Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | Pais descontentes fecham escola primária a cadeado

O Centro Escolar de Tramagal foi hoje fechado a cadeado por alguns pais dos cerca de cem alunos em protesto pelo “número insuficiente de assistentes operacionais” e pela “falta de segurança e acompanhamento” das crianças, alegaram. A vereadora da Educação da Câmara de Abrantes, Celeste Simão, reuniu com os pais descontentes e disse ao mediotejo.net que houve “alguma precipitação” na ação de protesto, tendo assegurado a falta de um funcionário foi “pontual” e que a segurança das crianças “nunca foi colocada em causa”.

- Publicidade -

“Na quarta-feira faltou um funcionário, por doença, e alguns dos pais entenderam fechar a portão da escola a cadeado e colocar uns cartazes nas grades alegando falta de pessoal para assegurar a segurança no acompanhamento das crianças e de limpeza na escola”, disse ao mediotejo.net a vereadora com o pelouro da Educação, desdramatizando a questão e tendo feito notar que se deslocou ao local tendo tudo sido discutido e tudo ficado esclarecido.

“Eu, o diretor do Agrupamento de Escolas [Dr. Manuel Fernandes, de Abrantes],  e o presidente da Junta de Freguesia de Tramagal reunimos com os pais, tudo ficou esclarecido, e a escola voltou a funcionar normalmente ainda na manhã desta quinta-feira. Penso que houve alguma precipitação por parte de alguns dos pais mas tudo ficou esclarecido, até porque estamos em processo de contratação de mais uma auxiliar e a junta de freguesia também vai colaborar nesse sentido”, disse Celeste Simão.

- Publicidade -

“Quando adoece um funcionário do Agrupamento de Escolas, este é substituído por outro, num regime de mobilidade, e foi o que aqui sucedeu, com a mobilização de um auxiliar da escola António Torrado, de Abrantes para o Tramagal, ou por vezes até da Otávio Duarte Ferreira para o Centro Escolar. Ontem faltou uma pessoa mas a segurança dos alunos nunca foi colocada em causa”, reiterou.

A escola vai voltar a funcionar normalmente esta sexta-feira, depois de compromisso de reforço dos assistentes operacionais por parte da autarca e da própria Junta de Freguesia de Tramagal, em reunião tida com alguns dos encarregados de educação. “Até segunda-feira devemos ter tudo normalizado em termos de funcionários”, disse Celeste Simão.

Ficou o compromisso de reforçar o número de assistentes operacionais, em articulação entre a Associação de Pais, Agrupamento de Escolas e Junta de Freguesia de Tramagal, que também vai ceder um funcionário durante algum tempo para apoiar o serviço a prestar às crianças.

A GNR teve de ser chamada hoje ao local para rebentar com os cadeados e reabrir as instalações do equipamento educativo. As aulas prosseguiram depois normalmente.

Em novembro de 2018, o Centro Escolar de Tramagal já havia sido fechado a cadeado pelos pais em protesto pelo “número insuficiente de assistentes operacionais” e pela “falta de segurança e acompanhamento” das crianças. A GNR teve de intervir e rebentar com os cadeados mas os pais não deixaram os alunos entrar nas instalações, aguardando por uma solução, ou seja, por um reforço do pessoal auxiliar. A escola acabaria por reabrir depois do compromisso de reforço dos assistentes operacionais por parte do Agrupamento e da própria Junta de Freguesia de Tramagal.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome