, pois os jovens são o futuro, vão-me ajudar, eu conto com eles, eles contam comigo, e como eu também referi só todos juntos é que somos uma grande família e vamos poder trabalhar, pois se não estivermos todos juntos não conseguimos fazer nada e todos nós queremos o melhor aqui para o Tramagal, para a nossa freguesia.

Equipa socialista à Junta de Freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

O pontapé de saída da apresentação das listas candidatas pelo PS às eleições autárquicas nas 13 freguesias do concelho foi dado no Tramagal, terra natal do atual presidente do município e candidato a um mandato de quatro anos na Câmara Municipal de Abrantes. 

O mediotejo.net falou com o candidato do PS à Câmara Municipal a propósito do significado desta apresentação pública e da importância das freguesias tendo em conta o objetivo de alcançar uma maioria absoluta “robusta” nas eleições de 26 de setembro.

Na foto (da esqª para a drtª) – Pedro Rodrigues, Manuel Jorge Valamatos e Vitor Hugo Cardoso. Foto: mediotejo.net

Manuel Jorge Valamatos dá o pontapé de saída de apresentação das equipas candidatas às freguesias aqui no Tramagal…porquê no Tramagal?

Quando começámos a preparar este percurso pelas freguesias, o Tramagal surgiu em primeiro. Olhe foi aqui que tudo começou, foi aqui que eu nasci há 56 anos e com muito orgulho e iniciámos aqui no Tramagal, não necessariamente por isso mas foi uma coincidência feliz e que na altura o Pedro também entendeu que era um dia muito simpático para arrancarmos aqui com a apresentação dos candidatos e foi isso que estivemos a fazer e agradeço desde já muito ao Pedro por se envolver neste projeto, o Pedro é um homem extraordinário desta comunidade, que agora passando à reserva terá todo o tempo do mundo para disponibilizar para as suas pessoas, para a nossa comunidade, e nós precisamos muito disso, de alguém que consiga aqui estar todo o tempo disponível.

Temos muitos projetos para o Tramagal, haverá um tempo oportuno para apresentarmos também de forma muito mais específica todas as intervenções e ações que queremos para o Tramagal, mas neste momento apresentámos a nossa equipa à junta de freguesia que é uma equipa extraordinária de homens e mulheres que nos apoiam, estão connosco. Nós, volto a referir, somos o único partido – e com todo o respeito democrático – mas somos o único partido que verdadeiramente se candidata a todas as juntas de freguesia, preenche todas as pessoas nas listas aos órgãos autárquicas e nós estamos aqui obviamente para ganhar. Queremos listas fortes, competentes, capazes e é isso que viemos hoje apresentar ao Tramagal.

Nessa afirmação apresentamos também várias pessoas que estão na nossa lista à Assembleia Municipal, que é um órgão muito relevante, e depois temos obviamente aqui na nossa equipa, nos sete à Câmara Municipal, a Raquel Olhicas que é uma mulher importantíssima para esta comunidade e toda a gente lhe reconhece grande competência e capacidade de trabalho, temos aqui este grande reforço tramagalense para construirmos uma equipa à Câmara Municipal para ganharmos estas eleições. Gostaríamos muito e desejávamos merecer a confiança dos abrantinos. A motivação que também nós precisamos e o impulso para os desafios que temos pela frente, precisávamos de uma maioria absoluta, capaz, robusta, que possa eleger o maior número de vereadores, para que possamos também desenvolver um trabalho ao longo de quatro anos condizente com as necessidades e os desafios que se apontam.

A enfermeira tramagalense Raquel Olhicas é uma das apostas do PS para a Câmara Municipal de Abrantes, seguindo em 5º lugar da lista para o executivo. Foto: mediotejo.net

Tramagal é importante para tentar conquistar essa maioria absoluta e robusta…

O Tramagal é uma vila importantíssima no contexto do nosso concelho, sempre teve uma dinâmica muito importante no concelho, e portanto queremos ainda mais reforçar esse papel da própria comunidade tramagalense no contexto do próprio concelho. Por isso, queremos e vamos apresentar em breve algumas propostas que temos para a freguesia do Tramagal e obviamente que neste pontapé de arranque era importante apresentar uma equipa forte quer à junta de freguesia, que como pode observar são homens e mulheres, alguns mais experientes, outros bem novos que vão reforçar esta equipa e sobretudo nesta liderança do Pedro depositamos imensa confiança. O Pedro é um homem cheio de competências, com uma experiência profissional que depois ajuda muito à organização da própria junta e é isso, estamos a concorrer para ganhar e queremos equipas para depois serem capazes de executar aqui que pensamos, idealizamos e estruturamos e o Pedro é a pessoa ideal para fazer isso nesta freguesia até pela sua disponibilidade.

Membros da equipa PS candidata à Junta de Freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

Candidatos PS à Assembleia de Freguesia de Tramagal:

Pedro Miguel Farinha Freire Rodrigues, Franquelim Manuel Constantino Lopes, Sandra Isabel Freitas de Oliveira Pereira da Silva, José Carlos Pedro Catarino, Lígia Vanessa Lopes Farinha Marques, Rui Miguel Pinheiro Ferreira, Isabel Margarida Vidal Almeida Augusto, Bruno Lopes Curado, Vitor Manuel Freire Almeida, Ana Cristina Lemos Alves Grácio, Vítor Hugo Braz Vicente Cardoso, Mariana Filipa Balbino Ervideira Lopes Correia, Jorge Miguel Fernandes Espadinha Gonçalves, Rita Maria Contente Rodrigues, Miguel Catarino de Jesus, Sandra Isabel Catarino Rodrigues, Marco António Almeida de Assunção, Melanie Brunheta Nordeste, Adélio José Cândida António, Rosa Catarina Sousa Diogo, André Miguel Ventura Bernardes, Daniela Nordeste Rebeca, Constança Agostinho Sirgado Cardoso Figueira, Francisco José Vilela Mendes, Sandra Maria do Carmo Dias, Ana Sofia Marques Oliveira, Manuel Estrela Gonçalves Pio, Elisabete Agostinho Encarnação Lima, Ana Catarina Marques Aparício, João Miguel Pereira Félix, Isabel Maria Oliveira Lopes, Maria João Duarte Sousa Falcão, Manuel Fernando Oliveira Grácio, Bruno José Cândido Aparício, Maria João Lopes, António Manuel Farinha Pratas Veiga, Cidália Maria Calado Leonardo, Hugo Nordeste Cardoso Rebeca, João Peixoto Simões, Inês Brás Nunes, João Filipe Francisco Serafim, Carolina Ventura Bernardes, Fernando da Silva Pires, Fernanda Paula Vicente da Silva, Manuel Moreira Pacau, Ana Luísa de Oliveira Lopes, André Filipe Ramalho Peixoto, Daniel Catarino de Jesus, Maria Cândida Moura Romão B. Espirito Santo, José Salgueiro, Armindo Dias Moço, Maria da Conceição Tereso, e Francisco de Oliveira Grácio.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome