Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | Pais fecham escola a cadeado por falta de auxiliares e responsáveis reforçam serviço (C/VIDEO e FOTOS)

O Centro Escolar de Tramagal foi hoje fechado a cadeado pelos pais dos cerca de 80 alunos em protesto pelo “número insuficiente de assistentes operacionais” e pela “falta de segurança e acompanhamento” das crianças. A GNR teve de intervir e rebentar com os cadeados mas os pais não deixaram os alunos entrar nas instalações, aguardando por uma solução, ou seja, por um reforço do pessoal auxiliar. A escola já vai reabrir esta quarta-feira, depois de compromisso de reforço dos assistentes operacionais por parte do Agrupamento e da própria Junta de Freguesia de Tramagal, em reunião tida ao final do dia.

- Publicidade -

Aquela escola, que pertence ao Agrupamento de Escolas Dr. Manuel Fernandes, de Abrantes, conta com duas auxiliares, mas apenas uma está a trabalhar porque a colega está de baixa.

“Os pais revoltaram-se e fecharam hoje a escola a cadeado porque só há uma auxiliar para 86 alunos e estamos preocupados com a segurança dos meninos, com a falta de limpeza das instalações e com o acompanhamento nas refeições e no recreio, tudo devido a um défice de pessoal operacional”, disse ao mediotejo.net a presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação, Sandra Sobral.

- Publicidade -

Foto: mediotejo.net

“Não terá sido a decisão mais fácil ou a pretendida pelos pais que gostariam que a mesma não tivesse sido necessária”, disse Sandra Sobral, tendo feito notar o seu “apoio à decisão tomada pelos pais no fecho do Centro Escolar de Tramagal.

Hoje, quando chegaram ao Centro Escolar, pelas 07:30, as duas funcionárias das Atividades de Tempos Livres (ATL) do pré-escolar, que são pagas pela Associação de Pais, deparam-se com o portão principal da escola fechado a cadeado e com um cartaz onde se podia ler: “Queremos funcionárias! Não há condições”.

Muitos pais foram mesmo apanhados de surpresa com o fecho da escola, tendo de encontrar uma solução alternativa para deixar os seus filhos enquanto iam a caminho do emprego.

Foi o caso de Cláudio Mendes, que trabalha numa empresa de Tramagal e veio de Montalvo com o seu filho de oito anos, e de Sónia Leitão, que tem o seu filho de cinco anos a estudar naquela escola. Veio de Abrantes, onde reside, para o emprego, em Tramagal, e é ao fim do dia que pega no filho, de regresso a casa. Apesar do transtorno de última hora, ambos concordavam que a situação é insustentável, devido à falta de auxiliares, esperando, no entanto, por um protesto concertado entre todos os pais, mas que se veio a antecipar.

Tramagal l escola fechada a cadeado por falta de auxiliares.

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 6 de Novembro de 2018

Anabela Pedro, mãe de uma criança que ali estuda, assegura que a escola “não oferece segurança pela falta de funcionários”, e assegura que o seu filho não vai mais ali à escola até que a situação seja resolvida.  Michelle Adão, com um filho de seis anos, disse, por sua vez, que, “neste momento, com apenas um funcionário, não há condições de segurança para os meninos, condições de higiene e limpeza e é um problema que se arrasta desde o início do ano. “É impossível uma pessoa tomar conta de 86 crianças, lavar salas, wc, fazer a supervisão, dar apoio às crianças. É impossível. E por isso algo tinha de ser feito, ena é que tenha de ser desta maneira”, afirmou, referindo-se ao fecho da escola a cadeado.

Chamada ao local, a GNR rebentou com os cadeados e abriu os portões cerca das 09:30, tendo os encarregados de educação recusado a entrada dos seus educandos no estabelecimento de ensino, defendendo junto de autarcas e professores presentes que se encontre uma solução para o problema.

Foto: mediotejo.net

A ação de hoje, frisou Sandra Sobral, presidente da Associação de Pais, representa o “culminar de uma situação que se vem arrastando desde o início do ano”, tendo feito notar que, “apesar dos esforços feitos pela Associação, que chegou a deslocalizar uma funcionária do ATL, paga pelos pais, para o Centro Escolar”, a mesma “não pode solucionar o que compete ao Ministério” da Educação.

“Estando aberto concurso para colocação de assistentes operacionais, foi o mesmo cancelado pelo Ministério, deixando o problema da falta de assistentes operacionais se arrastar”, afirmou.

Sandra Sobral fez notar que o Centro Escolar de Tramagal “conta com 86 alunos, tendo duas auxiliares, que, além da segurança e guarda dos alunos, têm de zelar pelo bom funcionamento da escola, acompanhamento das crianças e outros serviços”, como limpezas, abertura dos portões da escola e acompanhamento nas refeições.

Tramagal l escola fechada a cadeado.

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 6 de Novembro de 2018

“O Ministério da Educação baseia-se no seu sistema de rácios quando se deveria basear nas carências reais de cada escola”, defendeu, tendo reiterado que o fecho do estabelecimento de ensino foi uma ação de “último recurso”, em virtude da falta de soluções para a resolução do problema.

O diretor do Agrupamento de Escolas Dr. Manuel Fernandes, o professor Alcino Hermínio, reconheceu que “existe um problema”, tendo remetido informações sobre o processo para depois de uma reunião que teve com os pais das crianças ao final do dia de hoje. O Centro Escolar ficou hoje fechado mas esta quarta-feira já reabrirá, depois da reunião tida com os encarregados de educação. Ficou o compromisso de reforçar o número de assistentes operacionais, em articulação entre a Associação de Pais, Agrupamento de Escolas e Junta de Freguesia de Tramagal, que também vai ceder um funcionário durante algum tempo para apoiar o serviço a prestar às crianças.

C/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome